Google+ Badge

Wednesday, July 1, 2015

A Cartomancia, a Vidência e Eu e o Amor e a Felicidade...

Quando criança, eu morava com os meus avós. Um certo dia, eles foram roubados. E eu fui junto com a minha avó numa cartomante para descobrir quem eram os ladrões. A cartomante se chamava D. Abigail. Alem de dizer quem era os ladrões, ela informou que o objeto do roubo, já havia sido vendido e estava em outra cidade. Graças as informações dadas por dona Abigail. Os meus avós conseguiram recuperar o objeto roubado. E eu fiquei impressionada com a capacidade de vidência de D. Abigail.
Aos dezessete anos, eu fui  me consultar com a dona Abigail.
Esta foi a  previsão da dona Abigail para mim:
- " Você ira conhecer um homem mais velho que você, com olhos claros, de um lugar distante, pode ser de outro estado ou país. Ele virá para o lugar que você mora a trabalho ou para estudar. Ele já tem uma filha e ele irá te convidar para ir embora com ele. Não se preocupe com a família dele ou com a sua família. Aceite o convite, pois você irá ser muito feliz. Mas feliz do que você pode imaginar. Você irá fazer o que sempre quis fazer, e o que mais gosta. Estudar! Eu sei que você não esta acreditando, mas tudo que eu lhe disse irá acontecer." 
Ela me contou que quando ela tinha onze anos, uma mulher a parou na rua, e lhe disse que ela iria mudar para aquela cidade, inclusive que ela iria ser cartomante, ela não acreditou, mas tudo aconteceu.
Aquela consulta gratuita, (ela não quis receber o meu dinheiro) foi a unica que eu fiz com ela. Porque ela era uma senhora de idade e logo depois desta consulta ela morreu. Após  três anos da previsão de D. Abigail. Eu fui convidada para me mudar para Pelotas no sul do país.
Ele tinha 14 anos a mais que eu, tinha os olhos claros e tinha uma filha. Ele era professor universitário e  havia ido a cidade que eu morava para fazer mestrado. Ele foi o meu primeiro beijo, a minha primeira experiencia sexual. E a descoberta do amor...
E se eu tivesse seguido meu destino? Provavelmente o destino de outras vidas também mudariam. Mas eu não segui o meu destino. Eu tive medo, o que aconteceria se eu fosse com ele, porque ele não só tinha uma filha como era casado. Eu ir com ele significaria muitas mudanças em nossas vidas. Mas como eu disse eu tive medo.
                                         Esta era nossa musica tema
Eu o encontrei mais uma vez, sete anos depois do convite. Eu havia ido para Caxias do Sul, para participar de um curso para lideres, do qual eu havia ganho uma bolsa. Nós  nos encontramos para um almoço na capital gaucha. Ele ficou surpreso com minha mudança. Quando nos conhecemos eu era uma adolescente, trabalhando num supermercado, numa cidade do interior paulista, ganhando o salario minimo, sem fazer a minima ideia de que o mundo existe.Ele era um cliente no supermercado, no qual eu trabalhava. Ele me dizia que havia três maneiras de uma pessoa ser rica: nascendo rica, casando com um homem rico, ou estudando. Então a minha unica opção era a terceira. Porem eu só tinha a oitava serie na época, e nem por sonho eu desejava ficar rica. O bairro que eu morava ficava a cinco quilômetros da cidade, e o ônibus circular era de 40 em 40 minutos, na planilha.
Ele fez a observação de como eu havia crescido. Aquela garota do interior, em sete anos, tinha vivido uma revolução. Naquele mês que nos encontramos, tinha uma reportagem sobre mim na revista Marie Claire, como uma mulher de sucesso. E eu estava morando com um homem maravilhoso, por coincidência também nascido em Pelotas, só que em vez de descendente de italianos como ele, o meu parceiro era descendente de alemães. Eu não morava mais na periferia do interior, mas num bairro classe media de São Paulo. 
