Tuesday, November 12, 2019

O Pensamento é a Arma, a Energia e o Feitiço Mais Poderoso do Mundo

Um americano Christopher W. Cleary, pecou pena de prisão após postar uma mensagem no Facebook ameaçando matar “tantas garotas quanto eu vejo”.  Ele disse que postou a frase depois de ir a a um jogo de basquete do Utah e de ver pessoas em relacionamentos felizes. Ele parecia o único triste. O seu posto alimentou medos porque em poucas  horas as mulheres iriam marchar por muitas cidades dos EUA. 
A gente faz causa primeiro com os pensamentos, depois  as palavras por ultimo as ações. 
Eu pensava que a ação era o mais importante, afinal o Chico pode dizer que deseja matar a Silvana e nunca mata-la.
A Rosana vive falando que não se separa por causa dos filhos. Que se ela pudesse ela iria embora, ela não vai por causa dos filhos.
Se isso faz parte do pensamento da Rosana, ela pode achar que a familia esta unida, Mas a familia ja esta separada.
A pessoa pode não matar, mas a pessoa manda aquela energia para o mundo. 
O pensamento ja cria o resultado mesmo que primeira vista parece impossível?
E todas as coisas que uma pessoa deseja em pensamentos para os outros, ja desejou para si primeiro. A pessoa entra naquela energia,
O pensamento e o feitiço mais poderoso do mundo.
A mente é um computador. Tudo que colocamos na mente fica arquivado. E na mente fica a pineal que atrai o que voce pensa.
Ela começa a procurar coisas que comprovam aquilo.  
A única maneira que a gente pode curar o universo é se curando, 
Paulo coelho diz que tudo que voce deseja o Universo conspira a seu favor. 
Sera? E o meu desejo de viajar e ficar rica? 







9 de junho Vagner 

Monday, November 11, 2019

Ódio Mortal

Eu odeio o ódio.
Eu odeio quem odeia,
Eu odeio ser odiada,
Eu odeio tudo que é odiável.
Odiar é o que odeio.
E voce? O que voce odeia?

O Assistent Social Inflator

Roberto é um assistente social que trabalha com adolescentes, esses adolescentes tem a atenção da sociedade sendo infratores. na comunidade tem varias reuniões de professores, diretores, assistentes sociais, advogados e finalmente a corte com o juiz. Alguns desses jovens  saem nos jornais locais.
Assistente Sociais normalmente  são mulheres que cresceram numa classe social menos favorecida, que acreditam que a assistência social pode mudar a realidade dos menos privilegiados.
Roberto  cresceu numa familia de classe media alta e nunca se preocupou com a realidade dos menos favorecidos.
Mas para quem sabe que tudo é a lei da afinidade. Porque Roberto é assistente social? 
Roberto queria ser um artista, mas numa familia de medicos e advogados, era necessário  ter uma profissão que garantisse o sucesso financeiro, e a respeitabilidade social. E para a familia de Roberto, artistas não passavam de drogados.
Por lealdade a sua familia, Roberto resolveu seguir o script e ignorar  o seu lado artístico.
E acabou neste emprego por afinidade. Ele se tornou um inflator, ja que não tem o status devido. A corte se da nos feriados em familia. Os Juizes são seus pais, os advogados seus irmãos, os assistentes sociais seus filhos, os diretores os cunhados.
Os adolescentes com os quais Roberto trabalha, são jovens que choram por atenção.  Eles sentem a necessidade de serem vistos, ouvidos, querem sentir que eles contam.
Roberto se casou com uma imigrante chinesa, sem status. Uma vergonha para a famil
Roberto adora contar os seus problemas no tribunal da familia. O carro de segunda mão, a casa que precisa  de reparos. os problemas com o chefe no trabalho.
Quando tudo esta funcionando, ele briga com a mulher. Na ultima Páscoa em familia, ele brigou com a mulher antes de irem para o almoço na casa do filho e nora. No almoço, ele começou a jogar indireta: " Como não gosta quando pessoas fazem certas coisas".  Roberto tem tanta necessidade de estar no palco. Que ele nem percebeu o rosto de sua mulher, de seu filho e da nora. Todos estavam constrangidos, e a nora tentou mudar de assunto.
 Porque adolescentes sao infratores?
Como Roberto decidiu que seria um inflator para ser amado? 
Porque as pessoas matam por amor?

