Google+ Badge

Saturday, September 5, 2015

O Meu Mestre Joel Rufino

O que mais me da prazer na vida é a leitura, eu amo ler. Quando adolescente minha mãe não entedia porque eu gastava todo meu dinheiro com a compra de livros, e ela sempre me imitava como eu dormia todos os dias, as mãos no gesto de quem deixou o livro acabar de cair no chão.
A leitura me trouxe muitos amigos e mestres que nunca souberam de minha existência, que não tiveram a ideia de como influenciaram o meu pensamento, a minha visão de mundo e a minha vida.

Eu me encontrei pela primeira vez com o mestre Rufino, ainda adolescente,numa pequena reunião de seis pessoas, num bairro periférico da Cidade do interior paulista Piracicaba. O bairro era Parque da Americas, mas conhecido como Balbo.
Eu fui apresentado a ele por uma mulher fantástica que no futuro iria se tornar vereadora da cidade a D. Ivete.
Ela me deu de presente o livro: O Que é Racismo.

Ao ler eu descobri que  varias experiencias que eu havia experienciado, outros também tinham experienciado e estas experiencias tinha um nome: Racismo.
Ele abriu a porta de algo que eu desconhecia intelectualmente, depois dele vieram outros mestres, uns de outras línguas. Mas como diz o sábio ditado popular: "o primeiro a gente nunca esquece!"

E eu continuei aprendendo com este mestre com os livros : Zumbi, Abolição e Atras do Muro da Noite: Dinâmica das Culturas Brasileiras. 

Em 1992 eu criei um pequeno museu no meu espaço comercial, onde eu coloquei alguns dos seus livros infantis para que outras crianças encontrasse um mestre como eu encontrei, sinceramente eu não sei se alguém encontrou, mas a dona Ivete morreu sem saber a importância que ela teve em minha vida por ter me apresentado este mestre.
Mas eu espero que alguém se lembre de mim com alguém que abriu a porta para eles encontrarem um grande mestre.

E falando de morte, a morte me trouxe outra tristeza, a morte de Joel Rufino. Eu não posso dizer que estou triste porque ele morreu, porque vários mortos já se comunicaram comigo, e por isso eu sei que a vida é eterna. A morte é uma pequena viagem, uma oportunidade para recomeçar, uma mudança de sintonia.
Eu estou triste porque eu nunca deixei ele saber como ele foi importante para mim, ele abriu um novo caminho em minha vida.
Porque eu nunca escrevi uma cartinha? Porque com a internet eu nunca procurei o contato dele para simplesmente dizer uma palavrinha: Obrigada.
Agora eu não posso mais dizer a ele a importância que ele teve para mim, que a vida dele não foi em vão. Que uma semente ele plantou, talvez varias, talvez você também foi uma semente da intelectualidade dele, talvez não.
Para você que nunca ouviu falar da existência deste mestre eu vou lhe contar um pouquinho. O seu nome era Joel Rufino dos Santos , ele morreu e nasceu no Rio de Janeiro. Ele morreu neste mês de 2015 com 74 anos. A sua vida começou em 1941, quando adulto ele foi exilado por suas ideias politicas pelo regime ditatorial vigente no Brasil na época, ele morou na Bolívia, mas saudade apertou e ele voltou sendo preso em 1973.
Porem tivemos a sorte de não perde-lo, e como escritor ele tem uma extensa obra publicada: livros infantis, didáticos, paradidáticos e muitos livros imperdíveis.


Na televisão ele colaborou com as miniseries:  Abolição e a Republica da TV Globo.

Mas ainda bem que o seu trabalho foi reconhecido, ele ganhou varias vezes o Premio Jabuti da Literatura.