Ele continuava sendo professor da mesma universidade, escolhia os amigos para jogar tênis, por status, não por amizade. Ainda estava casado, a mulher era medica, mas ele estava cansado, porque em todas as reuniões e festas, ela e os amigos somente falavam de doenças. Agora eu estava cheia de sonhos e projetos. Porem ele já tinha se tornado um Dr.. Os seus sonhos já tinham todos sidos realizados. A nossa posição na vida tinha de alguma forma se invertido.  Se nós tivéssemos ficado juntos, aquela teria sido a grande ousadia da vida dele.
 Nós  não levamos em consideração o nosso coração. A nossa mente era a dominadora e o nosso coração o dominado. Apesar da D. Abigail me dizer, para não me preocupar com a minha família ou a dele. No momento que ele me convidou para ir embora com ele. Eu  me sentia totalmente incapaz, com complexo de inferioridade. Nosso poder de escolha era administrado pelo nosso mundo externo. A mulher dele era doutora, ele era um professor universitário, e eu nem sabia pronunciar o português corretamente. Depois do nosso almoço eu retornei para Caxias do Sul, onde estava sendo oferecido um churrasco para os estudantes do curso. Porem eu fui para o meu quarto, e chorei como criança. Mas sem saber o porque eu estava chorando. Nunca mais o vi. Um capitulo de minha vida estava finalmente encerrado.
Porem sete anos apos a previsão futurística  de D. Abigail. Eu conheço um outro homem que também preenche todas as características de D. Abigail:  Mais velho que eu, agora não 14 anos, mas 10 anos, com olhos claros. Ela disse que de outro estado ou pais, este tinha vindo de Hamburgo na Alemanha, para fazer um curso na USP.  E também com uma filha. Mas não casado, ele havia conhecido a mãe numa viagem ao Peru, ela era uma inglesa que também estava de ferias no Peru. 
                                      Hamburgo
Porque nosso destino se cruzaram? Porque nos atraímos? Porque dois homens tão diferentes, mas com as mesmas características reveladas pelas cartas? Um jogo divertido do destino? A vida começa no momento do nascimento físico?  Tem uma existência em espírito antes de física? Eu agora acredito que nós somos seres espirituais com corpos físicos. Nós estamos essencialmente reunindo experiências. Cada alma tem completa liberdade de escolha e  a oportunidade de se expressar, por um processo de experiências pessoais. Uma escolha que leva a outra, e depois outra, e depois outra.
O primeiro foi o que você já sabe, a descoberta do amor. O segundo foi o que acredito ser amor, um tipo de Alma gêmea. Eu tinha a sensação de já ter o conhecido antes, de conhece-lo eternamente. Um homem especial, ao lado dele eu me sentia bonita, inteligente mas principalmente feliz o tempo todo. Estar com ele era estar na presença da felicidade.
                                     Agora outro tipo de musica tema
Porem quando nos conhecemos, ele já estava quase voltando para sua cidade natal, então
seria um relacionamento temporário. Praticamente no víamos todos os dias. A cantora fortuna uma vez nos disse que nós eramos um casal muito bonito. Uma coisa eu sei, era impossível não chamarmos a atenção quando estávamos juntos. Eu estava me sentindo super bem no dia que  fui ao aeroporto me despedir dele, sabendo que ali terminava o nosso caso de amor. Porem no momento que ele embarcou, minha alma foi junto. Eu fiquei literalmente doente, não tinha energia para nada. Eu podia estar fazendo qualquer coisa, em qualquer lugar, as lagrimas começavam a simplesmente descer no meu rosto. Tinha vezes que as pessoas me perguntavam se estava tudo bem, eu dizia que sim; tentando conter as lagrimas que teimavam em cair. Mas com o tempo....., descobri que não morreria e que a vida continuava. Uma vez eu havia dito a ele que havia uma Thillai antes dele e uma Thillai depois dele. Mas nem imaginava como essa mudança iria ser tão grande. Eu mudei muito, passei a confiar mais em mim mesmo e comecei a ter mais poder sobre a minha vida.
