Friday, May 13, 2016

O Budismo Revelado em Filmes Biográficos

1- O Budismo Chinês ou Budismo Han moldou a cultura chinesa em uma ampla variedade de áreas, incluindo arte, filosofia, literatura, medicina, política e cultura material.
A tradução de um grande corpo de escrituras budistas indianas para o chinês e a inclusão dessas traduções junto com obras taoístas e confucionistas compostas na China em um cânone impresso teve implicações de longo alcance para a disseminação do budismo em toda a esfera cultural do Leste Asiático, incluindo  Coréia, Japão, Taiwan e Vietnã. O budismo chinês também é marcado pela interação entre a religião popular indiana e chinesa.

Avalokitesvara - Bu Ken Qu Guan Yin (literalmente "o Guanyin, que se recusa a sair") (2013) é um filme religioso chines baseado em uma lenda sobre como Monte Putuo na província de Zhejiang da China tornou-se conhecido como o Bodhimanda do bodhisattva Avalokiteśvara, que é mais conhecida em chinês como "Guanyin". O filme foi dirigido por Zhang Xin.

2- Budismo Coreano
O budismo coreano consiste principalmente na linhagem Seon, representada principalmente pelas Ordens Jogye e Taego. O Seon coreano tem um forte relacionamento com outras tradições Mahayana que trazem a marca dos ensinamentos Chan, bem como o Zen intimamente relacionado. Outras seitas, como o renascimento moderno da linhagem Cheontae, a Ordem Jingak (uma seita esotérica moderna) e a recém-formada Won, também atraíram seguidores consideráveis.

Mandala (1981) é um filme da Coreia do Sul sobre os monges budistas na Coréia. Diretor Im Kwon-taek. O filme segue a vida de dois monges budista na Koreia. Ao seguir suas vidas e interação durante o filme, o diretor Im cria uma contemplação da natureza do individualismo, a fé religiosa e iluminação.

3- Budismo de Nichiren Daishonin






Nitiren Daishonin e a Grande Invasão Mongólia - Nichiren to Moko Dai- Shurai 
(1958) diretor Kunio Watanabe.
Nitiren  Daishōnin nascido Zennichimaro (16 de fevereiro de 1222 - 13 de outubro de 1282), foi um monge budista do Japão do século XIII. Fundou o budismo Nitiren, um importante segmento do budismo japonês que engloba dúzias de escolas de diversas interpretações doutrinárias.
Antes de falecer, deixou documentos transferindo seus ensinamentos a seu discípulo Nikko, que construiu um templo chamado de Templo Principal Taisekiji, a atual sede da Nichiren Shoshu.
  Nitiren Daishonin,  realizou o estabelecimento do Daimoku, orando pela primeira vez em voz alta, aos 32 anos de idade, no dia 28 de abril de 1253.
Em algumas escolas, notavelmente a Nitiren Shoshu e a Soka Gakkai (representada no Brasil pela Associação Brasil Soka Gakkai Internacional), foi alçado à condição de buda original da era de Mapô. Outras escolas, como a Nitiren Shu, o têm como patriarca mas seguem o Buda Saquiamuni.


Tina -  What's Love Got to Do with It (1993) é um filme americano dirigido por Brian Gibson sobre a vida da cantora de música pop Tina Turner. No elenco principal estão Angela Bassett e Laurence Fishburne, ambos indicados ao Oscar por suas performances.
Tina Turner nasceu Anna Mae Bullock (26/11/1939),  é uma atriz, autora, cantora e dançarina cuja carreira se estendeu por mais de meio século, ganhando-lhe amplo reconhecimento e inúmeros prêmios. Nascida e criada nos Estados Unidos, ela agora é uma cidadã suíça.

