Google+ Badge

Tuesday, September 1, 2015

Lute Para Realizar Seus Sonhos! Lista de Filmes Biográficos sobre Boxe



Ali é um filme estadunidense de 2001, do gênero drama biográfico, dirigido por Michael Mann. O roteiro original do filme, escrito por Stephen J. Rivele e Christopher Wilkinson, tinha mais de 200 páginas e contava a vida do lutador de boxe Muhammad Ali da infância até o ano 2000. Porém, ele foi bastante revisado e enxugado por Michael Mann e Eric Roth, que elaboraram a versão utilizada em definitivo.
                                Muhammad Ali interpretado por  Will smith
Antes de fazer o filme, Will Smith rejeitou o papel até que Ali solicitou que ele aceitasse. Smith disse que a primeira coisa que Ali disse a ele foi: ". Cara, você está quase bonito o suficiente para me representar"

Muhammad Ali-Haj, nascido Cassius Marcellus Clay Jr. ele foi nomeado por seu pai, Cassius Marcellus Clay, Sr., que foi nomeado após o político abolicionista de mesmo nome (17/01/1942- 03 de junho de 2016) , é um ex-pugilista norte a-americano, considerado um dos maiores ​​da história do esporte. Foi eleito "O Desportista do Século" pela revista americana "Sports Illustrated" em 1999.
 O mais velho de dois meninos. O seu pai pintava outdoors, e sua mãe, Odessa O'Grady Clay, foi uma empregada doméstica. O seu pai  era um metodista, mas aceitou que Odessa convertesse Cassius Jr. e seu irmão Rudolph "Rudy" Clay (depois renomeado Rahman Ali) como batistas. 
Ele teve seu primeiro contato com o boxe do chefe de polícia e técnico de boxe Joe E. Martin em Louisville, que o encontrou com 12 anos batendo em um ladrão que estava roubando sua bicicleta. Ele disse ao oficial que ele estava fazendo "whup" no ladrão. O oficial lhe disse para aprender boxe. Nos seus últimos quatro anos de carreira amadora Clay tinha treinado com Chuck Bodak.

Ele ganhou seis títulos Golden Gloves de Kentucky, dois títulos Golden Gloves nacionais, e o título nacional do Amateur Athletic Union, e a medalha de ouro do Meio-Pesado nas Olimpíadas de Verão de 1960 em Roma. O recorde amador dele foi 100 vitórias com apenas cinco derrotas.
Ele  conquistou o título de campeão dos pesos pesados ao derrotar Sonny Liston em 1964. 
Perdeu o título em 1967 e foi proibido de atuar por três anos e meio por ter se recusado a lutar no Vietnã. Recuperou o posto ao ser reabilitado, mas logo perdeu para Joe Frazier. Ganhou de novo o título em 1974 ao vencer George Foreman em luta realizada no Zaire (retratada no documentário "Quando éramos Reis"), perdeu-o em 1978 para Leon Spinks e em seguida retomou-o de Spinks. Retirou-se do boxe quando ainda era campeão.
Ele foi o único boxeador que até hoje suportou 12 assaltos com o maxilar quebrado (luta com Ken Norton, em 1973). Converteu-se ao Islamismo (mudando de nome para Muhammad Ali-Haj) e lutou contra o racismo.
Nos últimos anos de vida Muhammad Ali teve a doença de Parkinson, diagnosticada no início da década de 1980. Em 2010, Ali foi a Israel para tratar a doença. O trabalho foi feito com células tronco adultas. Os testes até então realizados com ratos tiveram sucesso, mas sua eficácia em seres humanos ainda será testada.
Casamentos e Crianças 
Ali foi casado quatro vezes e teve sete filhas e dois filhos. Ali conheceu sua primeira esposa, garçonete Sonji Roi, aproximadamente um mês antes de se casaram em 14 de agosto de 1964. 
As objeções de Roi a certos costumes muçulmanos em conta a vestir para as mulheres contribuíram para o rompimento de seu casamento. Eles se divorciaram em 10 de janeiro de 1966.
Em 17 de agosto de 1967, o Ali casou-se com Belinda Boyd. Após o casamento, ela, como Ali, se converteu ao Islã. 
Ela mudou seu nome para Khalilah Ali, embora ela ainda era chamada de Belinda por velhos amigos e familiares. Eles tiveram quatro filhos:.. Maryum (nascido em 1968), gêmeos Jamillah e Rasheda (nascido em 1970), e Muhammad Ali, Jr. (nascido em 1972)  Maryum tem uma carreira como autor e rapper.
Em 1975, Ali começou um caso com Verônica Porsche, uma atriz e modelo. No verão de 1977,  Ele se casou com Verônica.  Na época de seu casamento, eles tiveram uma menina, Hana, e Veronica estava grávida. A sua segunda filha, Laila Ali, nasceu em dezembro de 1977. Em 1986, eles se divorciaram.
Laila se tornou um boxeadora em 1999,  apesar dos comentários anteriores de seu pai contra boxe feminino em 1978: "As mulheres não são feitas para ser atingido no peito e rosto assim ... o corpo não é feito para ser perfurado aqui. começar a batida no peito ... difícil ... e tudo isso. 
Em 19 de novembro de 1986, Ali casou-se com Yolanda "Lonnie" Williams. Eles tinham sido amigos desde 1964, em Louisville. Eles têm um filho, Asaad Amin, a quem eles adotaram quando Amin tinha cinco meses de idade. 