Mas ao contrario do primeiro, que apenas me encontrei uma vez depois do fim do nosso relacionamento. O segundo, que foi o meu amor verdadeiro, sempre surge em minha vida, em momentos chaves para desaparecer logo em seguida.
Demorou cinco anos, depois de sua partida, para nos reencontrarmos, na cidade do Rio de Janeiro. No momento que nos vimos, descobrimos que o amor e paixão ainda estava presente. Os cinco anos não diminuiu o amor. Os meus lábios sorriram, os meus olhos brilharam, e meu coração floresceu de felicidade. Enquanto estávamos sentados na areia da praia de Ipanema, ele me disse com os olhos cheios de lagrimas, que havia cinco anos, que ele não havia ficado com mais ninguém. Apesar de ser totalmente diferente comigo que tive outros namorados, e agora estava vivendo com uma pessoa especial, ele nunca tinha partido do meu coração. A distancia não tinha diminuído o meu amor por um segundo. Ele me disse  que ele iria arrumar alguém. Pois ele estava cansado de estar sozinho. Na mesmo dia dessa conversa, o jornal "O Globo",  publicava uma matéria sobre ele. 
Algum dia no futuro, eu fui contactada por um canal de TV para dar uma entrevista. Depois de mim quem deu a entrevista foi a dupla Duofel.
Dupla Duofel
Eles o citaram na entrevista, conversei com eles e chegando em casa eu decidi ligar para ele, contando o acontecido. Uma mulher atendeu o telefone, e passou para ele. Ele estava super quieto, eu perguntei porque. Ele me disse que ele iria casar dali algumas horas. A mulher que atendeu o telefone, era uma brasileira, que leu a matéria sobre ele no jornal globo e escreveu para ele por causa da matéria, eles ficaram amigos. Ela viajou para a Alemanha, e eles iriam se casar. Eu disse a ele para não se casar, pois eu acreditava que apesar de tudo a gente se amava. E também pela maneira que ela falou comigo ao telefone, me parecendo super insegura. Uma pessoa que vai casa dali três horas não pode se sentir tão insegura. Eu disse a ele que eu jamais teria ligado para ele, se eu não tivesse encontrado com o Duofel no programa de televisão, não podia ser coincidência. Era uma força maior agindo. Mas ele se casou.
 A próxima fez que o vi foi em São Paulo, ele me disse que se separaria, se eu dissesse que ficaria com ele. E que se eu não quisesse ir morar na Alemanha, ele se mudaria para o Brasil. Eu disse que não, mas o que fez eu dizer isso foi a aliança no dedo dele. Eu me sentia super traída. Se ele não tivesse com a aliança no dedo. Eu teria tido sim. Eu tinha namorado, tinha dito um companheiro. Mas eu não havia casado.
