Thursday, June 6, 2019

Eu e o Gasparetto

Eu -o conheci  conheci sentada num banco de ônibus. O sujeito do meu lado estava lendo um livro intitulado.: Voce esta, onde você se põe. Eu comprei o livro do sujeito.
Logo em seguida a Simone veio trabalhar comigo e me apresentou o seu programa na radio Mundial. Eu passei a ser sua ouvinte.
Então decidi ir fazer um curso com você.
Eu estava ali quietinha sentada, ele caminhou ate onde eu estava sentada, olhou bem no meu olho e me disse:
" Voce perdeu tudo néé? Cadê a perua ? Resgate a Perua.
Eu me tornei sua fã.  Eu continuei fazendo cursos e o ouvindo. Porem nos últimos anos eu comecei a discordar de alguns pontos de vista, como por exemplo; falar que o brasileiro isso, o brasileiro aquilo.
Nos Estados Unidos eu notei que americano, nunca fala mal do pais e do americano. Se alguém faz algo errado, foi a pessoa, não o "americano". E termos pejorativos como: " Oh nega!"
Eu apresentei o meu filho a ele enquanto ele ainda era pequenino. Eu ia fazer os cursos, e o grupo do teatro do Gasparetto ficava cuidando dele. 
O meu filho cresceu e começou a ouvi-lo. E quando ele dizia o demônio da cozinha." Eu pensava , eu apresentei isto ao meu filho. 
Quando eu estava de ferias no Brasil morreu a Raquel Trindade, que ha alguns anos atras eu havia comprado um pintura, e ela me disse que eu era a segunda negra que comprava uma arte dela. Eu fui ao enterro da Raquel, no próximo dia você morreu, e mais uma coincidência, você seria enterrado no mesmo cemitério que a Raquel foi enterrada. 
A minha vo morreu em maio no dia do meu aniversário, foi um presente dela para mim. E voce acabou morrendo em Maio justo quando eu estava de ferias no Brasil. O seu ultimo video e sua partida fechou um circulo para mim, me trouxe um novo conhecimento, e afinal voltei a ser uma perua?


No comments:

Post a Comment