Wednesday, October 30, 2019

Amizade na Beleza e na Feiura

Duas amigas estão num barzinho no sábado a tarde comendo uma feijoada e tomando uma caipirinha.
- Silvia, eu quero ficar bilionária como a Oprah Winfrey. Ter poder  sobre o meu homem como a Michelle Obama. Arrasar como a Beyoncé.  Maria fala com uma voz fantasiosa.
- Voce quer  ser BEYONCE mas não passa de uma Carolina  de Jesus. Diz Silvia fazendo uma boquinha com o nome Beyonce. E continua. Nem Carolina, porque Carolina escreveu livros. E voce? O que voce fez?  
E se a gente fosse Bonita o que gente Faria? E se a gente fosse Bonita o que a gente seria? E se a gente fosse Bonita o que a gente teria?  Silvia coloca a pergunta na mesa, de certa forma querendo achar uma justifica.
- Olha Maria, acho bom a gente comer antes que a comida esfrie. A braveza na voz da Silvia, tinha o som da raiva, com a melodia do conformismo.
- Será que  a gente teria sofrido assédio sexual de um homem poderoso de Hollywood? Será que a gente se tornaria uma princesa infeliz sofrendo de bulimia? Sera que a gente teria empregadas domesticas para atazanar? Maria continua questionando com a voz baixa mas com o som gritante, angustiante e sedutor do desejo.
- Uma coisa eu sei com certeza, escapei do destino da minha bonita amiga Glorinha. Silvia responde orgulhosamente,
- Que Glorinha? Eu não conheço nenhuma Glorinha. De quem voce esta falando? Maria pergunta curiosa.
- Ok você esta com tempo Maria? Silvia pergunta, louquinha para provar o que não tem prova.
- Não o meu principe encantado esta me esperando, para fazer uma massagem. Responde maria sarcástica.
- Então eu vou te contar a minha historia de Silvinha Feiosa
- Garçom mais uma capinha por favor. Pede Maria
Quando eu morava em Mauá, eu tinha uma amiga inseparável. O seu nome Glorinha, uma descendente de italianos. A gente ia para escola juntos, tomávamos banho juntos e conversávamos.
A minha mãe dizia que não sabia que tanto assuntos, tínhamos para conversar.
- Ok! O que vocês conversavam Silvia. Quantos anos vocês tinham? Perguntou Maria ja envolvida na historia.
- Uns 14, 15 anos, estávamos no ginásio. Respondeu Silvia tentando lembrar os detalhes. A gente conversava sobre Meninos.
-Hum, dona Silvia apaixonada, conta pra mim. Fala maria, saboreando a comida.
- Na verdade, eu não estava, apaixonada, gostando, on tendo interesse em qualquer garoto. Era como se eu soubesse e aceitasse que romance não era para uma garota com a minha aparência.
A Glorinha roubava todas as atenções dos garotos.
-Então a sua amiguinha era a sua rival? Perguntou maria, querendo entrar no conflito da historia.
- Não! Eu não me importava que ela tivesse mais atenção dos garotos. Isso era  normal, afinal ela era bonita. A gente simplesmente sabe que é o que acontece e continuará acontecendo, dia, após dia, dia após noite, os meninos se encantaram com a beleza. Eu compartilhava com a Glorinha as suas aventuras, conversávamos sobre as cartinhas, que ela recebia, as olhadas, as paqueradas. Sem ao menos questionar, porque não eu? Que era assim que era, e tudo bem. Justifica Silvia.
-Pelo jeito voce não mudou muito não.
- Na periferia, o cinema, o teatro, tudo acontecia na tela da Globo. A Rosinha era a estrela da rua, da escola, que se apaixonou pelo galã 
- Quem era o Galã de Novela?
- Era o meu vizinho, ele morava no fundo de minha casa. E eles começaram a namorar. A Glorinha teve mais sorte, que sua irmã, que trabalhava de empregada,  ela se engravidou do patrão. A patroa madame, fez o aborto dela, e depois do aborto ela foi demitida. Fala Silvia com voz de pena
- Garçom por favor o que vocês tem de sobremesas.
- Eu morava numa casa de aluguel, que era em frente da casa de blocos da Glorinha. Mas eu me mudei para dois quarteirões pra frente. E ai a nossa amizade foi interrompida.
- Dois quarteirões? Pergunta Silvia confusa.
- Eu me mudei para favela. E quando voce muda pra favela, você perde todas as honrarias do dia para noite, sem explicações. Apesar da pobreza de todos na comunidade. A gente pode ter o mesmo poder econômico, mas morar na favela, nos desqualifica. Eu me tornei desqualificada,  é como que você pegasse uma doença contagiosa, que pode matar, e todos passam a ter medo de manter o contato com você e pegar a sua doença.
- Uau. Isso me parece estupidez. Conclui Silvia.
- Pode ate ser, mas as coisas são assim e a gente não questiona, apenas vive, sem saber que la fora a vida existe. Ela era bonita, eu aceitava, depois mudei pra favela. Eu e ela simplesmente aceitamos o fato.
E voce continua aceitando os fatos. Diz Maria balanço a cabeça de lado para o outro.
- Na periferia voce vai construindo a sua casa aos pouquinhos. Normalmente um cômodo, depois de uns anos, você pode construir outro cômodo, quando um dos filhos casa, a família constrói mais um cômodo, e o novo casal passa a morar neste cômodo. Então a familia da Glorinha construiu um cômodo a mais em cima do cômodo, tipo Sobradinho, e este novo cômodo, passou a ser a casa da Glorinha. A minha família mudou para o interior, para um conjunto residencial na cidade de Piracicaba. No momento perfeito, mudamos.
- Porque perfeito " Silvinha Feiosa"? Maria questiona utilizando o auto apelido que a Maria havia se dado
- Porque mudamos no Domingo e o nosso barraquinho no morro, caiu em um deslizamentos  de terra, na próxima quarta, mas isso já é  outra história. Passado uns anos, eu retornei a cidade de São Paulo. Eu fui com o meu parceiro visitar a Glorinha. Eu não tinha mais o endereço, mas não são so as casas que levam anos para serem construídas na periferia, a periferia normalmente continua igual por anos.
A Rosinha estava no mesmo cômodo, encima da casa dos pais. E o seu entretenimento continuava sendo a tela da globo. A casa dos pais, agora tinha aumentado, porque os irmãos tinham casados e construído mais cômodos no quintal. O Niro não estava, ela apenas um filho, em torno de 10 anos.
- Uau, vocês devem ter passado o dia colocado a conversa em dia.
- Ao contrario, não teve conversa. Eu havia aprendido que existia um mundo além da tela da globo. E agora nem televisão eu assistia. Eu não contei nada, exatamente nada, do que eu havia vivido, porque eu sabia que qualquer historia que eu contasse, seria inconveniente para a realidade da Glorinha. Apesar dos anos  passados, eu ainda gostava muito dela. A minha segunda visita a Glorinha, eu fui junto com o meu filho, que estava em torno de dois anos de idade, havia transcorrido mais ou menos 9 anos desde qu visitei a minha bonita amiga Glorinha. Em frente da casa, tinha uma garota grávida. Então decidi perguntar a jovem com barrigão. Se ela poderia me informar em qual casa que minha bonita amiga Glorinha morava.
- Ma voce não disse que a periferia não muda. Desafiou maria
- Surpresa! A garota grávida era a mulher do filho da Glorinha. E o bebê na barriga seria o futuro netinho da Glorinha. E a jovem garota e seu filho também moravam la. A casa tinha sido aumentada.
Eu fiquei feliz de ver a minha grande amiguinha de adolescência. Eu agora tinha tido uns baques na vida, mas mesmo assim, não falei nada a respeito de minha vida. Porque a Glorinha continuava exatamente vivendo a mesma vida de quando éramos adolescentes, somente com filho, nora e agora um netinho a caminho. E naquele momento, eu senti uma gratidão por não ser bonita como a Glorinha. Provavelmente se eu fosse bonita como a Glorinha. Eu estaria assistindo TV, limpando a casa, e deixando a vida passar na minha frente. Diz Silvia pensativa
- Você ja pensou que voce poderia estar feliz. Agora tem o Facebook. Comenta Maria completamente envolvida na historia da amiga.
- Olha eu não sou superior a minha bonita amiguinha. Eu não fiquei rica, eu não mudei o mundo.
Agora que estou  de férias. Estou pensando em visitar o meu passado, eu gosto de visitar o meu passado, eu somente não quero permanecer lá.
- Qual foi a ultima vez que você a visitou? pergunta Maria
- Agora fazem uns 17 anos. Eu mudei para os Estados Unidos, eu me casei, o meu filho cresceu, está na universidade. Eu tenho várias histórias, que eu gostaria de compartilhar com ela, mas eu a amo, para fazê-lo. Sera que ela já tem bisnetos?
- Sera que a beleza foi responsável? Voce realmente acredita nisso Silvia?
- O que é beleza e o que é feiura Maria? 
- Silvia qual foi a pessoa mais feia que você já conheceu? Maria pergunta imediatamente
- A pessoa mais feia que eu já conheci? Hum.. A minha irmã, um dia chegou em nossa casa, nos falando a respeito do marido de sua professora da quarta serie, a dona Neuza: "- Meninas, vocês precisam, ver o marido da dona Neuza, ele é muito feio, feio mesmo, parece um macaco."
Nós somos sete irmãs, e todas nós, temos a nossa opinião, chegamos a conclusão que não existiria alguém tão feio, como a minha irmã estava tentando nos convencer.
Um dia minha irmã, nos falou, vem ver o marido da dona Neuza, ele vem vindo. A gente correu para a frente do barraco, para ver o homem que estava passando em frente. A nossa casa ficava no alto do morro, tinha que subir vários degraus para chegar a porta, isso nos permitia ter uma vista panorâmica da rua.
Meu Deus do Céu! A minha irmã tinha completa razão, ele era o homem mais feio, que eu havia visto em toda minha vida.
A minha irmã, se sentindo gloriosa, com a nossa confirmação. Teve que comentar: - "É eu falei, mas você não acreditaram."
Passado um certo tempo, dona Neusa veio nos visitar. Ela perguntou a minha mãe, se uma das filhas de minha mãe poderia trabalhar de empregada para ela.  Como eu estava desempregada, lá fui eu, trabalhar para dona Neusa.
A dona Neusa trabalhava como professora o dia todo. De manhã em uma escola, e a tarde em outra escola. O seu marido era mecânico e trabalhava numa das fábricas de automóveis na região. Eles tinham um casal de filhos, uma menina de seis anos chamada Carlinha e um menino de dez anos, chamado Washington. As crianças foram sortudas porque na mistura dos genes. A feiura não os pegou, eles eram bonitos. A dona Neusa era bonita.
Bom! Eu teria que limpar a casa, lavar, passar, cozinhar, e me responsabilizar pelas crianças, em todos os sentidos, e enviá-los a escola. 
O marido da dona silvinha se chamava Pedro. O seu Pedro trabalhava, uma semana na parte do dia, outra semana na parte da noite. 
A semana que o horário dele era noturno, ele almoçava comigo e  as crianças. Eu repetia a mesma ladainha toda vez que iamos almoçar. A ladainha no qual, ele dizia que preferiria ser um cachorro americano,  que ser brasileiro. É ele preferiria ter nascido um cachorro na América. Além disso, as roupas dele, com exceção dos macacões do trabalho, tinham que ser todas lavadas em lavanderia, jamais em hipótese nenhuma, eu deveria lavar as roupas dele. Isso era mais difícil, para mim entender, do que a questão de ser cachorro, porque para mim as roupas dele, eram ridículas. Ele usava aquelas roupas do começo dos anos setenta, que meu pai também havia usado, quando estava em moda, mas que os homens sensatos haviam abandonados. Mas por alguma razão, o seu Pedro continuava usando aquelas calças de boca largas, acessórios como cinturão e a corrente de medalhão. Ele se vestia como a dupla de  Cantores sertanejos Jose rico e Milionário.
- Nossa nessa época eu nem tinha nascido! Maria comenta, como que tentando lembrar a amiga Silvia da sua presença.
Ele não era cantor, mas parece que foi usando esse álibi, que ele conquistou dona Neusa.
Eles eram mineiros, porem o seu Pedro havia migrado para Sao Paulo. E quando ele retornava  a cidade natal, ele ia com roupas bonitas e elegantes. Dizia que tinha uma banda de música e que estava muito bem de vida em São paulo. Provavelmente dona Neusa sonhava em ter uma vida melhor, acreditou na historia dele, ou quem sabe, ela se apaixonou. É possível se apaixonar pelo homem mais feio do mundo?
Mas enfim ao se casar ela foi para São Paulo com ele, apenas para descobrir, que ele era um contador de histórias(mentiroso), e que as roupas que usava, eram roupas emprestadas dos colegas. Eles foram morar na periferia de Sao Paulo, num cômodo de aluguel, no fundo de uma casa, dona Neusa teve que arrumar emprego, para poder mante-los. Porém o aluguel desta casa, terminou na delegacia. O seu Pedro começou a ter relações sexuais, com a esposa, do dono da casa. E o caso terminou na delegacia. Dona Neusa disse que o delegado deu um conselho para ela: 
-" Filha abandona este homem, ele não presta, volta para sua família." Mas como você pode perceber, ela não ouviu o conselho do delegado. A dona Neusa adorava me contar esta história, como dizendo, você vê o quando  tive que trabalhar, para construir tudo que tenho agora. Um queria ser cachorro nos Estados Unidos, o outro a mártir  do cachorro?? 
- Como assim" Pergunta Maria
- Eu não tenho a resposta para muitas coisas, e por acaso esta; é mais uma coisa, que não possuo a resposta. Quando somos empregadas numa casa, sabemos de tudo. Se alguém quiser saber a verdade dos moradores de uma casa, pergunte a empregada domestica. 
Logo descobri porque o dinheiro do seu Pedro não podia contribuir muito para o orçamento da família. Pelo jeito ele continuava pulando a cerca, e ao pular a cerca ele gastava principalmente com presentes. Apesar de saber de tudo que se passa numa casa, a empregada sabe manter silencio, como a figura dos três macaquinhos que tapam a boca, os olhos, e os ouvidos. A empregada, nada ouve, nada vê e nada fala.
Um dia eu estava passando roupa, as crianças ainda na cama. Quando um corpo masculino, me abracou por trás. Que susto! Oh isso mesmo, você já sabe, era o homem maio feio do mundo.
- O que você fez? perguntou Silvia com uma voz de curiosidade e nojo.
É  incrível, como a sorte aparece na hora certa, em seguida Washington sai do quarto e o seu Pedro, tira aquelas mãos hediondas e  nojenta de mim.
Agora eu tinha mais um problema, não apenas de me calar, mas de me salvar. O homem ficava uma semana toda em casa. 
- O que você resolveu fazer? pergunta Maria
- Eu resolvi fazer tudo  na parte da manhã quando as crianças estavam em casa, e ele ainda dormindo, e depois do almoço, ficar no quintal lavando as roupas sujas, Cantando: LAVA ROUPA TODA DIA QUE AGONIA... 
Os macacões de trabalhar dele, eram  cheio de graxas, mas eu conseguia tirar tudo. Eu ficava no tanque, que era encostado com a cerca da vizinha, a vizinha não tinha ideia, mas ela era a minha segurança. quando ele saía, eu ia para dentro da casa fazer o meu trabalho, esperando que ele demorasse a voltar. Isto não era tão simples, quando dona Neusa quando retornava do seu trabalho, ela ficava reclamando do meu serviço. 
- Será que ela não percebia, que havia uma diferença nos seus serviços, na semanas que o marido dela estava de folga? Questionou Maria
- Patroas. Mas enfim, o meu pai comprou uma casa no interior do estado, isso significava que eu iria partir. Dona Neusa um dia chegou com uma calca jeans para mim, eu tinha 16 anos, e como todo mundo eu amo ganhar presentes. Ela me deu o presente porque ela estava tentando me convencer, ha não mudar com a minha família. Se eu ficasse com ela, ela iria me dar tudo, eu iria ter uma vida melhor do que com a minha família. O seu Pedro que comprava presente para mulheres, me deu uma camera fotográfica. A unica coisa era que, neste embalo de empregada, eu não podia dizer para dona Silvinha do presente que seu marido me deu. 
Um dia dona Neusa, chega em casa no meio da tarde, muita brava, procurando por documentos. E dizendo que agora, ela iria se separar. Ela havia descoberto algumas das historias do seu Pedro. Ela achou algum bilhete na jaqueta da roupa dele. Como ela demorou tanto tempo para descobrir? 
Como eu percebi que ela realmente estava decidida a se separar, eu contei a minha historia, o porque da casa não estar do jeito que ela queria, quando retornava do serviço.
Ela ficou chocada, porque eu não contei antes, patati-patatá...
Eu me mudei, passados uns dez anos, voltei a cidade.
 - No mesmo dia que você foi visitar a Glorinha? pergunta Maria
- Isso mesmo no mesmo dia, a dona Neusa continuava la, mas o seu Pedro também, ela não havia se separado do homem mais feio do mundo.
Eu fiquei pasma, não tocamos no assunto, somente que ela continuava casada. Naquele momento me arrependi de ter contato para ela a verdade,  mas aliviada do homem mais feio do mundo não estar em casa. Onde ele estava? Eu ate podia imaginar... 
Alguns anos depois quando voltei mais uma vez, para visitar o meu passado, decidi que era melhor não visitar dona Neusa e o seu marido, o homem mais feio do mundo. Provavelmente dona Neusa não concordara comigo. O que é feiura e Beleza?
- Um conceito como poder e riqueza. Fala Maria
Mas você acha que a gente pode ter esses conceitos?  Silvia pergunta, não esperando resposta, mas feliz por ter uma amiga que pode ouvi-la.








Meu Filho! O Maior Tesouro que Recebi da Vida!


Você completou 20 anos. E eu fiquei pensando sobre o impacto que você teve em minha vida.
Eu cresci dizendo que nunca me casaria e nunca teria filhos. Mas porque eu não queria me casar e ter filhos?
Na década de sessenta, no Brasil, os jovens tinham a liberdade de escolher os seus futuros parceiros, e eles casavam por amor.
Ma o casamento  é uma instituição social, e todas instituições tem funções e regras e poder. Na instituição do casamento o homem tinha a função de trabalhar para sustentar a família, e a mulher tinha que fazer o homem feliz e ser uma boa mãe para os seus filhos. Uma das coisas fundamentais para fazer um homem feliz, era ser uma boa cozinheira. A jovem já estava preparada para casar quando ela soubesse cozinhar. Talvez quando eu diga cozinhar, você pense colocar um miojo num microondas e a refeição estará pronta em dois minutos. Naquela época não se tinha água encanada, fogão a gás, ou arroz empacotado. Cozinhar era um trabalho sacrificatório e demorado. Por exemplo para se fazer um simples arroz. A mulher tinha que primeiro bater o arroz no pilão, depois separar o arroz da sua casca, e para lavar o arroz, a mulher tinha que tirar a água do poço. E para cozinhar este arroz a mulher tinha que cortar a lenha, e fazer o fogo no fogão a lenha.
O homem pobre  tinha apenas um poder na sociedade, ele tinha o poder sobre a esposa. Todas mulheres sabiam que  fazer um homem feliz, era ser uma mulher obediente ao homem.
Os meus pais começaram a fazer parte da instituição casamento  no ano de 1960, no sertão do Mato Grosso do Sul.
O meu pai trabalhava na roça e a minha mãe tinha um bebe por ano. Quando minha mãe estava gravida de mim, ela tinha duas filhinhas para cuidar, uma de dois aninhos e outra com um aninho.
Num final de tarde, o meu pai encerrou mais um dia de expediente, como terminava todos os dias, cansado e faminto. Ele caminhou para quase com o corpo cansado sendo arrastado por um pé fatigado e uma mente focalizada na comida. Quando ele se aproximou da casa, era como se ele estivesse se aproximando de um oásis no deserto, ao entrar em casa, ele descobriu que a minha e não  tinha feito o jantar. Todo cansaço e fome se transformaram em raiva, a casa  não parecia mais um oásis no deserto, mas uma verdadeira miragem, naquela vida cruel de trabalhador. Ele perguntou como um sultão raivoso pergunta aos seus escravos: "Cade a Janta?"
A minha e, que já havia descoberto que casamento não era um conto de fada, mas fraldas sujas. Depois de um dia "de cão" com uma barriga enorme para carregar, e duas pequeninas que tinham cus, que deviam ser limpados, fazer o marido feliz, neste momento ela tinha falhado na missão maior do casamento. Ela respondeu se sentido sozinha no mundo, que era porque não-se tinha lenha cortada para colocar no fogão.
Enquanto o meu pai batia a lenha com  a força da raiva, fazendo um barulho estrondoso. Era como se a raiva se manisfestasse em cada batida do martelo.