4- Budismo Tibetano

Sete Anos No Tibete - Seven Years in Tibet (1997) é um filme estadunidense dirigido por Jean-Jacques Annaud.
O alpinista Heinrich Harrer (6 de julho de 1912 – 7 de janeiro de 2006) foi um montanhista, investigador, geógrafo e escritor austríaco. Ele narra a  sua experiência no Tibete, quando tentava escalar um dos picos mais altos do Himalaia,  no período histórico (1943-1950) em que a recém-nascida República Popular da China propôs "libertar" o Tibete. no seu livro, transformado neste filme. 
A pequena nação protestou dizendo que já era livre, porém, com base no argumento de que o território tibetano era controlado por imperialistas internacionais, a China enviou o seu Exército Popular de Libertação e o pequeno contingente militar tibetano não resistiu. 
O Dalai Lama, líder secular e espiritual do país, então com 15 anos de idade, pediu - em vão - ajuda às Nações Unidas. 
O Dalai Lama é o título de uma linhagem de líderes religiosos  do budismo tibetano, em se tratando de um monge e lama, é reconhecido por todas as escolas do budismo tibetano. Também foram os líderes políticos do Tibete entre os séculos XVII até 1959. O Dalai Lama é também o líder oficial do governo tibetano em exílio, ou Administração Central Tibetana. "Lama" é um termo geral que se refere aos mestres budistas tibetanos. O atual Dalai Lama é muitas vezes chamado de "Sua Santidade" por ocidentais, embora este verbo de tratamento não exista no tibetano, não se tratando de uma tradução. Tibetanos podem referir-se a ele através de epítetos tais como Gyawa Rinpoche que significa "grande protetor", ou Yeshe Norbu, a "grande joia".
Acredita-se que o Dalai Lama seja a reencarnação de uma longa linha de tulkus, que optaram pela reencarnação, a fim de esclarecer a humanidade. 
 O Dalai Lama e Heirinch
O Dalai Lama é muitas vezes considerado o chefe da Escola Gelug, mas esta posição oficialmente pertence ao Ganden Tripa, que é uma posição temporária nomeada pelo Dalai Lama (que, na prática, exerce mais influência). Pode-se considerar que Sua Santidade é o "rei" do Tibet, que foi durante muito tempo um Estado governado por líderes religiosos que no ocidente são chamados de teocráticos, o termo não é exato porque no Budismo não há a figura de um único Deus criador. Dalai significa "Oceano" em mongol e "Lama" é a palavra tibetana para mestre, guru, e várias vezes referido por "Oceano de Sabedoria", um título dado pelo regime mongoliano a Altan Khan e agora aplicado a cada encarnação na sua linhagem. 
Os Dalai Lama são mostrados como sendo a manifestação de Avalokiteshvara, o Bodhisattva da Compaixão, cujo nome é Chenrezig em tibetano. Após a morte do Dalai Lama, uma pesquisa é instituída pelos seus discípulos para descobrir o seu renascimento, ou tulku. 


Kundun  (1997) é um filme americano escrito por Melissa Mathison e dirigido por Martin Scorsese. É baseado na vida do Dalai Lama, líder político e espiritual do Tibete. Este país é ocupado há décadas pelo governo comunista da China, que proibiu o diretor de entrar no Tibete para gravação do filme.
Jetsun Jamphel Ngawang Lobsang Yeshe Tenzin Gyatso (6 de julho de 1935) é o 14º e atual Dalai Lama, líder espiritual do budismo tibetano. Considerado a reencarnação do bodisatva da compaixão, Jetsun é monge e doutor em filosofia budista. Além do Nobel da Paz ele foi agraciado com mais de 100 títulos honoris causa.
Em 1967 visitou pela primeira vez o Japão e a Tailândia. Estava dado o primeiro passo daquilo que se tornou na sua peregrinação ininterrupta pelo mundo, durante a qual luta pelos direitos humanos no mundo mas em especial no Tibete.
Em 1987 abriu as portas para o encontro da ciência com a espiritualidade quando reuniu-se durante uma semana com cinco cientistas para debater a proximidade entre o budismo e as ciências cognitivas.
Em 2007, o Dalai Lama foi causa de grandes protestos diplomáticos por parte do governo chinês contra os Estados Unidos, ao ser agraciado com a Medalha de Ouro do Congresso, a maior honraria civil outorgada pelo país, e que lhe foi entregue em cerimônia pelo Presidente George W. Bush.

 



Criança Inconfundível - Unmistaken Child (2008) do cineasta israelense Nati Baratz, é um documentário independente, que se segue a pesquisa de um monge budista tibetano para a reencarnação de seu amado mestre, o renomado lama Geshe Lama Konchog. 
As filmagens, que começaram em outubro de 2001, se estendem por um período de cinco anos e meio. Seguindo o discípulo mais próximo do lama falecido - um jovem modesto monge chamado Tenzin Zopa, que fala Inglês bem - e como ele tenta encontrar a criança que é a reencarnação de seu mestre.
Porque Tenzin é apenas uma humilde monge, ele questiona sua capacidade de localizar com precisão e reconhecer a reencarnação de um mestre iluminado. 
Na sequência de uma combinação de oração, intuição, e várias formas de adivinhação, Tenzin viaja para as pequenas aldeias do vale remoto Tsum na fronteira Nepal-Tibet, e verifica muitas famílias e muitas crianças. 
Ele procura encontrar um menino da idade certa que responde emocionalmente a uma das posses de seu antigo mestre. Ainda assim, muitas questões permanecem, e muitos testes e ensaios devem ser atendidos antes da existência de um Rinpoche - um mestre tibetano reencarnado - pôde ser confirmada. E, mesmo para além da questão da confirmação de uma reencarnação, é a carga emocional envolvida na remoção de uma criança pequena de seus pais amorosos e vila familiar.