 Ele teve duas outras filhas  de relações extraconjugais. Khaliah Ali
Miya Ali


Na Cultura da Mídia e Populares

Pintura do pop arte de Muhammad Ali por John Stango
Ali tem aparecido na capa da Sports Illustrated em 37 ocasiões diferentes, perdendo apenas para Michael Jordan. 
Ali tinha um pequeno papel na versão cinematográfica de 1962 do Requiem for a Heavyweight, e durante o seu exílio, ele estrelou o musical da Broadway de curta duração, Buck White (1969).
Em 1963, Ali lançou um álbum de palavra falada pela Columbia Records intitulado Eu sou o maior, e em 1964, gravou a música "Stand by Me". 
Ali apareceu no documentário Preto Rodeo (1972) equitação tanto um cavalo e um touro. Sua autobiografia The Greatest: My Own Story, escrito com Richard Durham, foi publicado em 1975. 
Em 1977, o livro foi adaptado em um filme.
Greatest em que Ali representou ele mesmo.

O filme Freedom Road, feita em 1978, dispõe de Muhammad Ali em um papel de ator raro como Gideon Jackson, um ex-escravo em 1870 Virginia quem é eleito para o Senado americano, em Washington, DC, e as batalhas de outros ex-escravos e meeiros branco para manter a terra que eles tenderam todas as suas vidas.
 Estrada da Liberdade - Freedom Road
Nas filmagens Ali conheceu canadense cantor e compositor Michel, e, posteriormente, ajudou a criar o álbum de Michel intitulado The First Flight of the Dragon Gizzelda. e o programa de televisão uma hora de duração Com amor de Muhammad Ali.
Ali foi objecto de This Is Your Life em 1978, quando ele foi surpreendido por Eamonn Andrews. 
Ali aparece em Superman vs Muhammad Ali, a DC Comics gibi 1978 colocando o campeão contra Superman, um super-herói fictício.
O Muhammad Ali Effect, em homenagem a Ali, é um termo que entrou em uso em psicologia na década de 1980, como ele declarou em sua autobiografia The Greatest: minha própria história: ". Eu só disse que eu era o maior, não o mais inteligente"  de acordo com este efeito, quando as pessoas são convidadas a avaliar a sua inteligência e comportamento moral em comparação com os outros, as pessoas vão se consideram mais moral, mas não mais inteligente do que outros. 