A minha e tapou o ouvido, chorando arrependida de ter se casado, arrependida de ter tidos filhos.  Naquele momento, ali na barriga de minha mãe, eu tomei a decisão que iria influenciar o meu futuro. Eu jamais me casaria e jamais teria filhos.
A sua avó sempre dizia; que nós somente iriamos valoriza-la, quando nós nos tornássemos e também. Isso somente reforçava o meu pensamento de que ser mãe era algo sacrifícioso.
Mas felizmente, a nossa vida não é feita apenas de planos, mas de uma conjunção de fatores.
E há vinte anos atrás você nasceu, e ao você nascer, eu me tornei e.
Você  me conquistou, já na primeira vez, que te peguei no meus braços. naquele momento, eu descobri o que era o amor incondicional.
Ao nos tornamos e, não nos tornarmos tudo que deveríamos ser, como por exemplo ser segura ou confidente.
Vamos começar pelo seu nome. Eu gostaria de lhe dar o nome de Rainer, mas a minha insegurança, não me permitiu, lhe dar o nome que eu gostaria. Eu tinha pensamentos do tipo: " O que os outros irão dizer, se eu der um nome alemão para o meu filho."
Então o seu pai escolheu o seu primeiro nome, e eu o segundo nome. o que acabou se tornando interessante; a representação dos seus antepassados: Iuna (antepassados nativos) Akil (antepassados africanos) e sousa (antepassados portugueses), faltou a representação judaica,
E o souza que era com Z se tornou Sousa com S. Mostrando que o seu espirito tinha um carma com dinheiro, mas que nasceu com a determinação de ser um doador para humanidade.
Apos o seu nascimento, eu comecei a me identificar com as mães mundiais.
Quando eu vi nos jornais, que alguém havia cometido algo negativo, ou que alguém havia feito sucesso, o primeiro pensamento que vinha a minha mente, era sobre como a mãe estava se sentindo.
Na psicologia as es são as culpadas da miséria dos filhos. Mas a psicologia não da atenção para casos como do Trevo Noah. Que disse ter se tornado um sucesso graças a e.
Que e eu sou? Eu não sei e acho que ser mãe, apesar de ter um arquétipo, não tem definição, no fundo ser e e ser inexplicável...
Eu me perguntava, porque não se tinha escola para futuros pais. Agora eu sei porque. Porque não se pode ensinar , o que não é  ensinável.
Ser e e uma experiencia unica, sem roteiro a ser seguido. Quando planejamos, parece que a vida começa a rir de nossa inocência.
Ao fazer a sua numerologia, eu descobri que você tinha o desafio do numero 1
Eu acreditei que a numerologia estava equivocada, isso não faria parte do seu destino, já que você morava comigo e não com o seu pai. Como você sabe, a numerologia estava correta e eu enganada.
Na distancia rezei com a determinação que voce se tornaria um líder da Paz Mundial.
Agora que você esta na Soka, eu me sinto muito feliz. Porque a Soka foi criada por Daisaku Ikeda, que mesmo sem saber de minha existência, me guiou em momentos que eu não sabia que direção seguir, em um desses momentos, eu estava desesperada com o coração acelerado, pois não sabia como pagaria o hotel que eu estava hospedada em Campina Grande ou como retornaria para São Paulo. Eu li uma mensagem dele que dizia. ."Não importa os problemas o importante é  ser Feliz. Eu relaxei,  decidindo dormir em paz.
No outro dia tudo se transformou como magica. E aquelas mudanças do dia seguinte contribuíram para você estar na Califórnia agora.
O que será que os próximos 20 anos reserva para voce?
Eu não sei
mas nesta data que você completa seus primeiros anos neste palco do planeta Terra. A minha mensagem é :
 Você deve planejar o seu futuro, mas  surpresas, não planejadas acontecerão, mas independente dos resultados, gloriosos ou sem glorias. Escolha ser Feliz.
Escolha amigos que lhe direcionarão no caminho correto, e que suportam o seu brilho.
Anos atras quando eu li o presidente Daisaku  dizer que não existia missão mais nobre do que ser líder do kossen Rufu. Eu fiz uma lista de coisas mais importantes em minha mente, com o passar dos anos a lista foi diminuindo, diminuindo , diminuindo...
Seja um grande líder do kossen rufu. Eu tenho certeza que todas as es do mundo somente desejam uma coisa. Que os seus filhos sejam Felizes.
Alem de desejar que você seja a pessoa mais feliz do mundo, eu desejo que você abra a porta para outros também, descobrirem o caminho da felicidade. Quando a sua jornada neste palco da vida terminar. Você tenha o orgulho de ter sido um líder da Felicidade no planeta Terra.
Eu estou excitada pelos próximos 20 anos.
Eu  me sinto grata por você ter me escolhido para ser sua e.
Você é o maior presente, o maior tesouro que a vida me deu.
Eu te amo! Você provou para a minha criança e jovem interior que eu estava enganada.
Ter filhos é a melhor coisa do mundo.

Wednesday, August 28, 2019

Deusa Lakshmi

A Deusa Lakshmi é a esposa do deus Vishnu e personificação da beleza, da fartura, da generosidade, da riqueza e da fortuna. É a deusa da boa sorte. Diz a lenda que se voce quiser prosperar repita o mantra da Deusa Lakshmi.

Om Shreem Mahalakshmiyei Namaha

Nataraja ( O Senhor da Dança), é uma representação do deus hindu Shiva como o dançarino cósmico que realiza sua performance divina para destruir um universo fatigado e realizar os preparativos para o início do processo da Criação por parte do deus Brahma.
A dança de Shiva em Thillai, o tradicional nome para Chidambaram, constitui o tema para todas as representações de Shiva como Nataraja, forma representativa também conhecida como Sabesan, que deriva de Sabayil aadum eesan em Tâmil, significando "O Senhor que dança no palanque". Tal forma está presente na maioria dos templos de Shiva no sul da Índia e é a principal representação da divindade no Templo Thillai Nataraja, em Chidambaram.
A escultura é normalmente feita em bronze, com Shiva em posição de dança, levantando a perna esquerda (ou, em casos raros, a perna direita), envolta em auréola de chamas e equilibrando-se sobre um demônio ou anão (Apasmara) que simboliza a ignorância. É um importante e famoso símbolo escultural e cultural da Índia.
As duas formas mais comuns de dança de Shiva são o Lasya (a forma suave de dança), associada à criação do mundo, e o Tandava (a dança violenta e perigosa), associada à visão de destruição de uma cosmovisão fatigada de perspectivas e estilos de vida. Em essência, o Lasya e o Tandava são dois dos aspectos da natureza de Shiva: destruir a fim de criar e derrubar a fim de construir novamente.





Qual é a Sua História?

Eu tenho uma loja, do lado da minha casa, numa pequena cidade sulista americana.
Hoje antes de abrir a loja, fui na casa da minha vizinha Chris. 
Chris nasceu em berço de ouro, estudou numa das melhores universidades do pais, morou na Alemanha, no Chile e em Los Angeles. Ela tem mais de 70 anos, é alta, bonita, e uma expert in artes e antiguidades. Hoje Chris estava totalmente  negativa em relação a vida. Eu ria muito com os problemas sem soluções da Chris e falei sorrindo:
- “ Chris eu irei gravar um vídeo de você falando. Para você assistir, e perceber sua negatividade em relação a tudo”. 
- "Thillai vá embora". respondeu a Chris mas que zangada
Hora de abrir a loja, fui....
Mal abro a loja,  chega minha campeã de negatividade: A Ellen esta com mais de 50 anos, tem olhos azuis, um curto cabelo loiro, que agora ela tinge para encobrir os fios brancos, ela usa salto, e maquiagem o dia todo. Ellen nasceu de um pai alcoólatra que abusava da mãe. Apesar de Ellen morar a meio caldeirão da loja, o marido dela que é  veterano da Guerra do Vietnã e esta com câncer, dirige ela até a loja, e a fica esperando no carro. Ellen não pode dirigir, a policia a pegou dirigindo com excesso de álcool. Ellen ama me repetir, "suas tristes histórias", já sei de trás para frente e de frente para trás.
Eu já convidei Ellen para vir as minhas meditações, varias vezes, porem ela nunca vem, é  somente quer me contar suas historias tristes.
Mas hoje eu não queria ouvi-las. A levei para setor de livros, as cadeiras da meditação, ainda estavam la. Mas Ellen não queria meditar somente falar sua história triste. Eu pequei a mão dela e falei:
- " Vem comigo." Nós fomos no departamento de brinquedos, pequei uma bola de futebol  e falei:
- “ Vamos jogar bola uma para outra e cada vez que  jogarmos, falaremos: - " I'm Beautiful!"
- Thillai na sua língua." me pediu Ellen
-  ok " Eu sou muito feliz!"  Ela começou a repetir a frase em  português direitinho.
Nos divertimos muito jogando a bola repetindo, eu sou muito feliz.
Quando Ellen foi embora, ela não partiu sozinha, a felicidade foi com ela.
E você qual é a sua história? Historia cheia de negatividade ou positividade? Historia Feliz ou triste?
A sua historia esta  construindo seu futuro. A sua historia contem palavras. Palavras são coisas. Você tem que ser cuidadoso, tome cuidado em como você chama as pessoas, usando pejorativos raciais, usando pejorativos sexuais e tudo que é ignorante. não  faça isso. Algum dia nós seremos capazes de medir o poder das palavras. Eu penso que elas são coisas. Elas ficam na parede, no papel de parede. Elas ficam no tapete, no seu estofamento, nas suas roupas e finalmente em você." Maya Angelo



Como a Cartomancia e a Vidência Funcionam

Eu sempre quis saber do meu futuro. Então eu sempre fui a uma cartomante, consultar sobre o meu destino. Algumas cartomantes,  foram efeito Barnum, não acertaram nada.
O Efeito Barnum, é o nome dado a um tipo de validação subjetiva, em que uma pessoa encontra um significado pessoal em declarações que poderiam se aplicar a muitas pessoas. Este efeito pode fornecer uma explicação parcial para a aceitação generalizada de algumas crenças e práticas, tais como adivinhação, astrologia,  leitura de aura, alguns tipos de testes de personalidade, e religião.

Alguns exemplos de declarações Barnum:
1- Você tem uma grande necessidade de outras pessoas gostarem e admirar você.
2- Você tem uma tendência a ser crítico de si mesmo.
3- Você tem uma capacidade grande, não utilizada.
4- Embora você tenha algumas fraquezas de personalidade, é capaz de compensá-los.
5- O seu ajustamento sexual tem apresentado alguns problemas para você.
6- Disciplinado e auto-controlado por fora, você tende a ser preocupado e inseguro interiormente.
7- Às vezes você tem sérias dúvidas em saber se você tomou a decisão certa ou fez a coisa certa.
8- Você prefere uma certa mudança e variedade e fica insatisfeito quando é cercado por restrições e limitações.
9- Você foi imprudente ao ser muito sincero e se revelar aos outros.
10- Às vezes você é extrovertido, afável, sociável, enquanto que  em outras vezes você é introvertido, cauteloso e reservado.
11- Algumas de suas aspirações tendem a ser muito irrealista.
12- A segurança é um dos seus objetivos principais na vida.
Mas o Que Esta por Trás do Efeito Titanic?
O escritor Morgan Robertson escreveu o livro: " Futilidade: O Naufrágio do Titan."  em 1898, 14 anos antes do naufrágio do Titanic. Com varias coincidências entre os dois navios
SemelhançasTitanTitanic
Nome do CapitãoSmithSmith
Local do NaufrágioAtlântico NorteAtlântico Norte
MêsAbrilAbril
CausaColisão com IcebergColisão com Iceberg
Comprimento240 metros269 metros
Tonelagem do Deslocamento75.00066.000
Velocidade25 nós23 nós
Número de botes2320 (4 botes desmontáveis)
Compartimentos à prova d'água1716
Hélices33
Passageiros e Tripulantes3000222
Em 1838 o famoso escritor  Edgar Allan Poe escreveu um livro chamado “O relato de Arthur Gordon Pym”. Era sobre náufragos sobreviventes que ficaram muitos dias em um bote aberto antes de decidirem devorar o camareiro, que se chamava Richard Parker. 46 anos mais tarde, em 1884, uma embarcação chamada Mignonette, afundou com apenas quatro sobreviventes que ficaram em um bote aberto por muitos dias. Alguns dias se passaram e os três membros mais experientes da equipe fizeram o mesmo que os personagens daquele livro e comeram camareiro, que se chamava, também, Richard Parker. (Fonte: Mysteries of the Unexplained)

