Google+ Badge

Monday, November 16, 2015

Che Guevara e Zapata

Revolucionários Latinos No Cinema.
Diários de Motocicleta  é um filme de drama biográfico de 2004 produzido pela Argentina, Brasil, Chile, Reino Unido, Peru, Estados Unidos, Alemanha, França, com direção de Walter Salles e escrito pelo dramaturgo porto-riquenho José Rivera. A produção é sobre a viagem e livro de memórias escrito por Ernesto Guevara de 23 anos de idade.
O filme narra a expedição de 1952, inicialmente por moto, em toda a América do Sul por Guevara e seu amigo Alberto Granado. Como a aventura, inicialmente centrada em torno de hedonismo juvenil, se desenrola, Guevara se descobre transformado por suas observações sobre a vida do campesinato indígena empobrecido. Através dos personagens que eles encontram em sua jornada continental, Guevara e Granado testemunham em primeira mão as injustiças que o rosto destituído e estão expostos a pessoas e classes sociais que eles nunca teriam encontrado de outra forma. Para sua surpresa, a estrada apresenta-lhes tanto uma imagem verdadeira e cativante da identidade latino-americana. Como resultado, a viagem também planta a semente inicial de dissonância cognitiva e radicalização dentro de Guevara, que supostamente viria a ver a revolução armada como forma de combater as desigualdades econômicas endêmicas do continente.
O roteiro é baseado principalmente no livro de mesmo nome de Guevara de literatura de viagem, com um contexto adicional fornecido pelo "Traveling with Che Guevara: The Making of a Revolutionary" por Alberto Granado. Guevara é interpretado por ator mexicano Gael García Bernal  e Granado pelo ator argentino Rodrigo de La Serna, que coincidentemente é um primo de segundo grau na vida real de Guevara em seu lado maternal.


Che! (1969) é um filme americano estrelado por Omar Sharif  como "Che" Guevara. Daqui decorre Guevara a partir de quando ele desembarcou pela primeira vez em Cuba, em 1956, até sua morte na Bolívia em 1967. O filme foi dirigido por Richard Fleischer.
O filme conta a história de Che Guevara (Omar Sharif), um jovem médico argentino que prova sua coragem durante a guerra de guerrilha cubana no final de 1950. Ele ganha o respeito de seus homens e se torna o líder de uma patrulha.
Fidel Castro (Jack Palance) está impressionado com táticas e disciplina de Guevara e faz dele o seu principal conselheiro. Quando Castro derrota ditador cubano Batista após dois anos de luta, Guevara dirige uma série de represálias maciças, ainda, Guevara sonhos de fomentar uma revolução mundial. Depois Castro recua durante a crise dos mísseis de Cuba, Guevara Castro acusa de ser uma ferramenta Soviética e decide deixar Cuba, e viaja para Bolívia, onde ele tenta começar seu sonho de uma revolução camponesa em todo o mundo, mas os camponeses bolivianos não seguem sua liderança e ele torna-se perseguido pelo Exército boliviano.