Em 2002, por suas contribuições para a indústria do entretenimento, Ali foi homenageado com uma estrela no Hollywood Walk of Fame em 6801 Hollywood Boulevard. A sua estrela é o único a ser montado numa superfície vertical, por deferência à sua solicitar que o seu nome não ser pisado. 


Os Julgamentos de Muhammad Ali, (2013) um documentário dirigido por Bill Siegel que incide sobre a recusa do projeto durante a Guerra do Vietnã.


   Muhammad Ali O Grande Lutador ( 2013) dramatizou o mesmo aspecto da vida de Ali.
Em 2010, Ali junto com a cantora Christina Aguilera fizeram a propaganda em prol das vítimas do terremoto que destruiu o Haiti.
Em 2015, Ali lançou seu livro de memórias The Greatest: minha própria história, que narra as batalhas que enfrentou dentro e fora do ringue. Foi editado pelo romancista vencedora do Prêmio Nobel Toni Morrison.

A Luta na Floresta -The Rumble in the Jungle  foi uma famosa superluta de boxe que ocorreu em 30 de outubro de 1974 (04:00 horas) em Kinshasa, Zaire ( atual República Democrática do Congo).
Era uma disputa entre o então campeão George Foreman contra o antigo campeão Muhammad Ali. O evento foi um dos primeiros realizados por Don King, que fez a luta no Zaire, pois o presidente ofereceu um generoso patrocínio para receber a luta.
Antes da Luta. Em 1967, Ali foi proibido de lutar por três anos e meio, por se recusar a se alistar no Exército dos Estados Unidos, pois ele era contra a Guerra do Vietnã. Quando recuperou sua licença no mundo do boxe em 1970, ganhou duas lutas, porém ao tentar recuperar o cinturão de peso pesado, perdeu para o campeão Joe Frazier.
George foi campeão nas Olimpíadas de 68, e rapidamente foi ganhando prestigio no mundo do boxe, pela sua enorme envergadura e poderosos socos. Mesmo assim, Joe e seu promotor acharam que George não seria páreo, pois ele seria muito lento e seu boxe ainda era despreparado. Isso se mostrou um grande erro, quando em apenas dois assaltos Joe sofreu seis golpes até que a luta foi interrompida pelo juiz, dando um nocaute técnico para George. Ele também nocauteou Ken Norton, o único homem além de Joe a nocautear Ali.
 George entrou na luta como franco favorito, por ser muito mais novo (na época tinha 25 anos, enquanto Ali tinha 32), por ser muito mais forte, pela sua até então invencibilidade, e pela ferocidade que estava ganhando todas as lutas que enfrentava.
Ali depois da luta revelou sua estratégia incomum; como sabia que George era muito mais forte, e que não seria páreo para ele no mano a mano, ele optou por cansar George ao máximo, pois sabia que ele nunca tinha tido uma luta muito longa, pois sempre nocauteava seus adversários nos primeiros assaltos.
Durante sete rounds, Ali ficou nas cordas, apenas recebendo socos de George, assimilando-os e se esquivando como podia, porém, apanhando muito, ele passou os sete assaltos provocando George, dizendo coisas como: "é só isso que você tem?" ou "me disseram que você batia forte" ou ainda "minha mãe bate mais forte que você". No oitavo round, já  com George exausto, foi que Ali realmente começou realmente a lutar, nocauteando-o.
Muhammad Ali pode ser considerado o primeiro esportista a aliar marketing com política. Exemplo disso foi seu desempenho antes da luta com George Foreman no Zaire. Ali utilizou todo seu conhecimento do pan-africanismo para se colocar como o lutador da África, enquanto Foreman ficou como símbolo da alienação negra americana.  
George Edward Bill Foreman ( 10 de janeiro de 1949) é um empreendedor e ex-pugilista americano, duas vezes campeão mundial de boxe na categoria peso-pesado e medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de 1968.
Os seus títulos mundiais que foram de 1973 e 1994, sendo o último aos 45 anos, nocauteando o pugilista de 26 anos Michael Moorer no 10.º round e estabelecendo assim o recorde, ainda em vigor, de campeão com maior idade dentre os pesos-pesados. De 81 lutas, venceu 76, sendo 68 por nocaute. Ele fez sua última luta aos 48 anos, perdendo por decisão muito controversa. Apelidado de "Big George",ele é agora um homem de negócios bem-sucedido e um ministro cristão ordenado que tem sua própria igreja.
Ele tem 10 filhos, e cinco deles são chamados George: George Jr., George III, George IV, George V, e George VI. Seus três filhos mais velhos são distinguidos entre si pelos apelidos "Monk", "Big Wheel" e "Little George." Após encerrar sua carreira esportiva, tornou-se um rosto popular para o público das novas gerações, quando passou a dedicar-se à promoção de grelhas com seu nome na televisão.
Muhammad Ali - Sobre o Racismo Legendado
A Luta Pela Esperança - Cinderela Man (2005)
O filme foi inspirado e Intitulado sobre o apelido de campeão mundial de boxe: James Walter "Cinderella Man" Braddock (07 de junho de 1905 - 29 de novembro de 1974) era um americano  boxeador que foi o campeão mundial dos pesos pesados de 1935 a 1937.