A Copa - The Cup (1999) é um filme do Butão, uma comédia dirigida por Khyentse Norbu.
Enquanto a copa do mundo está sendo jogada na França, dois garotos refugiados tibetanos chegam ao monastério escola  numa aldeia de refugiados tibetanos na Índia. 
A atmosfera de contemplação serena é quebrada pela febre pelo futebol.
Khyentse Norbu (nascido em 1961),  é um Lama tibetano, cineasta e escritor. Seus três principais filmes são The Cup (1999), Viajantes e Mágicos (2003) e Vara: A Blessing (2013). Ele é o autor do livro O Que Faz Você Não Budista.

Little Buddha - O Pequeno Buda (1993) é um filme da França e Liechtenstein  e Reino Unido realizado por Bernardo Bertolucci.
Um dia, ao voltar para casa, o arquiteto Dean Conrad encontra dois monges budistas tibetanos, Lama Norbu e Kenpo Tensin, sentados na sua sala de estar, conversando com Lisa, a sua esposa.
Guiados por vários sonhos perturbadores, os monges viajaram do Nepal até Seattle pois acreditam que uma criança de 10 anos, Jessé, o filho de Dean, possa ser a reencarnação de Lama Dorje, um lendário e místico budista. Inicialmente Dean e Lisa estão céticos, especialmente quando os monges manifestam interesse em levar Jessé para o Butão, na intenção de comprovar ou não se ele é a reencarnação de Lama Dorje.
Porém, após o suicídio de Evan, um sócio de Dean, este muda de ideia. Depois de deixar Lisa nos Estados Unidos, Dean viaja com o filho para o Butão.

A Equipe Proibida - The Forbidden Team  (2003) é um documentário dinamarquês dirigido por Rasmus Dinesen e Arnold Krøjgaard. 
O filme foi premiado como o Melhor Longa-Metragem no Festival  Internacional  de Filme em Moscou.
O documentário foi rodado no preâmbulo da partida internacional de futebol de 30 de junho de 2000, entre o Tibete e a Groenlândia. Para os tibetanos no exílio, este foi o primeiro jogo internacional depois de muitas décadas desde a separação da antiga seleção nacional.
O filme começa no momento dos primeiros treinos em Dharamsala, no norte da Índia, e termina com o último apito da partida em Copenhagen, na Dinamarca. A partida foi vencida pela Groenlândia por 4–1.
A formação budista tibetana dos jogadores é notável na mentalidade de jogo dos jogadores que não mostram qualquer agressão. Isso invoca cenas do treinador. Ele acredita na disciplina, no trabalho árduo e em uma forte mentalidade de vencedor.


 Os Sonhos dos Lassas -  Dreaming Lhasa ( 2005) é o filme de estréia em língua tibetana dos documentaristas veteranos, Ritu Sarin e Tenzing Sonam, que têm feito filmes sobre vários aspectos do Tibete  desde 1990. O filme é sobre a primeira geração tibetana nascida e criada no exílio. O filme explora o estado de exílio e as questões de identidade, cultura e política e como eles afetam a comunidade de refugiados tibetanos na Índia.

5- Budismo Teravada
Theravada (em sânscrito), literalmente "Ensino dos Sábios" ou "Doutrina dos Anciãos", é a mais antiga escola budista. Foi fundada na Índia. Relativamente conservadora, é a escola que mais se aproxima do início do budismo, e por muitos séculos foi a religião predominante na maioria dos países continentais do Sudeste Asiático, como no Sri Lanka, no Camboja, Laos, Birmânia, e na Tailândia. 
O Theravada também é praticado por minorias em partes do sudoeste da China (pelos grupos étnicos Tais e Shan), Vietnã (pelo Khmer Krom), Bangladesh (pelos grupos étnicos de Barua, Chakma, e Magh), Malásia e Indonésia, embora recentemente tenha conquistado popularidade em Singapura e no Mundo Ocidental. Atualmente, o número de budistas Theravada é superior a 100 milhões em todo o mundo, e em décadas recentes o Theravada começou a fincar suas raízes no Ocidente e no Renascimento Budista da Índia.