Em outro livro seu: Eureka: A Prose Poem, an essay written in 1848, included a cosmological theory that presaged the Big Bang theory by 80 years
Porque a lei do destino é diferente para as pessoas?
Porque o meu destino é diferente do destino das minhas irmãs, mas similar ao mesmo tempo? Eu tenho total responsabilidade sobre o meu destino?
As histórias de gêmeos idênticos nascidos em Ohio (EUA).
Os gêmeos foram separados logo no nascimento, sendo adotados por famílias diferentes. Sem o conhecimento um do outro, ambas as famílias os chamaram de James. As coincidências apenas começaram. Ambos os James cresceram sem sequer saber um do outro, mesmo assim ambos receberam treinamento policial, ambos possuíam habilidades em desenhos mecânicos e carpintaria, e cada um deles casou uma mulher chamada Linda. Eles chamaram seus filhos de James Allan e Allan James. Ambos também divorciaram suas esposas e casaram com outras mulheres, ambas chamadas Betty. Ambos tiveram cães chamados Toy. Quarenta anos depois de sua separação prematura eles foram reunidos. (Fonte: Reader´s Digest, January 1980)
Imagine ter um sistema viável de computador que mantém o controle de todos os eventos, pensamentos, imagens ou desejos que já transpirou na terra. Qualquer tipo de esforço:  desejo, pensamento, e ações cria algum tipo de vibração. Esta vibração produz uma marca sobre a meada de espaço e tempo e é de alguma forma identificados  permanentemente com o indivíduo responsável pela produção desta vibração. É possível que alguns indivíduos  sintonizem com este computador viável, da mesma forma que entram em sintonia com as ondas do rádio. Um indivíduo em sintonização pode ouvir, ler e experimentar a informação.  Embora invisível, é uma energia etérica que é tão evidente para um sensível como a palavra impressa é para uma pessoa com visão.
Edgar Cayce foi um americano mistico com a habilidade de acessar este computador universal para responder questões sobre diferentes objetos. (18/03/1877 - 03/01/1945)
As leituras de Edgar Cayce sugerem que cada um de nós escree a história de nossas vidas através de nossos pensamentos, nossas ações e nossas interações com o resto da criação. Era assim que ele começava suas leituras: - "Sim, temos diante de nós os registros da entidade agora ou chamado ...."
O autor Denzel Washington tem uma historia de profecia que aconteceu com ele.
- "Quando eu tinha cerca de 20 anos de idade, quando comecei a atuar, eu estava sentado no salão de beleza da minha mãe. E uma mulher apenas ficou olhando para mim .... e ela disse: "Alguém me da um pedaço de papel." E ela escreveu uma profecia. Ela disse que eu iria falar para milhões de pessoas, e eu iria viajar o mundo e pregar a milhões de pessoas. E eu não sabia o que ela estava falando. Mas isso era 27 de março de 1975, há 40 anos  atrás." narra Denzel Washington
karma é um termo sânscrito que significa  ação ou ato de "causa e efeito"
Em 1883, a namorada de henry, tirou a própria vida após ele ter terminado o relacionamento. O irmão da moça, enfurecido, caçou Henry e deu um tiro nele. Acreditando que havia matado Henry, o rapaz apontou a arma para a própria cabeça e acabou com a própria vida. Mas Henry não havia falecido, pois a bala o havia atingido de raspão no rosto e se alojou em uma grande árvore. 
Anos depois, Henry decidiu cortar a grande árvore, que ainda tinha a bala em seu interior. A tarefa parecia tão formidável que ele decidiu explodi-la com algumas bananas de dinamite. A explosão propeliu a bala exatamente na cabeça de Henry, que, desta vez, não escapou. (Fonte: Ripley´s Believe It or Not!)
Karma é Uma Memória
Em 1883, a namorada de henry, tirou a própria vida após ele ter terminado o relacionamento. O irmão da moça, enfurecido, caçou Henry e deu um tiro nele. Acreditando que havia matado Henry, o rapaz apontou a arma para a própria cabeça e acabou com a própria vida. Mas Henry não havia falecido, pois a bala o havia atingido de raspão no rosto e se alojou em uma grande árvore.
Anos depois, Henry decidiu cortar a grande árvore, que ainda tinha a bala em seu interior. A tarefa parecia tão formidável que ele decidiu explodi-la com algumas bananas de dinamite. A explosão propeliu a bala exatamente na cabeça de Henry, que, desta vez, não escapou. (Fonte: Ripley´s Believe It or Not!)
Karma não é uma dívida que deve ser paga, nem é um conjunto de circunstâncias específicas que devem ser experimentados por causa de atos ou delitos do passado. Karma é simplesmente padrões de memória. É um conjunto de informações armazenadas em que o subconsciente baseia-se no presente. Esta memória  tem os elementos que são positivos, bem como os  negativos.
Por exemplo, uma afabilidade imediata em relação a um indivíduo que acabamos de conhecer é tão provável que seja "cármica", como é uma animosidade imediata em direção a outra pessoa. Esta memória subconsciente tem um efeito e uma influência sobre a forma como pensamos, como reagimos, o que escolhemos, mesmo como nós olhamos. 
Memórias de desejo que nós já trouxemos conosco do passado. Memória de situações e até mesmo a memória em termos de padrões que nós continuamos a optar por experiência, mas é uma memória. 
O Livre-Arbítrio Está Sempre Presente
A liberdade de escolha permite que um indivíduo  determine o caminho que ele toma na vida presente. Podemos não ser sempre capaz de entender por que nós fomos atraído por uma determinada situação, e de fato o "por que" não tem importância primordial.
O que é importante é a forma como nós escolhemos responder.
No dia 31 de Dezembro de 2002 eu e minhas irmas fomos consultar uma cigana. A cigana me disse que eu iria conhecer a minha alma gêmea até o mês de April do próximo ano. Eu escrevi a respeito no meu texto "Como Encontrar a Alma Gêmea."
Quantas almas gêmeas a gente tem?
Os indivíduos continuam relacionamentos exatamente onde eles foram deixados na última reencarnação.
Quem é imaginativo é intuitivo
Sonhos e experiências imaginativas espontâneas, hipnose, leitura psíquica e devaneio pessoal. As pessoas dizem:
- "Isso é apenas minha imaginação" Quando, na verdade, a informação pode ser uma impressão psíquica precisa. 
Dia Após Dia, Há Uma Escolha a Ser Feita Por Cada Alma
 Um escolha pode levar a um crescimento, transformação, e a felicidade enquanto,  outra escolha pode levar a uma frustração, dificuldades e infelicidade.
Mark Twain nasceu no mesmo dia da aparição do cometa Halley em 1835 e morreu no dia do seu aparecimento seguinte em 1910. Ele mesmo previu isso em 1909, quando disse: “Eu vim com o cometa Halley em 1835. Ele voltará ano que vem e eu espero ir-me com ele”.
Defina Uma Intenção Espiritual Para A Vida Material 
Eu pensava que todas as coisas estavam acontecendo para mim, e não havia nada que eu poderia fazer,  todavia, finalmente aprendi, que  constantemente tenho  a oportunidade, para atender e aplicar os princípios espirituais no mundo material.  
Nenhuma experiência, nenhum motivo, nenhum ambiente, pode ser maior do que a sua vontade pessoal.
A minha intenção, provar meios para as pessoas, deixarem de serem vitimas de seus destinos e criarem a vida que desejam e merecem. Thillai H. Sandstrom

Filmes Autobiográficos sobre Amizade

O primeiro e um filme sobre tres amigas que desafiaram os seus desafios diários, criaram um grupo musical de sucesso internacional e uma delas more em um acidente automobilístico.
CrazySexyCool  é nome do segundo  álbum do grupo das garotas americanas chamado TLC. Lançado em 1994. O  filme é sobre a formação e história do grupo TLC.
Left Eye - Lisa Nicole Lopes  (1971- 2002),  era uma americana, cantora, compositora, dançarina e rapper. Ela morreu em um acidente de carro em La Ceiba, Honduras, quando ela saiu da estrada para evitar bater num outro veículo. 
 Os últimos dias de sua vida foram documentados a partir de 30 de março de 2002 até sua morte, em 25 de abril de 2002. As filmagens incluído o acidente que tirou a vida dela e foram transformado em um documentário chamado Os últimos Dias de Left Eye (acima).
T- Boz nome artístico  de Tionne Tenese Watkins (nascido em 26 abril de 1970),  é uma atriz, cantora, compositora, modelo, dançarina e produtora executiva americana.
Rozonda Ocelean "Chilli" Thomas (nascida em 27 de fevereiro de 1971)  é uma atriz, cantora,  dançarina,  compositora e personalidade da televisão americana.

O proximo filme nos mostra como amizades sinceras podem vencer o impossível.

Jamaica Abaixo de Zero (1993) é um filme estadunidense do gênero comédia de esporte, vagamente baseado na história verídica de estréia da equipe de bobsleigh nacional da Jamaica na competição dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1988, no Canadá.
Devon Harris 1964
Dudley Stokes 12//11/ 1963
Michael White 05/11/1964
Fredie Powell 1964
Howard B. Siler Jr (18/06/1945 - 08/07/2014)

O proximo filme trata de como amizades aparentemente impossíveis se tornam possíveis e felizes.
Amigos Improváveis  (2011) é um filme francês dirigido por Olivier  Nakache e Éric Toledano.
É estrelado por Omar Sy como Abdel Sellou e  Francois Cluzer como Philippe Pozzo di Borgo
Apos ficar tetraplégico num um acidente, o aristocrata Philippe Pozzo di Borgo contrata um jovem de projetos para ser seu cuidador. Nove semanas após o seu lançamento, tornou-se o segundo maior sucesso de bilheteria na França. O filme foi votado o evento cultural de 2011 em França, com 52% de votos em uma pesquisa feita pela Fnac.  O filme foi indicado a oito prêmios César e Omar Sy César ganhou o Prêmio de Melhor Ator.

O proximo filme nos lembra de como improváveis amizades, podem realizar coisas que desejávamos por anos indeterminados.


Philomena
Ha 50 anos Philomena Lee procura por seu filho adotado à força , e os esforços do Martin Sixsmith ( 24/09/1954)para ajudá-la a encontrá-lo. No trajeto eles constroem uma amizade.

O proximo filme nos lembra de como as amizade mantem lembranças de tempo de guerras como os melhores de nossa vida.

 Chá com Mussolini (1999) é um filme anglo-italiano do gênero "Drama" dirigido por Franco Zeffirelli. A história do filme é uma semi-biografia do diretor, contando lembranças da história vivida no período de 1935-1944 e as turbulências políticas em Florença na Itália durante os anos do fascismo e da Segunda Guerra Mundial.

O proximo filme nos mostra a heroína, sem ter pra onde ir, e uma balconista de uma loja a socorre leva ela pra casa, e esta amizade transforma completamente a vida da nossa protagonista que se torna uma modelo internacional.


Flor do Deserto  é um filme maravilhoso alemão baseado na vida da Somália modelo, autora,  atriz e ativista social Waries Dirie. Ela nasceu em uma família nômade em 1965  na Somália. Com a idade de treze anos, ela fugiu  a fim de escapar de um casamento arranjado com um homem muito mais velho. Lá, ela viveu brevemente com uma irmã mais velha e sua família. Waris, juntamente com alguns parentes mais tarde mudou-se para Londres, onde residiu e trabalhou para um tio que tinha sido nomeado embaixador da Somália. Quando o seu mandato terminou,  ela encontra uma garota no shopping, e ela se tornam grandes amigas.
Waris Dirie (nascida em 1965) é uma modelo somali, escritora, atriz e ativista social. De 1997 a 2003, atuou como um embaixador especial da ONU.

Tudo Por Um Sonho (2012) é um filme americano dirigido por Curtis Hanson e Michael Apted sobre a vida de surfista americano Jay. 
Quando o jovem Jay  descobre que a mística Mavericks, uma das maiores ondas do planeta, existe apenas ha algumas milhas de sua casa, ele pede a ajuda da lenda local Frosty  para treiná-lo.
Os atores a esquerda representando os verdadeiros personagens a direita
Jay Moriarty (1978 -15 de junho de 2001) era um talentoso surfista, homem da água, e aventureiro que criou sua reputação  surfando  Mavericks na Califórnia. Aos 16 anos, ele se tornou internacionalmente famoso quando seu wipeout em Mavericks foi capturado em filme e fez a capa da revista Surfer.  Um surfista alma, que ganhou muitos prêmios esportivo, ao longo de sua carreira.
Rick Hesson "Frosty" Data de Nascimento: 06 de setembro de 1949 na Califórnia.