Espírito de Jovem: A História de Joe Louis - Spiritof Youth: The Joe Louis Story (1938)

A Historia de Joe Louis- The Joe Louis Story (1953)
Este filme biográfico narra a história de Joe Louis subindo da pobreza, e tornando-se conhecido como o "Bombardeiro Marrom" - Campeão mundial dos pesos pesados! ... Inclui alguns grandes clips, filme da vida real de Louis em Ação.
Joseph Louis Barrow (13/05/1914 - 12/04/1981) foi um pugilista norte- americano. É considerado um dos maiores pugilistas de todos os tempos, Louis manteve o título dos pesos pesados durante doze anos (1937-1948), defendendo-o em 26 lutas. Uma de suas lutas que marcou a sua carreira foi contra o alemão Max Schmelling, em 1938. Essa luta foi uma revanche de dois anos antes, quando Louis sofreu uma das piores derrotas de sua carreira para ele. Ganhou também contornos políticos depois que Hitler utilizou a vitória de Max como propaganda do nazismo, provando que a raça ariana era superior. No fim, Louis venceu e manteve o seu título de campeão mundial.Deixou os combates por dois anos. Quando voltou a calçar as luvas, Louis fez dez combates na tentativa de reconquistar o título mundial. O lutador conseguiu oito vitórias, mas perdeu para Ezzard Charles,  em 1950, e anunciou que não lutaria mais. No ano seguinte, porém, enfrentou Rocky Marciano e foi nocauteado de novo. "Sou seu fã", disse Marciano, após o combate. O motivo pelo qual Joe lutou com Rocky Marciano foi o fato de estar tendo problemas financeiros em consequência de um golpe bancário aplicado pelo sócio de seu empresário. Nos anos seguintes, Joe Louis virou árbitro de lutas e consumiu muita cocaína,  tendo sido hospitalizado para tratamento. Ele também esteve internado para tratamento de distúrbios nervosos. Começou a ter alucinações de que a Mafia  estaria tentando matá-lo com gás venenoso. Certa vez, ao entrar num quarto de hotel,  ele tapou todas as entradas de ar com maionese. Chegava a montar uma barraca em cima da cama para se sentir mais protegido.Ele morreu aos 66 anos, de ataque cardíaco.

