Google+ Badge

Monday, June 22, 2015

Compras Nos Estados Unidos

No domingo eu fui com meus amigos do grupo tantra assistir ao filme "Into Great Silence".
A gente se encontrou na recepção do cinema um pouco antes da 4 horas da tarde. Porém não havia mais ingressos para a sessão das quatro, então compramos ingressos para a sessão das oito. E cada pessoa ficou livre para fazer a própria programação.
Eu decidi fazer a única coisa que tem para fazer nos Estados Unidos, que o diretor Steven Spielberg expressou no filme "O Terminal".E a única coisa que não se pode fazer no Brasil : shopping
E a melhor coisa para fazer nos Estados Unidos; Compras
Os americanos compram, compram e compram.
Será que existe algum país no mundo onde as pessoas compram mais do que aqui?
Como é bom ter  dinheiro e comprar o que deseja.
Como é bom Comprar!
A única coisa que se tem para fazer nos Estados Unidos, também é a  melhor: Consumir.
A primeira loja que eu fui estava lotada. A loja estava bagunçada, porque não era possível aos funcionários organizarem as coisas diante de um publico tão grande.
Eu olhei os preços, um vestidinho simples custava 78 dólares.
Eu sonhei  em poder comprar o que as estrelas de Hollywood usam.
A bolsa de cinco mil dólares, o sapato de seiscentos dólares. O novo modelo de celular.
Ah! A vida perfeita com a casa perfeita.
Uma cobertura no Central Park em Nova York por 90 milhões de dólares.
Para variar achei o que gosto livros.
Eu comprei dois livros: O livro  "Love is..." e o livro "Como fazer seus próprios brinquedos sexuais."
Em volta das oitos horas, eu voltei ao cinema para assistir o documentário "Into Great Silence", que é um retrato intimo da vida diária dos monges Carthusian  do grande Chartreuse, da igreja católica nas montanhas da França.

A regra no monastério é o silêncio, só pode falar o minimo possível.
O documentário foi duas horas e quarenta minutos de completo silêncio.
Quando o filme terminou, toda plateia saiu do cinema silenciosamente.
Que experiência fantástica.
As vezes eu penso que é necessário ir para o Nepal, para se viver uma grande experiência.
Mas sair de um shopping super lotado, e em seguida entrar num monastério silencioso no cinema, é uma experiência incalculável .
Eu moro na capital do pais que possui a  maior economia do globo.
E várias pessoas tendo como único companheiro: o cachorro, o gato ou a televisão.
Eu assisti a uma matéria no programa da Oprah;  onde o decorador oficial dela Nate Berkus estava mostrando o interior da casa dele. Durante a matéria ele falou seriamente com os dois cachorros dele:

- " Se comportem, eu decorei esta casa para vocês."

É como se a pintura do Van Gogh : The scream que foi vendida por 119 milhões de dólares, estivesse tentando se comunicar comigo.
Qual dessas vidas  é  mais silenciosa?
O monastério?
Ou o shopping?
Qual modo de vida produz mais felicidade e mais sucesso pessoal?
Eu sei que nesta jornada de querer tudo: a meditação, as compras, a perfeição. Eu me atropelei.

Eu nunca respirei profundamente.
Eu não respiro quando falo, eu não respiro quando escrevo.

Aliás eu respiro, porque se eu não respirasse. Eu não estaria aqui escrevendo.
O que quero dizer é que não respiro profundamente entre as palavras, e  entre os meus desejos.
Agora eu começo a respirar profundamente, entre as palavras, os pensamentos, as compras e  os desejos.