No próximo ano o meu filho nasceu, de uma relação desastrosa, eu me separei mudando para o meu próprio apartamento, numa sexta feira. E o meu filho nasceu na segunda- feira  de 8 meses. Eu queria colocar o nome dele em meu filho, mas não tive coragem, concluindo que todo mundo iria perguntar porque meu filho tinha um nome alemão. Depois de cinco anos do nosso ultimo encontro. No mês de janeiro eu e minha amiga fomos a um casamento budista, e decidimos rezarmos com o objetivo de nos casarmos. Eu coloquei a data para o meu casamento, para o dia 14 de dezembro, mas nem namorado eu tinha.  Eu tive um namorado africano, mas novo do que eu, que havia terminado o namoro no final do ano. E eu nunca mais tinha o visto ele,  Em novembro fui para um encontro de final de ano de padres africanos. Chegando la todos começaram a me perguntar o que tinha acontecido. Quem havia terminado o relacionamento e porque. Uma freira africana veio me confidenciar sem eu perguntar, que ele havia terminado porque havia conhecido uma jovem "rica'. No ultimo dia do encontro, ele aparece com a moca e os pais. Eu estou sentada numa mesa quando, um rapaz conhecido em comum me coloca o convite de casamento na mesa e pede para mim cuidar. Eu sabia que ele queria que eu olhasse. Eu abri e olhei, era a data do casamento do ex, seria exatamente no dia que eu havia colocado no meu objetivo. Eu choquei! Ele não teria como saber do meu objetivo, o que a vida queria me dizer? Não poderia ser coincidência. Bom eu fui embora para casa. Exatamente quando abri a porta o telefone estava tocando, corri para atender. Ela  ele me ligando depois de anos. Coincidência? Ele não tinha se separado e agora também tinha uma filha,que havia nascido com necessidades especiais. Eu disse que já estava cansada da nossa historia que nunca se definia. Bom foi a ultima vez que falei com ele.
Passados infinitos anos, eu já estava casada morando em Oeste Virginia nos Estados Unidos, quando acontece  um problema serio no meu relacionamento, e eu decido com minha mente, corpo e espirito, que este era o fim para mim. No dia seguinte eu abro o meu email, e tem um email dele. Coincidência? Como explicar isto, eu passei meu Skipe para ele. As filhas do meu marido tinha dito para o meu marido, que eu ou elas.  Nós estávamos tendo uma discussão a respeito, quando  naquele exato momento o Skipe toca,. Coincidência? A decisão do meu marido por mim, foi influenciada pelo telefonema dele. Ele continuou ligando, eu ficava super feliz, quando ele ligava, mas ele parou de ligar, eu penso que a quase três anos. Eu acho que morrerei sem saber...como seria nosso futuro juntos.
 Eu fiquei com medo, não segui o meu coração, na minha linda historia de amor.Qual teria sido minha vida, se eu tivesse seguido a minha sorte? Eu seria feliz como jamais imaginei? Eu faria o que mais gosto de fazer na vida? A pergunta do porque eu me boicotei no amor, me perturbou por anos.  Mas eu nunca poderei ter a resposta do que teria acontecido em minha vida, se eu tivesse seguido meu destino. Sera que seria uma historia de amor e relacionamento bem sucedido? A D. Abigail disse que eu seria feliz como jamais imaginei....
A minha vizinha Liza com mais de 70 anos tinha dito um grande amor na vida dela. Que ela conheceu na Universidade George Washington,  a família dela era rica e ele judeu. A família jamais iria aceitar o casamento com um judeu.  Ela casou duas vezes, ficou viúva duas vezes, morou no Chile, na Alemanha. Agora morava sozinha, pois os filhos já haviam todos crescidos, cuidando de seus próprios filhos. A Liza tentava achar parceiros nos sites da Internete. Nunca conseguindo um perfeito. Ate que nos destinos da vida, ela cruza com o amor da vida dela. Ele também tinha casado, mas agora era viúvo, e um bem sucedido homem de negócios, mas bem sucedido financeiramente do que a Liza. Eles tiveram um almoço juntos e começaram a se encontrar. Quando ele falou em eles finalmente ficarem juntos. Depois de anos a Liza arrumou o John e falou para o amor da vida dela que ela iria se casar.
Eu dei para a Liza o DVD do movie DeJaVu." Deja Vu Quando eles se apaixonam , há muito em risco: empregos, empresas, que país em que vivem, as pessoas que estão comprometidos com demora nenhum problema em tudo para se apaixonar quando você estiver 20 e única Mas Dana e Sean deve olhar.. em seus corações e ter certeza que eles não podem viver um sem o outro."
 E acredite ou não ela se casou. Ela se mudou, deixando de ser minha adorável vizinha. Apesar de saber que o casamento era a sua fuga, eu não compreendi, mas entendi. E quando a entendi eu me compreendi.