Max Schmeling é um filme biográfico alemão 2010 dirigido por Uwe Boll. O filme conta a história de boxe ícone alemão Max Schmeling. Foi lançado no exterior, sob o título Max Schmeling: Punho do Reich.
Maximillian Adolph Otto Siegfried Schmeling (28/09/1905- 2/2/2005) foi um pugilista alemão. Foi Campeão mundial dos pesos-pesados entre 1930 e 1932. Durante o auge de sua carreira foi usado por Hitler como parâmetro para provar a supremacia da raça ariana. Seu ranking foi: Total de lutas 70, Vitórias 56, Vitórias por nocaute 40, derrotas 10 e Empates 4. Em 1921 ele começou a interessar-se pelo boxe  e passou a treinar como pugilista amador. Em 1924 ganhou seu primeiro título como pugilista profissional meio-pesado. Em 1928 torna-se campeão alemão de pesos pesados. Em 1933 casa-se com a atriz tcheca de origem judaica Anny Ondra.Em 19 de junho de 1936 com Adolf Hitler no poder, derrotou o pugilista americano Joe Louis. Os nazistas transformaram o evento em propaganda dos seus ideais. Nos anos 30 era frequentemente visto ao lado de Hitler e outros membros importantes do partido. Os nazistas persuadiram Schmeling a convencer o Comitê Olímpico Norte- americano  a não boicotar as Olimpíadas de Berlim de 1936.No entanto o pugilista sempre recusou ingressar no Partido Nazista ou demitir seu agente judeu, o norte-americano Joe Jacobs. Em 1938, perdeu a luta de revanche contra Joe Louis, transmitida para toda Europa e EUA; na luta Max teve uma vértebra e um rim lesionados; os nazistas interromperam a transmissão em território alemão.No final de 1938, a SS descobriu que Max era colaborador de refugiados judeus; o boxeador havia ajudado na fuga para os EUA, os irmãos Werner e Henri Lewin, filhos de seu amigo David Lewin. Quando a guerra começou em 1939, Schmeling foi recrutado pelos nazistas como pára-quedista em missões perigosíssimas. Após o término da 2ª Guerra em 1945, ele estava na pobreza e mantinha o estigma de ídolo dos nazistas, lutando profissionalmente até 1948.Em 1954, montou uma franquia da Coca-Cola na Alemanha e enriqueceu. Em 1977 publicou sua autobiografia.Max Schmeling e Joe Louis tornaram-se amigos; quando em 1981 Louis morreu na pobreza, Max pagou pelo seu funeral. Em 1989, um dos irmãos judeus salvos por Schmeling, Henri Lewin (agora empresário hoteleiro em Las Vegas -EUA) revelou a participação do pugilista na sua fuga da Alemanha. Manteve-se casado com Anny Ondra até sua morte em 1987, mas nunca tiveram filhos.
Joe and Max (2002) filme biográfico sobre os obstinados competidores que se tornaram amigos fora do Ring.

O Bom Filho: A Vida de Ray Boom Boom Mancini. (2013)
O resultado de 1982 disputa pelo título entre Ray "Boom Boom" Mancini e Duk Koo Kim é examinada.
Kim Duk-Koo (08 de janeiro de 1955 - 18 de novembro de 1982) foi um boxeador sul-coreano que morreu após uma luta de boxe campeonato mundial contra Ray Mancini. Sua morte provocou uma série de reformas no esporte destinada a proteger melhor a saúde dos lutadores, incluindo a redução do número de rodadas em ataques do campeonato 15-12.
Kim nasceu em Gangwon, Coréia do Sul, a 100 milhas a leste de Seul, o caçula de cinco filhos. Seu pai morreu quando ele tinha dois anos e sua mãe casou-se três vezes mais. Kim cresceu pobre. Ele trabalhou biscates como um menino-que brilha sapato e um guia de turismo antes de entrar em boxe em 1976.
Ray "Boom Boom" Mancini (nascido Raymond Michael Mancini; 04 de março de 1961) é um boxeador aposentado americano. Ele segurou o campeonato leve Associação Mundial de Boxe de 1982 a 1984. Mancini herdou o apelido característico de seu pai, boxeador veterano Lenny "Boom Boom" Mancini, que lançou as bases para a carreira de seu filho.
Mancini é parte da classe de 2015 para o Boxe Internacional Hall of Fame.