Che (2008 ) foi dirigido por Steven Soderbergh, . Ao invés de seguir uma ordem cronológica padrão, os filmes oferecem uma série de momentos oblíquo intercalados ao longo da linha do tempo geral.
Estrelado por Benicio del e Toro como Che.
Parte Um é intitulada A Argentina e centra-se na Revolução Cubana a partir do desembarque de Fidel Castro, Guevara e outros revolucionários em Cuba para sua derrubada sucesso da ditadura de Fulgencio Batista dois anos depois. A segunda parte centra-se na  Guerrilha e  na tentativa de Guevara para levar a revolução à Bolívia e ao seu falecimento.
Ernesto Guevara de la Serna, conhecido como "Che" Guevara ( 14 de junho de 1928—  9 de outubro de 1967), foi um guerrilheiro, político, jornalista, escritor e médico argentino-cubano.
Che foi um dos ideólogos e comandantes que lideraram a Revolução Cubana (1953-1959) que levou a um novo regime político em Cuba. Ele participou desde então, até 1965, da reorganização do Estado cubano, desempenhando vários altos cargos da sua administração e de seu governo, principalmente na área econômica, como presidente do Banco Nacional e como Ministro da Indústria, e também na área diplomática, encarregado de várias missões internacionais.
Convencido da necessidade de estender a luta armada revolucionária a todo o Terceiro Mundo, Che Guevara impulsionou a instalação de grupos guerrilheiros em vários países da América Latina. Entre 1965 e 1967, lutou no Congo e na Bolívia, onde foi capturado e assassinado de maneira clandestina e sumária pelo exército boliviano, em colaboração com a CIA, em 9 de outubro de 1967.
A sua figura desperta grandes paixões, a favor e contra, na opinião pública, e converteu-se em um símbolo de importância mundial. Foi considerado pela revista norte-americana Time uma das cem personalidades mais importantes do século XX. Para muitos dos seus partidários, representa a rebeldia, a luta contra a injustiça social e o espírito incorruptível. Em contrapartida, muitos dos seus detratores o consideram como um criminoso, responsável por assassinatos em massa, e acusam-no de má gestão como ministro da Indústria.
Seu retrato fotográfico, obra de Alberto Korda, é uma das imagens mais reproduzidas do mundo e um dos ícones do movimento contracultural. Tanto a fotografia original como suas variantes, algumas apenas com o contorno do seu rosto, têm sido intensamente reproduzidas, para uso simbólico, artístico ou publicitário.
Fidel Alejandro Castro Ruz (nascido em 13 de agosto de 1926) é um político e revolucionário cubano que serviu como primeiro-ministro da República de Cuba 1959-1976 e, em seguida, presidente de 1976 a 2008. Politicamente um marxista-leninista e nacionalista cubano, ele também serviu como o primeiro secretário do partido Comunista de Cuba de 1961 até 2011. Sob sua administração Cuba se tornou um estado socialista de partido único; indústria e negócios foram nacionalizados e reformas socialistas estatais foram implementadas em toda a sociedade. Internacionalmente, Castro foi o secretário-geral do Movimento dos Não-Alinhados 1979-1983 e 2006-2008.



Viva Zapata ( 1952) com Marlom Brando
A história do revolucionário mexicano Emiliano Zapata, que liderou uma rebelião contra a ditadura corrupta, opressivo do presidente Mexicano no início do século 20.
Emiliano Zapata Salazar ( 08 de agosto de 1879 - 10 de abril de 1919) foi uma figura importante na Revolução Mexicana, a principal líder da revolução, e a inspiração do movimento agrário chamado zapatismo.
Zapata nasceu numa aldeia rural  de camponeses que estavam sob a pressão crescente da pequena classe latifundiária que monopolizavam os recursos da terra e da água para a produção de cana-de-açúcar, com o apoio do ditador Porfirio Díaz ( 15 de setembro de 1830 — Paris, 1 de julho de 1915).
                                                  Porfirio Díaz
 Zapata cedo participou de movimentos políticos contra Diaz e os fazendeiros proprietários de terras, e quando a Revolução eclodiu em 1910, ele foi posicionado como um líder central da revolta camponesa em Morelos. Cooperando com uma série de outros líderes camponeses ele formou o Exército de Libertação do Sul do qual ele logo se tornou o líder indiscutível.
As forças de Zapata contribuiu para a queda de Díaz, derrotando o Exército Federal na Batalha de Cuautla, mas quando o líder revolucionário Francisco Ignacio Madero González ( 30 de outubro de 1873 — 22 de fevereiro de 1913) foi um latifundiário e político mexicano. se tornou presidente, ele desmembrou o papel dos zapatistas, denunciando-os bandidos como simples.
Em novembro de 1911, Zapata promulgou o Plano de Ayala que apelou a reformas substanciais de terra, redistribuindo terras aos camponeses. Francisco enviou o Exército Federal para acabar com os zapatistas em Morelos.
Os generais de Francisco queimou vilas e a remoção forçada de seus habitantes, enviando muitos homens para o Exército ou para campos de trabalho forçado no sul do México.
Isso fortaleceu a posição de Zapata entre os camponeses.
Em um golpe contra Francisco, em fevereiro de 1913, José Victoriano Huerta Márquez ( 22 de dezembro de 1850 -  13 de janeiro de 1916) assumiu o poder no México, mas uma coalizão de forças constitucionalistas no norte do México  liderada por: Francisco Sebastián Carvajal y Gual ( 9 de Dezembro de 1870 -  20 de Setembro de 1932)  Álvaro Obregón e Francisco Villa deposto lhe em julho de 1914 com o apoio das tropas de Zapata.
Venustiano Carranza Garza (29 de Dezembro de 1859 - ,21 de Maio de 1920), foi um dos líderes da Revolução Mexicana. Acabaria por tornar-se presidente do México e foi durante o seu mandato que a atual constituição do México entrou em vigor.
 Zapata não reconhecer a autoridade que Carranza a como líder do movimento revolucionário, continuando sua adesão ao Plano de Ayala.