 O Pacto é a respeito de três doutores que cresceram nas ruas da periferia, com inúmeras tentações, e até cadeia, porem um dia estas três crianças fizeram um pacto. Eles prometeram a cada um deles que um dia eles se tornariam doutores, eles se mantiveram fiel a este juramento na longa jornada para transformar o sonho em realidade.



 The Sapphires
Na Austrália, em 1968, o músico irlandês Dave (Chris O'Dowd) descobre o talento musical de três irmãs aborígenes e de uma prima. Bervely Briggs, Laurel Robinson, Louis Peeler, Naomi Mayers. Ele propõe compor um grupo, chamado The Sapphires, que vai se apresentar nas zonas de guerra ao sul do Vietnã. Enquanto elas cantam para os marinheiros no delta do Mekong, as quatro garotas devem escapar dos horrores da guerra e lidar com os novos amores.



Thursday, August 22, 2019

Escritores Brasileiros Chilenos, Cubanos, Dinamarqueses, Escoceses, Espanhois, Hungaros, Italianos, Irlandeses,Japoneses e Russos






O Rebelde Sonhador (1965) é um filme produzido no Reino Unido, dirigido por Jack Cardiff e John Ford (que abandonou o projeto por problemas de saúde) e estrelando Rod Taylor. A história de Sean, durante os conflitos políticos e religiosos, que abalavam a Irlanda.
1- Seán O'Casey (nascido John Casey, 30 de março de 1880 - 18 de setembro de 1964) foi um dramaturgo e memorialista irlandês. Um socialista convicto, e o primeiro dramaturgo irlandês a escrever sobre as classes trabalhadoras Dublim.
Nora (2000) é um filme  dirigido por Pat Murphy sobre Nora Barnacle e seu marido, autor irlandês James Joyce. Em 1904, James Joyce encontra Nora Barnacle, uma mulher jovem e atraente, e se oferece para 'mostrar-lhe a cidade. Nora afirma friamente que ela tem de trabalhar.
O filme então começa a examinar a relação entre Joyce e Barnacle. Nós testemunhamos os momentos bons e os maus momentos, o nascimento e o crescimento de seus dois filhos (Giorgio e Lúcia) e como James batalha com seus editores e, de fato, os censore de sua primeira obra publicada, Dubliners, finalmente publicado em 1914. James Joyce é reconhecido como um dos grandes escritores do mundo. Ele e Nora passam o resto de suas vidas juntos.
James Augustine Aloysius Joyce ( 1882 —  1941) foi um romancista, contista e poeta irlandês expatriado.  Embora Joyce tenha vivido fora de seu país natal pela maior parte da vida adulta, suas experiências irlandesas são essenciais para sua obra e fornecem-lhe toda a ambientação e muito da temática. Seu universo ficcional enraíza-se fortemente em Dublin e reflete sua vida familiar e eventos, amizades e inimizades dos tempos de escola e faculdade. Desta forma, ele é ao mesmo tempo um dos mais cosmopolitas e um dos mais particularistas dos autores modernistas de língua inglesa.
James era o mais velho de dez crianças sobreviventes; dois de seus irmãos morreram de febre tifoide.
Tanto o pai como o avô paterno de Joyce casaram no seio de famílias ricas.
 Em 1887, seu pai foi nomeado coletor de impostos pela Dublin Corporation.
Em 1891, James escreveu um poema, Et Tu Healy, sobre a morte de Charles Stewart Parnell. Seu pai fê-lo imprimir e até mandou uma cópia para a biblioteca do Vaticano. Em novembro do mesmo ano, o pai faliu. 
Em 1892, James tem de sair da escola pois seu pai não podia mais pagar por sua matrícula.
Em 1893, John foi demitido com uma pensão. Assim começou uma descida rumo à pobreza para a família, principalmente devido ao consumo de álcool por John e sua inaptidão financeira em geral. m 1893. A oferta foi feita, ao menos em parte, na esperança de que se demonstrasse que ele tinha uma vocação e se juntaria à Companhia de Jesus. Joyce, porém, rejeitou o catolicismo aos dezesseis; apesar disso, a filosofia de Tomás de Aquino permaneceria uma de suas fortes influências por toda a sua vida.
em 1898Ele se matriculou no University College Dublin . Ele estudou línguas modernas, especificamente inglês, francês e italiano. Também envolveu-se com os círculos teatrais e literários da cidade. Sua resenha do Novo Drama de Henrik Ibsen foi publicada em 1900 pela Forthnightly Review e resultou numa carta de agradecimento pelo próprio dramaturgo norueguês.
1902-4: Jaime foi a Paris para estudar medicina
. Em 1903, retorna à Irlanda, pois sua mãe morria de câncer. Busca manter-se como jornalista e professor particular. 
Em 1904 ele conheceu Nora Barnacle. Ele escolheu o dia 16 de junho para ser imortalizado em sua obra Ulisses porque foi nesse dia em que fez sexo pela primeira vez com Nora, à época uma jovem virgem de vinte anos, apesar de a imprensa irlandesa publicar que nesse dia eles "caminharam juntos" pela primeira vez. Na verdade, Nora teve medo de completar o coito e o masturbou "com os olhos de uma santa", como Joyce relatou em uma carta em que relembrou o acontecido.[4]
Ele foge com Nora. O casal parte em exílio auto-imposto, indo primeiro para Pula (hoje na Croácia) e depois Trieste (Itália), ambas então no Império Austro-Húngaro, para ensinar inglês na escola Berlitz. Aí nasceriam seus filhos Giorgio (1905) e Lucia (1907; seu nome pronuncia-se à italiana, como Lutchía).
Joyce publica, em 1907, Música de Câmara (Chamber Music) (batizada, segundo ele afirmou, a partir do som de urina num penico, chamber pot) uma antologia de 36 poemas líricos curtos. A obra, inspirada na poesia do período elisabetano (i.e. autores como William Shakespeare), levou à sua inclusão na Antologia Imagista, editada por Ezra Pound, que seria um defensor de Joyce por mais de uma década.
Em visitas a Dublin, abre o primeiro cinema da cidade, o Volta, em 1909, mas fracassa; depois, em 1912, desentende-se com um editor sobre sua nova obra, e publica contra ele, no mesmo ano, Gás de um Bico (Gas from a Burner).
A  Dublinenses, uma série de quinze contos sobre a cidade e a vida de seus habitantes. Os contos são uma análise penetrante da estagnação e paralisia da sociedade de Dublin. Incorporam epifanias, uma palavra usada particularmente por Joyce, que para ele significava uma súbita consciência da "alma" de algo.
Apesar de seu interesse por teatro desde a juventude, Joyce publicou apenas uma peça, Exilados, iniciada em Trieste logo após a erupção da Primeira Guerra Mundial e publicada em 1918. Um estudo da relação marido-mulher, a peça conecta-se com a obra anterior "Os Mortos" (o último conto dos Dublinenses) e com a posterior Ulisses.
Esta também foi iniciada na cidade italiana em 1914, e ainda levaria muitos anos para ser completada e publicada. Porém, começada a guerra, a permanência dos Joyce em território austro-húngaro se torna impossível, já que eram cidadãos britânicos e, portanto, inimigos. Assim, em 1915, Joyce e Nora se mudam para a neutra Suíça; após breves estadas em outras cidades, se estabelecem em Zurique.
Eventos importantes da primeira estadia suíça de Joyce são a publicação de Exilados, a continuidade da composição de Ulisses, a primeira crise de iridite, que iria piorando sua visão ao longo das décadas, e a publicação de seu primeiro romance, Retrato do Artista Quando Jovem.
O Retrato é uma recriação completa do romance abandonado "Stephen Herói". Autobiográfico em larga medida, o romance mostra a obtenção de maturidade e autoconsciência de um jovem inteligente. O protagonista é Stephen Dedalus, a representação joyciana de si mesmo. Neste romance, é possível vislumbrar técnicas posteriores do escritor, no uso do monólogo interior e na maior preocupação com o psíquico em relação à realidade externa. Além disso, a linguagem se desenvolve ao longo do livro, conforme o personagem cresce, amadurece e torna-se capaz de narrar seu mundo de uma maneira mais sofisticada.
Fim da a guerra, Joyce retorna a Paris em 1920 onde, exceto por duas visitas à Irlanda, permaneceu pelos vinte anos seguintes. É morando na Cidade-Luz que Joyce sofre diversas operações nos olhos a partir de 1924, conclui suas duas maiores obras, obtendo amplo reconhecimento pelo Ulisses e reações diversas pelo Finnegans Wake, e torna-se uma referência para os modernistas de língua inglesa, especialmente jovens irlandeses como Samuel Beckett. É também durante este período, em 1931, que James e Nora se casam, em Londres.
Seus primeiros poemas (Música de Câmara, 1907), líricos, de influência simbolista e feitos para serem letras de música, continham, no entanto uma visualidade e objetividade que os aproximavam do, posterior, imagismo de Ezra Pound, além do uso de arcaísmos combinados a alguns neologismos. Joyce publicará, em 1927, seu segundo livro de poesia, Pomas, um Tostão Cada, próximo da radicalidade das suas mais ousadas obras em prosa. Escreve também Ecce Puer, um poema escrito em 1932, sobre dois eventos próximos, a morte de seu pai e o nascimento de seu neto. Publica-os, juntamente com a demais obra poética, em Collected Poems (Poesia reunida), em 1936. Apesar de ser autor de um trabalho muito elogiado por poetas como o próprio Pound, que o considerava um brilhante inovador do ritmo, Joyce se considerava um poeta frustrado.
Graças a Ezra Pound, trechos do romance começaram a ser publicados na revista The Little Review em 1918. Esta revista era editada por Margaret Anderson e Jane Heap, com o apoio de John Quinn, um advogado de Nova York interessado em arte e literatura experimentais contemporâneas. Infelizmente, houve problemas desta publicação com a censura norte-americana, e em 1920 os editores foram condenados por publicar obscenidades, o que interrompeu a publicação serial do romance. O livro permaneceu proibido nos EUA até 1933.
Joyce encontrou dificuldades para encontrar quem publicasse seu livro, pelo menos em parte devido a esta contrariedade. Mas a Shakespeare and Company, uma famosa livraria da Margem Esquerda parisiense, de propriedade de Sylvia Beach, publicou-o em 1922. Uma edição inglesa publicada no mesmo ano pela mecenas de Joyce Harriet Shaw Weaver encontrou novas dificuldades com autoridades estadunidenses, e 500 cópias enviadas aos EUA foram confiscadas e possivelmente destruídas. No ano seguinte, John Rodker imprimiu uma tiragem de mais 500, destinadas a substituir as cópias faltantes, mas estes livros foram queimados pela alfândega inglesa em Folkestone. Uma outra consequência do status legal ambíguo de Ulisses como um livro proscrito foi a aparição de várias versões "bootleg", mais notavelmente versões piratas do editor Samuel Roth. Em 1928, conseguiu-se um mandado judicial contra Roth e ele parou a publicação.
1922 foi um ano fundamental na história do modernismo na literatura de língua inglesa, com a publicação tanto de Ulisses quanto do poema The Waste Land, de T. S. Eliot. Em seu romance, Joyce utiliza-se do fluxo de consciência, da paródia, de piadas e virtualmente todas as demais técnicas literárias para apresentar seus personagens. A ação do livro, que se desenrola em um único dia, 16 de junho de 1904, situa os personagens e incidentes da Odisseia de Homero na Dublin moderna e representa Odisseu (Ulisses), Penélope e Telêmaco em Leopold Bloom, sua esposa Molly Bloom e Stephen Dedalus, cujos caracteres contrastam com seus altivos modelos, parodiando-os. O livro explora diversas áreas da vida dublinense, estendendo-se sobre sua degradação e monotonia. Ainda assim, o livro também é um estudo afeiçoadamente detalhado sobre a cidade, e Joyce afirmava que se Dublin fosse destruída por alguma catástrofe, poderia ser reconstruída tijolo por tijolo, usando como modelo sua obra. Para atingir este nível de precisão, Joyce usou uma edição de 1904 do Thom's Directory - uma obra que listava os proprietários e/ou possuidores de cada imóvel residencial ou comercial da cidade. Ele também soterrava amigos que ainda viviam na cidade com pedidos de informação e esclarecimentos.
O livro consiste em dezoito capítulos, cada um cobrindo aproximadamente uma hora do dia, começando por volta das 8 da manhã e terminando em algum ponto após 2 da madrugada seguinte. Cada um dos dezoito capítulos emprega seu próprio estilo literário. Cada um deles também se refere a um episódio específico da Odisseia de Homero e tem associado a si uma cor, arte ou ciência e órgão do corpo humano. Esta combinação de escrita caleidoscópica com uma estrutura extremamente formal e esquemática é uma das maiores contribuições do livro para o desenvolvimento da literatura modernista do século XX. Outras são uso da mitologia clássica como a armação para a construção do livro e o foco quase obsessivo nos detalhes exteriores num livro em que muito da ação relevante ocorre dentro das mentes dos personagens. Ainda assim, Joyce queixou-se: "talvez eu tenha supersistematizado Ulisses," e minimizado as correspondências míticas pela eliminação dos títulos dos capítulos, emprestados a Homero.
Ao que parece, tendo terminado Ulisses, Joyce sofreu um período de bloqueio criativo. Em 10 de março de 1923 ele começou a trabalhar num texto que seria conhecido, inicialmente, como Work in Progress ("Obra em andamento") e depois Finnegans Wake (Finnicius Revém, na tradução brasileira de Donaldo Schüler). Em 1926 as duas primeiras partes do livro estavam completas. Naquele ano, ele conheceu Eugène e Maria Jolas que propuseram ir publicando o trabalho em sua hoje legendária revista transition. Sem este apoio, é possível que o livro nunca fosse terminado ou publicado.
Por alguns anos depois disso, Joyce progrediu com rapidez, mas na década de 1930, desacelerou consideravelmente. Isso deveu-se a uma série de fatores, incluindo a morte de seu pai em 1931, preocupação com a saúde mental de sua filha Lucia e seus próprios problemas de saúde, incluindo a visão que ia diminuindo. Boa parte do trabalho era feito então com a ajuda de jovens admiradores, entre eles Samuel Beckett. Por alguns anos, Joyce alimentou o excêntrico plano de entregar o trabalho para ser completo por seu amigo James Stephens, baseado no fato de que Stephens nascera no mesmo hospital que Joyce, exatamente uma semana depois, e tinha o nome tanto do autor quanto de seu alter ego ficcional (este é um exemplo das numerosas superstições de Joyce).
As seções originais a aparecer em transition receberam reações diversas, incluindo comentários negativos de antigos apreciadores da obra de Joyce, como Pound e Stanislaus Joyce, irmão do autor. Como reação a esta recepção hostil, apoiantes do novo livro, entre os quais Beckett e William Carlos Williams, organizaram um livro de ensaios. Ele foi publicado em 1929 sob o título Our Exagmination Round His Factification For Incamination Of Work In Progress. Na festa de seus 57 anos na casa dos Jolas, Joyce revelou o título final da obra e em 4 de maio o Finnegans Wake é publicado como livro.
Estilo e estrutura do Finnegans 
O método joyceano dos fluxos de consciência, alusões literárias e livres associações oníricas foi levado até o limite em Finnegans Wake, que abandonou todas as convenções de construção de enredo e personagem e é escrito numa linguagem peculiar e árdua, baseada principalmente em complexos trocadilhos de múltiplos níveis. Esta abordagem é similar à usada por Lewis Carroll em "Jabberwocky", mas muito mais extensa. Se Ulisses é um dia na vida de uma cidade, o Wake é uma noite e compartilha da lógica dos sonhos. Isto fez com que "Livro Azul inutilmente ilegível, numa tradução simples", a frequentemente citada descrição de Ulisses no Wake, fosse aplicada por muitos leitores e críticos ao próprio Wake. Entretanto, foi-se chegando a um consenso sobre o elenco central de personagens e enredo geral.
Além do uso frequente de neologismos e arcaísmos, muito do jogo de palavras do livro enraíza-se no uso de trocadilhos multilíngues que conectam uma gama de idiomas. O papel de Beckett e outros assistentes incluiu reunir palavras destes idiomas em cartões para Joyce usar e, à medida que a visão do autor piorava, escrever o texto enquanto ele ditava.
A visão de história proposta neste texto sofre influência muito forte de Giambattista Vico, e a metafísica de Giordano Bruno de Nola é importante para as inter-relações dos "personagens". Vico propunha uma visão cíclica da história, na qual a civilização se erguia do caos, passava por fases teocráticas, aristocráticas e democráticas e retornava novamente ao caos. O exemplo mais óbvio da influência da filosofia cíclica da história de Vico encontra-se nas sentenças de abertura e fechamento do livro. Finnegans Wake começa com as palavras (na tradução brasileira de Donaldo Schüler): aqui, pretendo citar um trecho da tradução. Já foi feito o contato com a editora para solicitar a permissão por escrito. Em outras palavras, a primeira sentença começa na última página e a última sentença na primeira, tornando o livro um grande ciclo. Inclusive, Joyce disse que o leitor ideal do Finnicius sofreria de uma "insônia ideal" e, ao completar o livro, retornaria à página um e começaria novamente, e assim por diante num ciclo infinito de releituras. Inclusive, a tradução proposta para o título remete a fim + início, com o us no final podendo aludir a línguas como o latim e o francês, referidas também no original (fin-again, fim-de
Com a erupção da Segunda Guerra Mundial, Joyce teve de deixar Paris e por fim voltou a Zurique, quase cego, em 1940. No começo do ano seguinte, morre de úlcera duodenal perfurada e peritonite generalizada, durante uma operação para salvar sua vida. Está enterrado no Cemitériode Fluntern,[5] naquela cidade, junto com Nora.
A obra de Joyce foi submetida a pesquisas intensas por estudiosos de todos os tipos, e ele é um dos autores mais notáveis do século XX. Também foi influência importante para autores tão diversos quanto Beckett, Jorge Luis Borges, Flann O'Brien, Máirtín Ó Cadhain, Salman Rushdie, Thomas Pynchon, William Burroughs e muitos outros. Haroldo de Campos considera sua obra, em prosa e em verso, de importância central para a poesia posterior a ela.
A influência de Joyce também se faz sentir em campos alheios à literatura. A frase "Three Quarks for Muster Mark", no Finnegans Wake, é a fonte para a palavra quark, na Física, que designa um dos muitos tipos de partícula elementar. O nome foi proposto pelo físico Murray Gell-Mann. O filósofo francês Jacques Derrida publicou um livro sobre o uso da linguagem em Ulisses, e o filósofo americano Donald Davidson fez o mesmo com o Finnegans Wake, comparando-o com Lewis Carroll.
Celebra-se anualmente a vida de Joyce no dia 16 de junho, o Bloomsday, em Dublin e num número cada vez maior de cidades ao redor do mundo. Em 2004, a capital irlandesa realizou o festival Bloomsday 100, que durou cinco meses (de abril a agosto) e se propunha a reaproximar a cidade e a obra de seu estimado filho. Um dos maiores eventos foi um café da manhã para milhares de pessoas 

