Friday, March 4, 2016

Escultores Famosos em Imperdíveis Filmes Biográficos


1- Escultor Aleijadinho 


O Aleijadinho: Paixão, Glória e Suplício (2003) é um filme dirigido por Geraldo Santos Pereira.  A história do escultor mineiro Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, acompanhando sua vida e sua formação artística e cultural. O filme mostra o relacionamento com a escrava Helena, os conflitos políticos com o pai, um arquiteto português, a sua amizade com o inconfidente Cláudio Manuel da Costa e a doença que o deixou deformado, mas não conseguiu impedi-lo de trabalhar.
Elenco: Maurício Gonçalves .... Aleijadinho
Maria Ceiça .... Helena
Ruth de Souza .... Joana Lopes
Carlos Vereza .... Cláudio Manoel da Costa
Edwin Luisi .... Manoel Francisco Lisboa



O Aleijadinho (1978). Dirigido por Joaquim Pedro de Andrade


O filme mostra o relacionamento com a escrava Helena, os conflitos políticos com o pai, um arquiteto português. 
A sua amizade com o inconfidente Cláudio Manuel da Costa e a doença que o deixou deformado, mas não conseguiu impedi-lo de trabalhar.


1-  Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho ( 29 de agosto de 1730 ou 1738 — 18 de novembro de 1814) foi um importante escultor, entalhador e arquiteto do Brasil colonial. Toda sua obra, entre talhas, projetos arquitetônicos, relevos e estatuária, foi realizada em Minas Gerais, especialmente nas cidades de Ouro Preto, Sabará, São João del-Rei e Congonhas. Os principais monumentos que contém suas obras são a Igreja de São Francisco de Assis de Ouro Preto e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos. Com um estilo relacionado ao Barroco e ao Rococó, é considerado pela crítica brasileira quase em consenso como o maior expoente da arte colonial no Brasil e, ultrapassando as fronteiras brasileiras, para alguns estudiosos estrangeiros é o maior nome do Barroco americano, merecendo um lugar destacado na história da arte do ocidente.



2- Escultor Auguste Rodin e 3- Escultora Camille Claudel 

Camille Claudel é um filme francês de 1988, baseado no livro de Reine-Marie Paris, neto do irmão de Camille, o poeta e diplomata Paul Claudel. Dirigido por Bruno Nuytten, co-produzido por Isabelle Adjani, que estrelou com Gérard Depardieu.
O filme narra a vida conturbada da escultora Camille  e seu lendário longo relacionamento com o escultor Auguste Rodin. Começando na década de 1880 com sua primeira reunião com Claudel.
O crescimento dessa relação coincide com a ascensão da carreira de Claudel, ajudando-a a superar preconceitos contra artistas do sexo feminino.
obra de Camille
No entanto, seu romance  rapidamente azeda, devido às crescentes pressões da fama de Rodin e seu amor por outra mulher. 

Estas dificuldades combinadas com suas crescentes dúvidas sobre o valor de suas obras leva Claudel em um tumulto emocional que ameaça tornar-se insanidade.

                                                                             Esculturas de Camille
Camille Claudel (08 de dezembro de 1864 - 19 de outubro de 1943) foi uma escultora francêsa e artista gráfica.

François Auguste Rodin René (12 de novembro de 1840 - 17 de novembro de 1917), era um escultor francês. Apesar dele  geralmente ser considerado o progenitor da escultura moderna. Ele desejava o reconhecimento acadêmico,  embora ele nunca foi aceito na escola mais importante da Paris de arte.


4- Escultor Henri Gaudier-Brzeska

 O Messias Selvagem - Savage Messiah (1972) é um filme britânico  da vida do escultor Henri Brzeska. Dirigido e produzido por Ken Russell, baseado no livro Savage Messiah por H. S. Ede. Grande parte do conteúdo do livro  veio de cartas enviadas entre Henri Gaudier-Brzeska e sua amante Sophie Brzeska.
Henri Gaudier-Brzeska (04 de outubro de 1891 - 05 de junho de 1915) era um artista e escultor francês que desenvolveu um estilo tosco, primitivo de carving direto.
 Em 1910, mudou-se para Londres para se tornar um artista, mesmo que não tivesse nenhum treinamento formal. Com ele veio a escritora polaca Sophie Brzeska (8 de junho de 1872 - 17 de março de 1925) com quem se encontrou na Bibliothèque Sainte-Geneviève, em Paris, e com quem iniciou uma relação intensa, anexando seu sobrenome, embora nunca se casou.
 Depois de ser  influenciado por Jacob Epstein, em 1912, ele começou a acreditar que a escultura deveria deixar para trás o estilo altamente acabado, polido da Grécia antiga e abraçar uma escultura direta mais terra, em que as marcas de ferramenta são deixadas visíveis no trabalho final como uma impressão digital do artista. Abandonando seu fascínio cedo para Auguste Rodin, ele começou a estudar obras de arte  situadas no British Museum e o Victoria and Albert Museum. Como ele era incapaz de pagar as matérias-primas necessárias para tentar projetos na escala de peças influenciadas indianos e assírios de Epstein, ele se concentrou inicialmente em gêneros escultura miniaturista como netsuke japonês antes de desenvolver um interesse no trabalho da África Ocidental e as ilhas do Pacífico. 
Em 1913, ele ajudou com as ilustrações do livro de Haldane Macfall O Splendid Wayfaring. E conheceu Alfred Wolmark, o artista judeu e modelou um busto de bronze do jovem artista, e os dois continuaram amigos.
O estilo de desenho de Gaudier-Brzeska foi influenciado pela caligrafia chinesa e poesia que ele descobriu no "Ezuversity", lócus não oficial de Ezra Pound de ensino. interação de Pound com o trabalho de Ernest Fenollosa sobre os chineses trouxeram o jovem escultor para as galerias de arte oriental, onde estudou o ideograma e aplicou-o à sua arte. Gaudier-Brzeska tinha a capacidade de sugerir, com alguns cursos hábeis, o ser de um sujeito. Seus desenhos também mostram a influência do cubismo.
No início da Primeira Guerra Mundial, ele se inscreveu no exército francês. Ele parece ter lutado com pouca consideração por sua própria segurança, recebendo uma decoração por bravura antes de ser morto nas trincheiras. 


No comments:

Post a Comment