Os Irmãos do Dhamma - The Dhamma Brothers (2007) é um documentário sobre um programa de meditação numa prisão em  Alabama. O filme apresenta quatro presos, todos condenados por assassinato, e inclui entrevistas com guardas, agentes penitenciários, residentes locais e outros presos. O filme foi dirigido por Jenny Phillips, um antropólogo cultural e psicoterapeuta, Andrew Kukura, um documentarista, e Anne Marie Stein, uma diretora de escola.

6- Budismo Zen


Zen - A Vida do Mestre Dogen
Dōgen Zenji (19 de janeiro de 1200 – 22 de setembro de 1253) foi um mestre zen-budista japonês. Dogen fundou a escola sōtō de zen. Ele é conhecido pela sua obra "Tesouro do Olho do Dharma verdadeiro" , uma coleção de 95 fascículos relacionados à prática budista e à iluminação.
 Dogen nasceu em Kyoto, então capital imperial do Japão. Filho de nobres, perdeu o pai aos três anos e a mãe aos oito. A perda de sua mãe parece ter causado forte impressão sobre ele, fazendo-o entrar em contato com o conceito budista da impermanência. Aos 13 anos, foi para um monastério no Monte Hiei, onde foi ordenado monge budista da escola tendai. Ao dedicar-se com afinco ao estudo das escrituras budistas, defrontou-se com uma questão que, para ele, teve papel fundamental em suas escolhas:
“As escolas de budismo ensinam que os seres humanos são dotados de natureza búdica por nascimento. Se isto é verdade, por que os budas de todas as épocas — indubitavelmente iluminados — ensinam que é necessário buscar a iluminação e engajar-se em práticas espirituais?
Como Dogen não encontrou uma resposta para esta questão no Monte Hiei, decidiu visitar outros mestres. Finalmente ele foi para China, foi lá que conheceu e tornou-se discípulo do rigoroso mestre Rujing. Os monges dormiam pouco e se dedicavam durante muitas horas do dia à prática da meditação sentada silenciosa. Ele dizia para que abandonassem corpo e mente, significando um abandono completo de si mesmo e de toda e qualquer ideia de identidade ou pré concepções acerca dos próprios ensinamentos, dedicando-se à prática central da meditação silenciosa com todo o seu ser.
“Deixar cair corpo e mente é sentar em meditação. Ao praticar sinceramente o intenso sentar, os cinco desejos desaparecem e os cinco obstáculos são removidos.
Em 1227, Dōgen recebeu a transmissão do Darma e inka de Rujing, e comentou como finalmente ele havia resolvido sua "busca de uma vida" Estudar o Caminho é estudar a si próprio. Estudar a si próprio é esquecer-se de si próprio. Esquecer-se de si próprio é tornar-se iluminado por todas as coisas do universo. Ser iluminado por todas as coisas do universo é livrar-se do corpo e da mente, de si próprio bem como dos outros. Até mesmo os traços da iluminação são eliminados, e a vida com iluminação sem traços continua para sempre.”
Ele  retornou ao Japão em 1227 ou 1228. Tensões começaram a surgir quando a comunidade tendai tentou suprimir tanto o zen. Ele deixou os domínios tendais de Kyoto em 1230 e se estabeleceu num templo abandonado na hoje cidade de Uji, ao sul de Kyoto. 
Em 1233, ele fundou um pequeno centro de prática;  o templo Kōshō-hōrinji. 
Em 1243, ele realocou a comunidade para a província Echizen, bem ao norte de Kyoto.
Dogen passou o resto de sua vida ensinando e escrevendo. 
Em 1247, o novo regente, Hōjō Tokiyori, convidou Dōgen a ir a Kamakura ensiná-lo. Ele fez uma longa viagem, ordenou o regente como leigo. No outono de 1252, ele adoeceu. Ele transmitiu seu manto ao principal aprendiz, Koun Ejō. Dōgen foi a Kyoto em busca de uma cura para sua doença. Em 1253, pouco depois de chegar a Kyoto, ele faleceu.
“Zazen não é "meditação passo a passo". Ao invés disso, é a prática simples e agradável de um buda, a realização da Sabedoria do Buda. A verdade surge onde não há ilusões. Se você entender isso, você é completamente livre, como um dragão que obteve água ou um tigre que reclina-se em uma montanha. " Dogen.


Mestre de Zen -  Master of Zen (1994) é um filme de Hong Kong com base nas lendas que cercam a vida de Bodhidharma. O filme foi dirigido, produzido e co-escrito por Brandy Yuen.


No comments:

Post a Comment