Meu Pé Esquerdo
2- Christy Brown (05/06/1932 - 07/09/1981) Era um novelista, poeta e pintor irlandês com paralisia cerebral que foi capaz de escrever com os dedos do . Ele escreveu a sua autobiografia  que se tornou o filme.

Escritores Escoceses

Os Amores de Robert Burns (1930) é um filme britânico musical histórico dirigido por Herbert Wilcox.
1- Robert Burns  (25 de Janeiro de 1759 -  21 de Julho de 1796) escreveu poemas que prefiguram o romantismo e comédia. Cheios de simplicidade e espontaneidade, as poesias escritas em escocês tinham como tema sua aldeia, a natureza e seus amores.
Filho de lavradores pobres, Robert era o mais velho dos sete filhos. Mesmo criado no campo, e com poucos recursos financeiros, estudou em uma escola local, fundada por seu pai e alguns vizinhos, onde recebeu lições de latim, matemática e francês.
Desde os 15 anos Robert escrevia seus poemas, sem no entanto publicá-los, mas para obter recursos para uma viagem à Jamaica com sua namorada, publicou uma coletânea de poemas em 1788. A viagem não se deu devido à morte de sua amada. Esse acontecimento aliado ao relativo sucesso da obra mudaram seus planos. Decidiu permanecer na Escócia e conseguiu um cargo na administração britânica. No entanto, sua simpatia pela Revolução Francesa e a vida agitada que levava fizeram com que não obtivesse progresso na carreira pública. Casou-se com Jean Armour com quem teve nove filhos. O caçula nasceu no dia do funeral de Robert que morreu aos 37 anos.
A obra de Robert é composta por 559 poemas e canções, sendo " A valsa da Despedida" bastante conhecida em português por haver recebido uma versão feita por Alberto Ribeiro e Braguinha (João de Barro), tornando-se uma canção muito popular.
Os escritores ingleses, acabaram influenciando outros nas colonias, e criando uma futura geração de escritores na língua inglesa.

Escritores da Nova Zelândia

Um Anjo Em Minha Mesa
Uma obra prima! Baseado no relato autobiográfico de Janet, o filme conta a historia de uma menina gorducha e tímida que é diagnosticada como esquizofrênica e passa oito anos em um sanatório. Para se tornar depois uma das mais importantes escritoras da Nova Zelândia. Um percurso desconcertante de uma mulher sensível que aceita a sua vida trágica tal como ela é. Uma historia de esperança, sofrimento e triunfo. Premiadíssimo filme da mesma diretora de O Piano.
1- Nene Janet Paterson Clutha nasceu na Nova Zelândia ( 28/08/1924 - 20/01/2004). Ela escreveu novelas, estorias curtas, poesia e ficção juvenil o seu principal trabalho foi a auto biografia que veio a se tornar o filme a seguir.

Escritores Japoneses

Leoni  (2010) é um filme japonese, dirigido por Hisako Matsui. O filme é baseado na vida de Léonie Gilmour, a amante americana e assistente editorial do escritor japonês Yone Noguchi e mãe de escultor Isamu Noguchi e dançarina Ailes Gilmour.
O filme começa num quarto escuro com uma janela com vista para praia. Isamu Noguchi, envelheceu, está desbastando uma grande pedra com um martelo e cinzel. "Mãe, eu quero que você conte a história." O filme retorna periodicamente para esta cena de Isamu no trabalho,e a historia de Leoni com o author Yoni NOguchi que começa em 1892...
1- Yonejiro Noguchi nasceu no Japão (08/12/1875 -13/07/1947)  Era um poeta, ensaísta e critico literário.

Escritores Italianos

Casanova é um filme norte-americano de 2005, do gênero romance, dirigido por Lasse Hallström. Estreou nos cinemas em Portugal a 23 de Março de 2006.Casanova, pela primeira vez na vida, encontra uma mulher que o rejeita. Ela é a bela veneziana Francesca Bruni e, para conquistá-la, Casanova usa os mais variados disfarces e estratégias, colocando em jogo sua reputação e até mesmo a sua vida.
Casanova Dirigido por Fellini (1976) é um filme do diretor italiano Federico Fellini, adaptado a partir da biografia de Casanova.
O filme retrata a vida de Casanova como uma viagem bizarra em abandono sexual. Qualquer emoção significativa ou sensualidade é eclipsado por situações cada vez mais estranhas. A narrativa apresenta as aventuras de Casanova em um individual, de forma metódica, como o respeito que ele anseia é constantemente minada pela mais impulsos básicos.
1- Giacomo Girolano Casanova (02/04/1725 - 04/06/1798) foi um escritor e aventureiro italiano. Ele escreveu a sua memoria cujo o original integral somente foi publicado em 1960.

