Google+ Badge

Saturday, January 30, 2016

O Que Aprendi com Reminiscências de um Especulador Financeiro

No livro "Reminiscências de um especulador financeiro",  Edwin Lefèvre (1871-1943),  um americano jornalista, escritor e diplomata mais conhecido por seus escritos sobre negócios de Wall Street; conta a história de Jesse Livermore  (26 de Julho de 1877 - 28 de Novembro de 1940), embora ele não mencione o nome do personagem narrador.

Jesse foi considerado por muitos o melhor especulador da sua época ou mesmo de todos os tempos, embora não tenha sido a primeira celebridade do mundo da especulação, foi o mais famoso de seu tempo. é o maior ícone da história de Wall Street. Saiu de casa aos 14 anos, com 5 dólares no bolso, e foi trabalhar numa corretora. Graças a seu notável talento natural, em pouco tempo se tornou um dos investidores mais bem sucedidos da história. Em 1907 reuniu uma fortuna de 3 milhões de dólares. Antes da quebra da bolsa de Nova Iorque (algumas fontes afirmam que após a quebra da Bolsa é que alcançou esta fortuna), em 1929, ele tinha 100 milhões, o que o situava entre os homens mais ricos do mundo na época. Ao longo de sua vida, conquistou e perdeu 4 vezes fortunas multimilionárias. Em novembro de 1940, suicidou-se.
Mesmo após sua última perda, no ano de sua morte, ainda deixou à seus herdeiros 1 patrimônio líquido equivalente à 5 milhões de dólares em valores da época. Assim, considerando tanto o bilhete deixado supostamente por ele e revelado então pela polícia, como os consideráveis ganhos que havia obtido durante a Primeira Guerra Mundial e as oportunidades de lucro nos mercados que a Segunda Guerra Mundial, que então se iniciava, oferecia; mais indícios de que sofria de depressão, doença não plenamente identificada naquele tempo.
Como diz Charlie Munger a economia é feita de emoções.

Primeira Lição: Conheça as suas emoções, e se torne a capitã/capitão das suas emoções
Quando o mercado esta contra você, você espera que cada dia seja o ultimo dia, e você  perde mais do que você poderia perder. E quando o mercado esta a seu favor você fica com medo e no próximo dia você tirara o seu lucro, e você sai do jogo muito rápido. O medo não te permite fazer a quantidade de dinheiro que você deseja fazer.
Em vez de esperança você deveria ter medo, em vez de temer você deveria ter esperança. É  absolutamente errado jogar com ações como o homem mediano joga.
Uma pessoa pode possuir uma mente original e um habito de pensar independente ao longo da vida, mas mesmo assim ser vulnerável a ataques  de uma personalidade persuasiva.
A pessoa tem que estar bastante imune as comuns doenças especulativas, como a esperança, a ganancia e o medo.
E como ele acabou se suicidando, você entende que dominar as emoções não é algo tão fácil. Eu sugiro que você faça alguns curso dos exercícios do teatro do oprimido criado por Augusto Boal.
Segunda Lição: Seja o seu Próprio Mestre
Um  jovem perguntou ao Warren Buffet, quem ele consultava, quando ele tinha um problema a resolver, ele respondeu.
" Eu me consulto com o espelho."
Uma pessoa desculpa os seus erros somente capitalizando-os para o subsequente lucro, a notável plausibilidade não vem do fato de que ela primeiro se convence de forma tão completa quanto a adquirir, assim um  um grande poder de convencer os outros.
Uma pessoa não pode ser convencida contra suas próprias convicções, mas ela pode ficar em estado de incerteza e indecisão, o que é ainda pior, pois significa que ela não pode negociar com confiança e conforto.
Eu comecei apenas jogando o jogo de outro homem. Custou me milhões para aprender, que um inimigo perigoso para o negociante é sua suscetibilidade aos apelos de uma personalidade magnética, plausivelmente expressa por uma mente brilhante.
As pessoas que pegam dicas são como os bêbados, que não podem resistir ao desejo de sempre olhar essas dicas que consideram indispensáveis para a felicidade.
É muito fácil abrir nossos ouvidos para as dicas, para alguém nos dizer exatamente qual o próximo passo  poderoso que deve ser dado para o cumprimento do desejo do nosso coração, que nos fara feliz, de tal modo que possamos facilmente obedecer, a próxima melhor coisa a fazer para sermos felizes.
Terceira Lição: Deixe as Pessoas Livres Para Agirem com Desejam
Eu nunca dou dicas a ninguém.
Vamos supor que eu diga a pessoas mediana; " Venda cinco mil ações de ferro." Ela poderá fazer isso imediatamente. Porem se eu lhe dizer, que eu sou muito pessimista em relação a todo o mercado e dar-lhe minha razão em detalhes, ela encontrara dificuldades em me escutar e depois que eu terminar de falar. Ela simplesmente olhara para mim, pensando que eu desperdicei o tempo dela por expressar os meus pontos de vista sobre as condições gerais em vez de dar-lhe uma dica direta e especifica, como um real filantropo de real dicas. Este tipo que gosta de colocar milhões no bolso dos amigos, conhecidos e estranhos é tão abundante na Wall Street e proferem igualmente.
Quarta Lição: Estude Permanentemente
O sábio negociador nunca para de estudar  as condições gerais, para manter o controle sobre o desenvolvimento em todos os lugares que provavelmente afetara ou influenciara o curso de vários mercados. A Wall Street faz o dinheiro baseado em matemática. Ela faz o dinheiro lidando com fatos e figuras.
Quinta Lição: Poupe Dinheiro Para Investir, Sem Contar Com Retorno
A esperança de fazer o mercado de ações pagar as suas contas é uma das fontes mais prolificas  de perdas em Wall Street.
Sexta Lição: A Realidade do Mercado
Uma pessoa pode bater uma ação ou um grupo em determinado momento, mas nenhuma pessoa viva pode bater um mercado de ações. Uma pessoa pode vencer uma corrida de cavalos, mas ela não pode vencer a corrida de cavalos.

Outro livro, este escrito pelo próprio Jesse Livermore, recentemente traduzido para português europeu (ver ligações externas), "How to Trade in Stocks" (Como Negociar Ações), publicado no ano de sua morte, que à época de seu lançamento não foi bem recebido, hoje é 1 obra considerada por traders de todo o mundo como mais um clássico do gênero que resume tanto a psicologia, como a filosofia e conceitos fundamentais não apenas sobre negociação com ações, mas com ativos de papel
de um modo geral nos mercados financeiros.

www.estantevirtual.com.br/autor/edwin-lefevre