Foxcatcher - Uma História que Chocou o Mundo  é um filme americano de 2014, dirigido por Bennett Miller e estrelado por Steve Carrel, Mark Ruffalo e Channing Tatum.
Docudrama sobre milionário John Du Pont e sua relação com os irmãos Dave e Mark Schultz que treinam em seu estado. Mark inicialmente idolatra du pont, mas aos poucos percebe as profundezas da loucura de seu benfeitor.
                                        Steve Carell como John Eleuthère du Pont
John du Pont (22 de novembro, 1938- 9 dezembro de 2010) era um filantropo americano e herdeiro da fortuna da família Du Pont, que em 1996 assassinou lutador e vencedor de medalha de ouro olímpico Dave Schultz. Ele era um ornitólogo,  filantropo,  entusiasta dos esportes, e treinador com estilo próprio em luta de corpo a corpo. Em 1972 John fundou e dirigiu o Museu Delaware de História Natural e contribuiu para Villanova University e outras instituições.
Na década de 1980, ele estabeleceu uma academia de luta livre em sua fazenda foxcatcher  após tornar-se interessado no esporte e os eventos de pentatlo.

Ele se tornou um proeminente defensor para esportes amadores nos Estados Unidos e um patrocinador para luta americana. Na década de 1990, amigos e conhecidos estavam preocupados sobre seu comportamento errático e paranóico, mas sua riqueza blindado ele. Em 25 de fevereiro de 1997, ele foi condenado por assassinato em terceiro grau em 26 de janeiro de 1996, disparando morte de Dave Schultz, um campeão olímpico de estilo livre de luta, vivia e trabalhava na propriedade de John. Ele foi governado ter sido mentalmente doente, mas não insano e foi condenado à prisão por 13 a 30 anos. Ele morreu na prisão aos 72 anos em 09 de dezembro de 2010. Ele foi o único membro da Forbes 400 americanos mais ricos a ser condenado por assassinato.
www.forbes.com/.../americas-richest-families-walton-rockefeller-d.
                                         Channing Tatum como Mark Schultz 
Mark Philip Schultz (nascido em 26 outubro de 1960) é um olimpíada americano e 2 vezes campeão mundial de estilo livro de luta.
                                                   Mark Ruffalo como Dave Schultz
David Leslie "Dave" Schultz (6 de junho de 1959 - 26 de janeiro de 1996) foi um olímpico americano e campeão mundial de estilo livre  wrestler, sete vezes Mundial e medalhista olímpico. Ele treinou indivíduos e equipes a nível de faculdade e também privada.

Empresários do Boxe

Contra Tudo e Contra Todos - Against the Ropes (2002)
A história é um relato ficcional da empresária de boxe americano Jackie Kallen (nascida Jackie Kaplan,  23 de abril de 1946) é uma das primeiras e mais bem sucedidas gerentes do sexo feminino do boxe, e foi a primeira mulher a se tornar um sucesso no esporte. Jackie tem um pequeno papel no filme, interpretando uma repórter, e algumas linhas na cena em que  à imprensa entrevista os personagens principais.
Don King: O Rei Do Box - Don King Only in America (1997)
O filme foi baseado no livro Only in America: The Life and Crimes de Don King por Jack Newfield. 
O filme é estrelado pelo ator Ving Rhames como Don King e conta a história de:
Donald "Don" King (nascido em 20 de agosto de 1931) é um promotor de boxe americano cuja carreira de destaques incluem a promoção "The Rumble in the Jungle" e "Thrilla in Manila".  King tem promovido alguns dos nomes mais proeminentes no boxe, incluindo Muhammad Ali, Joe Frazier, George Foreman, Larry Holmes, Mike Tyson, Evander Holyfield, Julio César Chávez, Ricardo Mayorga, Andrew Golota, Bernard Hopkins, Félix Trinidad, Roy Jones, Jr. e Marco Antonio Barrera. Quase todos eles processou-o por fraudar-los; King resolveu a maioria dos processos por recompensa-los com pagamento de seis a oito dígitos ,  para evitar uma acusação de fraude ou tempo na prisão