No rescaldo da vitória dos revolucionários sobre Huerta, eles tentaram resolver as relações de poder na Convenção de Aguascalientes.

Zapata e Pancho Villa ( 5 de junho de 1878 — 23 de julho de 1923), pseudônimo de José Doroteo Arango, rompeu com Carranza; e México entrou em guerra civil entre os vencedores. Consternado com a aliança com Villa, Zapata focado suas energias na reconstrução da sociedade em Morelos que agora controlada, que iniciou a reforma agrária do Plano de Ayala.
 Carranza consolidou seu poder e derrotou Villa em 1915, Zapata iniciou a guerra de guerrilha contra os carrancistas, que por sua vez invadiram Morelos, empregando táticas de terra mais uma vez chamuscadas para expulsar os rebeldes zapatistas. Zapata mais uma vez retomou Morelos em 1917 e realizou a maior parte do Estado contra as tropas de Carranza, até que ele foi morto em uma emboscada em abril de 1919.Em 9 de abril de 1919 o general Jesús Guajardo convidou Zapata para um encontro, fingindo simpatizar com a causa zapatista. Quando Zapata o encontrou, entretanto, Guajardo disparou diversas vezes contra ele; a seguir, entregou o corpo do chefe revolucionário em troca da recompensa oferecida (na verdade, metade do que havia sido oferecido).
Após a morte de Emiliano Zapata, o Exército de Libertação do Sul começou a desintegrar-se, desaparecendo depois que uma rebelião comandada por Obregón depôs Carranza. As conquistas de Zapata no estado de Morelos foram aos poucos desaparecendo também.
Depois de sua morte generais zapatistas alinhado com Álvaro Obregón Salido ( 19 de fevereiro de 1880 –  17 de julho de 1928) foi presidente do México entre 1920 e 1924. contra Carranza e ajudou a tirar Carranza do poder. Em 1920 zapatistas conseguiram obter postos poderosos no governo de Morelos após a queda de Carranza. Eles instituirão muitas das reformas agrárias previstas por Zapata em Morelos.

Mas, poucos anos após a morte de Zapata, o presidente Lázaros Cárdenas del Río (21 de Maio de 1895 - Cidade do México, 1970) foi um militar, político e estadista mexicano que ascendeu à Presidência do México entre os anos de 1934 e 1940. É considerado como um dos presidentes mais populares da histórias do seu país finalmente conseguiu promover uma reforma agrária nacional no ano de 1934.
O legado de Zapata permanece vivo ainda hoje, particularmente entre os grupos revolucionários do sul do México. Disse ele uma vez: "É melhor morrer de pé do que viver de joelhos". O Movimento zapatista e seu Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN) são diretamente inspirados na história e nas ações de Zapata.