Escritores Alemães 


O maravilhoso Mundo dos Irmãos Grimm  (1962) - A história de Wilhelm e Jacob Grimm, e três de suas histórias ...
Os Irmãos Grimm  é um filme estadunidense, tcheco e britânico de 2005, dirigido por Terry Gilliam. Em junho de 2004 um problema nos sets de filmagens forçou o diretor Terry Gilliam a adiar as filmagens em seis meses. Gilliam começou então a trabalhar em Tideland, tendo retomado o trabalho em Os Irmãos Grimm em janeiro de 2005. O orçamento de Os Irmãos Grimm foi de 80 milhões de dólares, tendo arrecadado cerca de 105 milhões em todo mundo.
1- Jacob (04/01/1785 - 20/09/1863) 
2- Wilhelm (24/02/1786 - 16/12/1859)

Escritores Dinamarqueses 

1- Hans Christian Andersen (1952)  
Hans nasceu em 2 de abril de 1805 — 4 de agosto de 1875. Ele foi um escritor e poeta de histórias infantis, nascido na atual Dinamarca.
Hans era filho de um sapateiro, o que levou Hans a ter dificuldades para se educar. No entanto, seus ensaios poéticos e o conto "Criança Moribunda" garantiram-lhe um lugar no Instituto de Copenhague. Escreveu peças de teatro, canções patrióticas, contos, histórias, e, principalmente, contos de fadas, pelos quais é mundialmente conhecido.
Toda a família vivia e dormia num único quarto. O pai adorava o filho, a quem fomentou a imaginação e a criatividade, deixando-o aprender a ler, contando-lhe histórias e, mesmo, fabricando-lhe um teatrinho de marionetas . Hans apresentava no seu teatro peças clássicas, tendo chegado a memorizar muitas peças de Shakespeare, que encenava com seus brinquedos.
O pai de Hans considerava-se ligado à nobreza. A sua avó paterna dizia a seu pai que sua família no passado pertencera a alta classe dano-norueguesa, mas as investigações provam que essas histórias não têm fundamento. A família aparentemente tinha ligações com a realeza, mas através de emprego ou comércio. Hoje persistem especulações de que Hans pode ter sido um filho ilegítimo da família real. Seja qual for o motivo, o rei Frederico VI teve um interesse pessoal nele quando jovem e pagou uma parte de sua educação. A ascendência de Hans permanece indeterminada.
Em 1816, seu pai morreu e ele, com apenas onze anos de idade, foi obrigado a abandonar a escola.

Hans foi forçado a se sustentar. Trabalhou como aprendiz de tecelão e, mais tarde, para um alfaiate. Aos catorze anos, mudou-se para Copenhaga para procurar emprego como ator. Tendo uma excelente voz de soprano, foi aceito no Teatro Real da Dinamarca, mas sua voz logo mudou. Um colega do teatro disse-lhe que o considerava um poeta. Levando a sério a sugestão, começou a focar-se na literatura.
Em Copenhaga, as suas atitudes diferentes rapidamente depressa o isolaram como um lunático. Apesar da sua voz lhe ter falhado, foi admitido no Teatro Real pelo seu diretor, Jonas Collin, que enviou-lhe para uma escola, cobrindo todas as suas despesas. Hans já havia publicado seu primeiro conto, O Fantasma da Tumba de Palnatoke, em 1822. Embora não tenha sido um aluno exemplar, ele também frequentou a escola em Elsinore, até 1827.
Em 1828, foi admitido na Universidade de Copenhaga. Em 1829, quando os seus amigos já consideravam que nada de bom resultaria da sua excentricidade, obteve considerável sucesso com Um passeio desde o canal de Holmen até à ponta leste da ilha de Amager, e acabou por alcançar reconhecimento internacional em 1835, quando lançou o romance O Improvisador, na sequência de viagens que o tinham levado a Roma, depois de passar por vários países da Europa.
Contudo, apesar de ter escrito diversos romances adultos, livros de poesia e relatos de viagens, foram os contos de fadas que tornaram Hans  famoso. Especialmente pelo fato de que, até então, eram muito raros livros voltados especificamente para crianças.
Ele  buscava sempre passar padrões de comportamento que deveriam ser adotados pela nova sociedade que se organizava, inclusive apontando os confrontos entre "poderosos" e "desprotegidos", "fortes" e "fracos", "exploradores" e "explorados". Ele também pretendia demonstrar a ideia de que todos os homens deveriam ter direitos iguais.

Entre 1835 e 1842, Hans lançou seis volumes de Contos, livros com histórias infantis traduzidos para diversos idiomas. Ele continuou escrevendo seus contos infantis até 1872, chegando à marca de 156 histórias. No começo, escrevia contos baseados na tradição popular, especialmente no que ele ouvia durante a infância, mas depois desenvolveu histórias no mundo das fadas ou que traziam elementos da natureza.
Escritores Russos
A Ultima Estação
Em 1910, o romancista famoso Leo Tolstoy (Christopher Plummer) e sua esposa Sofia (Helen Mirren) discordam veementemente sobre os direitos à herança literária de Tolstoi. Sofia acredita que o marido deve legar-lhes a ela após a sua morte, enquanto principal discípulo de Tolstói, Chertkov (Paul Giamatti), tenta convencer o escritor a assinar os direitos sobre ao povo russo. Para este fim, Chertkov insere um espião na casa de Tolstoi, que prontamente se apaixona por uma das filhas do romancista.
1- Count Lev Nikolayevich Toltoy (28/08/1828 - 20/11/1910) era um novelista russo considerado um dos maiores de todos os tempos. As suas novelas mais conhecidas são: Guerra e Paz (1869) e Anna Karenina (1877).

Escritores Húngaros

Kafka é um filme de suspense e mistério baseado na vida e na obra do escritor Franz Kafka. O filme tenta obscurecer o limite entre o surreal e o real, criando uma atmosfera bastante kafkiana. Foi dirigido por Steven Soderbergh.
1- Franz Kafka ( 3 de julho de 1883 — 3 de junho de 1924)[foi um escritor tcheco, autor de romances e contos, considerado pelos críticos como um dos escritores mais influentes do século XX. A maior parte de sua obra, como A Metamorfose, O Processo e O Castelo, está repleta de temas e arquétipos de alienação e brutalidade física e psicológica, conflito entre pais e filhos, personagens com missões aterrorizantes, labirintos burocráticos e transformações místicas.



 (2009) é um filme alemão sobre Leon Tolstói [, baseado em um romance biográfico de 1990 do mesmo nome escrito por Jay Parini, dirigido e roteirizado por Michael Hoffman. 

A história do filme é sobre a batalha entre Sophia e o discípulo do marido Vladimir Chertkov sobre os direitos da obra do escritor, além de dramatizar os últimos momentos de vida de Tolstói na estação ferroviária de Astapovo.

Lev Nikolayevich Tolstoi mais conhecido em português como Leon, Leão ou Liev Tolstoi ( 9 de setembro de 1828 — Astapovo, 20 de novembro de 1910) 
Além de sua fama como escritor, Tolstoi ficou famoso por tornar-se, na velhice, um pacifista, cujos textos e ideias contrastavam com as igrejas e governos, pregando uma vida simples e em proximidade à natureza.
The Gambler is a 1997 drama film directed by Károly Makk and starring Michael Gambon, Jodhi May and Polly Walker. It is set around the writing of the novel The Gambler by Fyodor  Mikhailovich Dostoyevsky (/ˌdɒstəˈjɛfski, ˌdʌs-/;[1] Russian: Фёдор Миха́йлович Достое́вский; IPA: [ˈfʲɵdər mʲɪˈxajləvʲɪtɕ dəstɐˈjɛfskʲɪj] ( listen); 11 November 1821 – 9 February 1881),[b] sometimes transliterated Dostoevsky, was a Russian novelist, short story writer, essayist, journalist and philosopher. Dostoyevsky's literary works explore human psychology in the troubled political, social, and spiritual atmosphere of 19th-century Russia, and engage with a variety of philosophical and religious themes.

Tolstoi foi um dos grandes mestres da literatura russa do século XIX. Suas obras mais famosas são Guerra e Paz, sobre as campanhas de Napoleão na Rússia, e Anna Karenina, onde denuncia o ambiente hipócrita da época e realiza um dos retratos femininos mais profundos e sugestivos da Literatura.
Morreu aos 82 anos, de pneumonia, durante uma fuga de sua casa, buscando viver uma vida simples.
The Classic
2001 ‧ Drama/Comédia ‧ 1h 20m
Data de lançamento: 23 de fevereiro de 2001 (Finlândia)

Direção: Kari Väänäne

Escritores Espanhóis

Lope de Vega 
1- Félix Lope de Vega y Carpio ( 25 de Novembro de 1562 – 27 de Agosto de 1635) foi um dramaturgo, autor de peças teatrais e poeta espanhol. Era um menino prodígio: com cinco anos já lia em castelhano e latim, com dez anos já fazia traduções do latim para o espanhol, e com doze anos escreveu sua primeira peça de teatro. Com 14 anos, começou a estudar com os jesuítas e entrou depois para o serviço do bispo D. Jerônimo Manrique, que lhe proporcionou sólida formação e levou-o consigo a Alcalá de Henares, estudou na Universidade de Salamanca (1580-1582), serviu na Invencível Armada (1588), enviada contra a Inglaterra e sobrevivendo à derrota começou a escrever.
O Desaparecimento de Garcia Lorca
o jornalista Ricardo sempre foi apaixonado do renomado poeta espanhol Federico Garcia Lorca (. Vários anos depois do desaparecimento do poeta durante a Guerra Civil Espanhola, Ricardo retorna para a Espanha para investigar, apesar das advertências de seu pai (Edward James Olmos). O ditador Franco ainda está muito no poder, no entanto, e continuando a investigação de Ricardo chama a atenção dos Centeno (Miguel Ferrer), um agente de segurança para o governante opressivo.
2- Frederico del sagrado Corazon de Jesus Garcia Lorca (05/06/1898 - 19/08/1936) era um espanhol escritor, poeta e diretor de teat

Escritores Cubanos

Antes de Anoitecer é um filme norte-americano de 2000 dirigido por Julian Schnabel, baseado no livro Antes que Anoiteça, de Reinaldo Arenas. Por esse filme, Javier Bardem foi indicado ao Oscar de Melhor Ator.
!- Reinaldo Arenas (16/07/1943 - 7/12 /1990) foi um escritor cubano de poesia, novelas e teatro. Ele era assumidamente homossexual e passou grande parte da sua vida combatendo o regime comunista de Fidel Castro. 

Escritores Chilenos

O Carteiro e o Poeta
Quando poeta cubano exilado Pablo Neruda (Philippe Noiret) chega em uma pequena ilha italiana, há muito novo e-mail que Mario (Massimo Troisi), um vagabundo ignorante desempregado, é contratado como carteiro. Seu trabalho é simplesmente para entregar o correio diário de Neruda. Mario logo se torna um estudante do poeta, aprendendo a arte da poesia para cortejar uma garçonete local (Maria Grazia Cucinotta) e falar sobre as lutas dos moradores da classe trabalhadora. Uma amizade empresa desenvolve, e que o carteiro se transforma em um homem mudado.
1- Pablo Neruda (12/07/1904 - 23/09/1973) foi um poeta chileno, e um dos mais importantes da língua castelhana do seculo XX. Ele recebeu o Nobel de Literatura em 1971.

