Google+ Badge

Monday, June 22, 2015

Jaboticaba

Os Meus Pés de Jabuticabeiras Falam
Existem seres extremamente sensíveis que conseguem pegar no ar os fatos que estão para acontecer.
Como os animais que perceberão antes de todos os seres humanos que haveria Tsunami na Asia, por serem dotados de percepções mais acuradas que os humanos.

Um dia todos os seres humanos irão saber que os animais e as plantas não são seres inanimados, que eles tem sentimentos e que ouvem nossos pensamentos.

A Jabuticaba é uma fruta original do Brasil, e seu nome deriva do Tupi ( yawoti'Kaua).
É uma planta sem pressa, descansada que demora mais de uma década para dar fruto.
E quando ela começa a dar fruto. Ela produz os frutos  normalmente nos meses de agosto a setembro, ou janeiro e fevereiro.
Os frutos são deliciosos e podemos fazer sucos e licores com eles.
Quando eu tinha sete anos de idade a minha avó, plantou três pés de jabuticabas em nossa nova casa.
Eu era a unica criança na casa, e eu fiz os pés de jabuticabas os meus amigos.
Eu conversava com eles quando curiosa, triste, animada.
Eu brincava debaixo deles. Eu subia neles. Eu comia as minhas lindas jabuticabas com prazer.
Eu me sentia a vontade e  feliz com as minhas amigas jabuticabeiras. Eu nunca mais me senti sozinha por ser a unica criança na casa.

Alguns anos depois eu deixei de morar com meus avó, passando morar com meus pais em toda cidade.
O tempo correu e eu me tornei uma adulta normal, e me esqueci totalmente dos meus amiguinhos. Como todos os adultos arrogantes e inocentes, passei a acreditar que as plantas não tem consciência e inteligência  como nós humanos.
Aos quarenta anos de idade, no meio da maior crise financeira e existencial em minha vida.
Eu viajei para minha cidade natal Três Lagoas. Para passar um tempo na casa de minha mãe.
Um dia ao sair da academia de ginástica, e caminhando de volta para a casa de minha mãe, eu resolvi parar na casa que passei boa parte da minha infância; a casa dos meus avós, que ficava entre a academia de ginástica e casa de minha mãe.
A casa estava vazia, sem moradores, eu abri os portões, e me dirigi ao fundo do quintal. E me sentei no muro da área do fundo, pensando no desenrolar problemático de minha vida.
Ali sentada silenciosamente no redemoinho de minha tristeza eu vi três pés de jabuticabas, eles ao contrário de mim, eles não mudaram, continuavam ali, plantados no quintal, sem frutos.
Eu os vi sem os verem; eu  não dei a minima atenção a eles. Porque daria?
Como todo ser humano, eu comecei a criar uma nova rotina, naquelas férias temporária forçada.
No dia seguinte no mesmo horário, ao voltar da academia, eu entrei novamente na casa vazia.
Porém quando fui ao fundo do quintal, eu levei um choque.
Eu fiquei completamente paralisada com o que os meus olhos estavam me mostrando: Os pés de Jabuticabas estavam carregados.
Como era possível? Pois era o mês de abril, e eles normalmente só davam frutos depois do mês de setembro.
O período entre a floração e a maturação da fruta leva cerca de quarenta dias.
No dia anterior não tinha nenhuma flor. E agora os pés estavam carregados de Jabuticabas, bonitas e enormes no ponto de serem devoradas com prazer. Não apenas um pé, mas os três pés de jabuticabas.
Os meus amiguinhos voltaram a falar comigo:
- " Você nos esqueceu, mas nós nunca nos esquecemos de você?"
Mas sera que eu não estava ficando louca? Mas eu não estava louca, eles estavam se comunicando comigo.
A  forma de comunicação das plantas, é como a comunicação do espirito e dos mortos.*
As Jabuticabas eram os presentes deles para mim.
Depois de come-las, eu decidi pegar algumas frutas, para levar comigo. Eu não tinha nenhuma vasilha ou sacola. Então levei o que coube em minhas mãos.
Quando cheguei na casa de minha mãe com as jabuticabas, a minha mãe me perguntou:
- "Onde você  conseguiu estas jabuticabas, agora não é época  de Jabuticabas.
Como eu tinha a prova concreta em minhas mãos, eu relatei o que aconteceu para minha mãe.
Ela não acreditou, mesmo provando as deliciosas jabuticabas fora de época.
Eu contei para outras pessoas, porém apesar da prova concreta, todos riram e não acreditaram em mim, como a minha mãe .
Todos como eu, haviam se tornados adultos arrogantes e inocentes.
Olhe as pessoas vegetarianas, que não comem animais, mas comem vegetais.
Qual a diferença entre as plantas, os animais e os humanos?
Eu sou descendente dos povos guaranis, que em relação a natureza, não são tão ignorantes, como a maioria dos povos brancos.
Eu gostaria de neste exato momento voltar ao quintal, para conversar com os meus amiguinhos.E dizer:
- " Queridos me desculpem, pela a adulta que me tornei, por te-los esquecido e abandonados os completamente. Obrigada por vocês se lembrarem de mim. Obrigada meus queridos pés de jabuticabas!"
Eu não me importo mais em provar para os inocentes. Porque eu sei, o que, os meus antepassados sabiam.
E agora a ciência  comprovou.

* Se você estiver interessado, leia meu texto, as mensagens dos mortos.