Google+ Badge

Wednesday, June 24, 2015

A Minha Vózinha me Deu o Maior Presente: Morrendo no Dia do Meu Aniversario!

A minha querida avó, a senhora sempre foi a todos os velórios e enterros.
Como eu tinha medo de ir aos velórios, a senhora me dizia que em meu velório eu ia ficar sozinha.
E eu dizia a senhora:
- Vozinha não terá problema, porque eu já terei morrido mesmo. Quem quiser me dar flores, que me de flores, enquanto eu estiver vivinha! E hoje no dia do meu aniversário você me deu este grande presente, e eu não poderei estar no seu velório.
O meu pai a derrubou da bicicleta enquanto a levava para me dar a luz. E eu nasci sorrindo, por causa do tombo? Até hoje não ando de bicicleta....
Você não escolheu seus filhos. Mas você me escolheu.
Você me escolheu para dar amor e confiança.
Eu comecei a falar com quatro anos, e tinha deficiência de fala, eu não falava com ninguém, mas eu era uma madraga faladeira com você.
Você me ensinou que é errando que se aprende.
Eu destetava cafe, por ser amargo. Um dia eu peguei a caneca enorme de cafe e fui enchendo de açúcar e provando, colocando açúcar e provando.
Quando você chegou na cozinha o açúcar havia acabado, e tinha uma caneca de açúcar marrom. Mas você não brigou comigo. E  até hoje eu continuo testando, experimentando e aprendendo.
Com você eu aprendi que sou importante.
Todos os dias de manha eu ia cedinho no curral e você enchia minha caneca de leite tirada diretamente da vaca para a caneca.
Você me ensinou ser uma Guerreira Digna.
Uma vaca te atacou, te dava chifrada. E o vô não permitiu que ninguém te socorresse. Mas mesmo destruída e com o vestido rasgado você saiu de cena dignadamente.

Mulher valente.
Nem as mordidas das cobras cascavéis conseguiram lhe matar.
Você me ensinou o poder da independência e que nunca é tarde para recomeçar.
Quando já estava com os cabelos brancos, eu te acompanhei na escola todos os dias. Você estava decidida a aprender ler e escrever, independente da idade e viveu mais 46 anos.
Eu aprendi com você que alguém se importava comigo. Quando eu fui reprovada no catecismo, por perguntar demais. Você foi la conversou e eu recebi minha primeira comunhão. Uma coisa que eu não quis aprender com você foi cozinhar. E por este motivo você chorou. E eu chorei mais tarde de arrependimento. Tantas histórias, a minha tia dizia que eu devia ser louca, por viver rindo a toa. Eu tinha um motivo, eu era feliz.

Com você eu aprendi que eu era valiosa e preciosa.
Pois você falava para todo mundo com orgulho que foi você quem me criou.
Você me dava vários presentes, mas você me pedia para não contar para ninguém, porque as pessoas ficavam chateadas.
Era a maneira que você tinha de me proteger da família invejosa. Afinal eu era a unica que você escolheu para criar. Ha mais de um ano começou um grande ti ti e fuxico na grande família.
Eu não  faço minima ideia do que as pessoas estavam falando de mim, eu somente sei que  vários integrantes da família foi me tirando do face.
Eu sabia que baixa estima e a dor da inveja de algumas pessoas estavam causando isso, mas eu não podia fazer nada. E alem do mais por que se preocupar com quem fofocava e com quem acreditava na fofoca.
Mas eu me preocupava com você. Eu pensava nossa, não sei qual é a fofoca. Mas a minha querida Rolinha deve estar muito chateada e triste, afinal foi ela que me criou.
Com você aprendi a generosidade e respeito.
Você cozinhava e dava para toda a vizinhança aquelas gostosuras que somente a senhora sabia fazer.
Um dia eu percebi que a senhora não estava mais enviando nada para a dona Lourdes, e eu te perguntei porque? A senhora me respondeu:
- " Porque a D. Lourdes sempre manda o prato de volta vazio." A principio não fez sentido para mim, já que as coisas que as vizinhas mandavam de volta nunca eram tão boas como as suas, e tudo que você ganhava você acabava dando para outros.
A casa estava sempre lotada, o seu refrão era onde cabe um cabe dez. As pessoas te amavam e te respeitavam. Finalmente eu compreendi, não era sobre o prato vazio era muito mais; muito mais profundo.
Eu percebi que no face tem pessoas com 3, 4, 5 mil amigos. Estes são as pessoas que realizam e todos querem ser amigos deles. E tem as pessoas que aceita qualquer um como amigo, somente para ter amigos e os que tem poucos amigos.
E eu era do tipo que queria agradar e ter muitos amigos.
Eu creio que no fundo eu tinha o grande medo de morrer e ficar sozinha no meu velório. Imagine a cena: Um caixão solitário, numa sala com muitas velas, porem totalmente vazia, sem ninguém ao redor do caixão.
Mas estou ficando corajosa, então eu resolvi que somente iria manter como amigos, os que realmente eram amigos. Eu não queria mais pratos retornando vazios.
Ai você morre no dia que eu comemorava o meu nascimento, e eu entendi minha vida. Você continua me escolhendo, nenhuma  tentativa de me diminuir diante dos seus olhos funcionou.
E eu fiquei tão agradecida e feliz, pois sei que de agora em diante se tornara mais fácil a nossa comunicação.
E mudarei com coragem, afinal nenhuma pessoa no mundo teve mais sorte e amor do que eu nesta vida. Obrigada pelo grande privilégio de poder ser sua neta escolhida.
Agora viverei sem medo. Quando eu estiver com um amigo, eu estarei com ele, como se aquele você o ultimo momento de minha vida.
Porque na vida as três coisas mais importante são: Este momento, a pessoa com que eu estou, e como a estou tratando.
E deixarei de dar para as pessoas que me retornam o prato vazio.
Vovó Rola hoje eu renasci com você. Obrigada pelo meu lindo presente de aniversário!