Escritores Brasileiros

Memórias do Cárcere
1- Graciliano Ramos de Oliveira (27 de outubro de 1892 — Rio de Janeiro, 20 de março de 1953) foi um romancista, cronista, contista, jornalista, político e memorialista brasileiro do século XX, mais conhecido por seu livro Vidas Secas (1938).
Ele nasceu em  em 27 de outubro de 1892. Primeiro de dezesseis irmãos de uma família de classe média do sertão nordestino, ele viveu os primeiros anos em diversas cidades do Nordeste brasileiro, como Buíque (PE), Viçosa e Maceió (AL). Terminando o segundo grau em Maceió, seguiu para o Rio de Janeiro, onde passou um tempo trabalhando como jornalista.
Em setembro de 1915, motivado pela morte dos irmãos Otacília, Leonor e Clodoaldo e do sobrinho Heleno, vitimados pela epidemia de peste bubônica, volta para o Nordeste, fixando-se junto ao pai, que era comerciante em Palmeira dos Índios, Alagoas. Neste mesmo ano casou-se com Maria Augusta de Barros, que morreu em 1920, deixando-lhe quatro filhos.
Márcio Ramos (1916–1950)
Júnio Ramos (1917–1975)
Múcio Ramos (1919–1994)
Maria Ramos (1920–1980)
Foi eleito prefeito de Palmeira dos Índios em 1927, tomando posse no ano seguinte. Ficou no cargo por dois anos, renunciando a 10 de abril de 1930. Segundo uma das auto-descrições, "(...) Quando prefeito de uma cidade do interior, soltava os presos para construírem estradas." Os relatórios da prefeitura que escreveu nesse período chamaram a atenção de Augusto Frederico Schmidt, editor carioca que o animou a publicar Caetés (1933).
Entre 1930 e 1936 viveu em Maceió, trabalhando como diretor da Imprensa Oficial, professor e diretor da Instrução Pública do estado. Em 1934 havia publicado São Bernardo, e quando se preparava para publicar o próximo livro, foi preso em decorrência do pânico insuflado por Getúlio Vargas após a Intentona Comunista de 1935. Com ajuda de amigos, entre os quais José Lins do Rego, consegue publicar Angústia (1936), considerada por muitos críticos como sua melhor obra.
Em 1938 publicou Vidas Secas. Em seguida estabeleceu-se no Rio de Janeiro, como inspetor federal de ensino.
Em 1945 ingressou no antigo Partido Comunista do Brasil - PCB (que nos anos sessenta dividiu-se em Partido Comunista Brasileiro - PCB - e Partido Comunista do Brasil - PCdoB),de orientação soviética e sob o comando de Luís Carlos Prestes; nos anos seguintes, realizaria algumas viagens a países europeus com a segunda esposa, Heloísa Medeiros Ramos(1928–1953) , retratadas no livro Viagem (1954). Ainda em 1945, publicou Infância, relato autobiográfico. e teve mais quatro filhos
Ricardo Ramos (1929–1992)
Roberto Ramos (1930) [2]
Luísa Ramos (1931–)
Clara Ramos (1932–1993)
Ele morreu aos 60 anos, vítima de câncer do pulmão
O Poeta de Sete Faces - Carlos Drumond de Andrade
2- Carlos Drumond Andrade nasceu em 31/10/1902 morreu em 17/08/1987, provavelmente um dos poetas mais influentes no seculo passado no pais.
Vera é um filme brasileiro dirigido e escrito em 1987 por Sérgio Toledo, baseado na vida de Anderson Herzer, autor de A queda para o alto. A trilha sonora, premiada, é de Arrigo Barnabé, Roberto Ferraz e Tércio da Motta. Conta a história de Anderson, uma interna da Febem, Transexual e poeta, dos maus-tratos no internato ao suicídio, em 1982, passando pela fase em que saiu da Febem pelas mãos do (então) deputado Eduardo Suplicy que, sensibilizado com seu talento, deu-lhe apoio e conseguiu-lhe emprego.
3-Anderson Herzer, nome social de Sandra Mara Herzer ( 1962 —  1982) foi um escritor e poeta transexual brasileiro. Ex-interno da FEBEM, teve a vida e versos publicados no livro "A queda para o alto" 
Anderson tinha ainda quatro anos quando seu pai foi assassinado. Sua mãe, prostituída, não lhe serviu de referência positiva, deixando-o também órfão ainda na primeira infância. Em conflito com sua identidade de gênero, primeiramente se revelaria homossexual, mas depois se afirmaria como transexual. Logo cedo, segundo indicações de registros escolares, envolveu-se em brigas na escola e também passou a consumir álcool. Subseqüentemente, viciou-se em drogas recreativas, o que o fez entrar para a antiga Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (FEBEM) – onde adotou o nome social de masculino "Anderson Bigode Herzer", aos 14 anos. Lá ficou como interno até os 17, quando o deputado estadual Eduardo Suplicy sensibilizado com seus poemas e sua história, atuando como seu protegê, lhe deu uma oportunidade de trabalho em seu gabinete e uma vida livre, fora dos muros da instituição.
Entretanto, ainda sofrendo profundos traumas, apesar do auxílio recebido, Anderson se suicidaria, atirando-se do Viaduto 23 de Maio, localizado no centro da cidade de São Paulo, vindo a óbito em conseqüência de ferimentos graves, mesmo após ter recebido os primeiros socorros ainda em vida.
é um filme brasileiro de 2010 dirigido por Daniel Filho, com roteiro de Marcos Bernstein baseado no livro As Vidas de Chico Xavier, de Marcel Souto Maior. 
3- Francisco Cândido Xavier,Francisco Cândido Xavier, mais conhecido como Chico Xavier  2 de abril de 1910 —  30 de junho de 2002), foi um médium, filantropo e um dos mais importantes expoentes do Espiritismo. Seu nome de batismo, Francisco de Paula Cândido, em homenagem ao santo do dia de seu nascimento, foi substituído pelo nome paterno de Francisco Cândido Xavier logo que psicografou os primeiros livros, mudança oficializada em abril de 1966, quando chegou da sua segunda viagem aos Estados Unidos.Chico Xavier psicografou mais de 450 livros,tendo vendido mais de 50 milhões de exemplares e sendo o escritor brasileiro de maior sucesso comercial da história, mas sempre cedeu todos os direitos autorais dos livros, em cartório, para instituições de caridade.Também psicografou cerca de dez mil cartas, nunca tendo cobrado algo ao destinatário. Seus empregos foram vendedor, tecelão e datilógrafo.


O Meu Pé de laranja Lima
O filme foi baseado no livro autobiografico do mesmo nome do autor José Mauro de Vasconcelos. O livro foi publicado pela primeira vez em 1968 seu maior sucesso editorial, serve-se de sua experiência pessoal para retratar o choque sofrido na infância com as bruscas mudanças da vida. Foi escrito em apenas doze dias. e foi usado para aulas de literatura para o ensino fundamental no Brasil. Além disso, ele foi traduzido e publicado nos EUA e Europa. 
 O romance é parte de uma tetralogia escrito por Vasconcelos e centrada em diferentes fases na vida do protagonista, Zezé e, por extensão, a vida Vasconcelos também. Os quatro livros foram publicados em uma ordem desorganizada, seguindo uma cronologia aleatória em vez de uma direta. A continuação direta da história, Doidão, foi, na verdade, publicado em 1963, cinco anos antes do meu pé de laranja lima, e segue a vida de Zezé durante sua adolescência.
4- José Mauro de Vasconcelos ( 26 de fevereiro de 1920 —  24 de julho de 1984 )  nasceu de família nordestina, que migrara para São Paulo. Os pais tinham tão poucos recursos que ele, ainda criança, teve de se transferir para a Nordeste, onde foi criado pelos tios em Natal. Ingressando na Faculdade de Medicina da capital potiguar, abandona o curso no segundo ano, retornando ao Rio de Janeiro a fim de conseguir melhores oportunidades. Ali, trabalha como carregador de bananas numa fazenda do litoral do estado, instrutor de boxe, e, devido ao belo porte físico, até como modelo pictórico. Há uma estátua sua, do escultor Bruno Giorgi, no Monumento à Juventude, na antiga sede do Ministério da Educação.
Em São Paulo, foi garçom de boate. Obteve uma bolsa de estudos na Espanha, mas não suportou a vida acadêmica. Abandonou os estudos depois de uma semana, preferindo correr a Europa. A atividade mais importante que exerceu foi junto aos irmãos Villas-Bôas pelos rios da região do Araguaia, conhecendo o ambiente inóspito e lutando pelos índios.
Estava amadurecido o homem José Mauro, e o resultado disso foi seu livro de estreia, o romance Banana Brava, de 1942, onde reflete o mundo dos homens do garimpo. Mas a obra não alcançou bons resultados na época, apesar de algumas críticas favoráveis. Rosinha, Minha Canoa, de 1962, marca seu primeiro sucesso. 
Eu irei terminar a lista com o letrista e novelista brasileiro nascido em 24/08/1947, Paulo Coelho. O Alquimista é sua novela mais famosa e foi traduzida em 80 línguas. O autor vendeu 190 milhões de copias no mundo inteiro e tem o record de ter a melhor venda de autor portuguese no mundo.
Não Pare na Pista -  é um filme de drama brasileiro de 2014, uma obra biográfica sobre Paulo Coelho. O longa é dirigido por Daniel Augusto, interpretações de Ravel e Júlio Andrade, alternando-se no papel de Paulo jovem e adulto, escrito por Carolina Kotscho e ainda conta com Lucci Ferreira e Fabiula Nascimento como Raul Seixas e mãe de Paulo.
O filme se concentra em três momentos distintos da carreira do escritor: a juventude, nos anos 1960; a idade adulta, nos anos 1980; e a maturidade, em 2013, quando refaz o Caminho de Santiago. Usando como base depoimentos do próprio Paulo Coelho, a história perpassa os momentos mais marcantes da vida do autor, como os traumas, a relação com as drogas e a religião, sexualidade e a parceria com o músico Raul Seixas.
Depois do lançamento de Dois Filhos de Francisco, Paulo Coelho quis conhecer a pessoa que fez o roteiro do filme. Então Coelho foi apresentado à Carolina Kotscho, que lhe propôs uma cinebiografia. Usando como base as próprias declarações de Paulo Coelho, o longa que na época foi intitulado de O Peregrino, veio a ser anunciada somente em abril de 2011, numa coletiva de impressa, onde Coelho relatou que tinha desejo que seu longa fosse dirigido por Clint Eastwood, veterano cineasta americano, pois acreditava que Eastwood reescreveria todo o roteiro.
5- Paulo Coelho de Souza (24 de agosto de 1947) é um escritor, letrista e jornalista brasileiro. Foi vice-presidente da Fundação Cacique Cobra Coral entre 2004 e 2006.

Escritores Portugueses


José e Pilar (2010) é um documentário de Miguel Gonçalves Mendes, uma co-produção entre Portugal, Espanha e Brasil.O documentário acompanha durante dois anos a vida de José Saramago e Pilar del Río. Em Portugal o documentário esteve quatro meses consecutivos em cartaz, resultando num total de 22 mil espetadores, já no Brasil esteve cinco meses consecutivos, com 40 mil espetadores no total. Estes números fizeram-no ser o documentário realizado por um português mais visto em Portugal.
1- José de Sousa Saramago ( 16 de novembro de 1922 — 18 de junho de 2010) foi um escritor português.
Ele recebeu o Nobel de Literatura de 1998. Também ganhou, em 1995, o Prémio Camões, o mais importante prémio literário da língua portuguesa. Saramago foi considerado o responsável pelo efectivo reconhecimento internacional da prosa em língua portuguesa. A 24 de Agosto de 1985 foi agraciado com o grau de Comendador da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada e a 3 de Dezembro de 1998 foi elevado a Grande-Colar da mesma Ordem, uma honra geralmente reservada apenas a Chefes de Estado.
O seu livro Ensaio sobre a Cegueira foi adaptado para o cinema e lançado em 2008, produzido no Japão, Brasil, Uruguai e Canadá, dirigido por Fernando Meirelles (realizador de O Fiel Jardineiro e Cidade de Deus). Em 2010 o realizador português António Ferreira adapta um conto retirado do livro Objecto Quase, conto esse que viria dar nome ao filme Embargo, uma produção portuguesa em co-produção com o Brasil e Espanha.
 Jose era ateísta e iberismo, foi membro do Partido Comunista Português e foi director-adjunto do Diário de Notícias. Juntamente com Luiz Francisco Rebello, Armindo Magalhães, Manuel da Fonseca e Urbano Tavares Rodrigues foi, em 1992, um dos fundadores da Frente Nacional para a Defesa da Cultura (FNDC). 
María del Pilar del Río Sánchez (1950) é uma jornalista, escritora e tradutora espanhola.Filha de Antonio e Carmen, sendo a filha mais velha de um total de quinze irmãos. Foi mãe aos 26 anos,  Juan José, fruto do primeiro casamento.
Em 1986, já divorciada, Pilar  conheceu o José Saramago, após ter lido todos os seus livros publicados em espanhol e ter pedido para o conhecer pessoalmente.[Dois anos mais tarde, em 1988, casaram-se e decidiram viver em Lisboa, mudando-se posteriormente, a partir de 1993, para a ilha espanhola de Lanzarote, nas Ilhas Canárias. Permaneceu ao seu lado até à sua morte em 2010. Ela foi a tradutora para a língua espanhola de vários romances de José Saramago. Em 2010, após a morte do marido requereu a nacionalidade portuguesa, tendo posteriormente obtido esta. A 29 de Junho de 2007 eles constituem a Fundação José Saramago para a defesa e difusão da Declaração Universal dos Direitos Humanos e dos problemas do meio ambiente. Em 2012 a Fundação José Saramago abre as suas portas ao público na Casa dos Bicos em Lisboa, presidida pela sua mulher Pilar del Río.

Palavra e Utopia é um filme português de 2000 dirigido pelo cineasta Manoel de Oliveira que conta a trajetória de Padre António Vieira.
Padre Antônio Vieira (Lisboa, 6 de fevereiro de 1608 — Salvador, 18 de julho de 1697) foi um religioso, filósofo, escritor e orador português da Companhia de Jesus.
Uma das mais influentes personagens do século XVII em termos de política e oratória, destacou-se como missionário em terras brasileiras. Nesta qualidade, defendeu incansavelmente os direitos dos povos indígenas combatendo a sua exploração e escravização e fazendo a sua evangelização. Era por eles chamado de "Paiaçu" (Grande Padre/Pai, em tupi).
Ele defendeu também os judeus, a abolição da distinção entre cristãos-novos (judeus convertidos, perseguidos à época pela Inquisição) e cristãos-velhos (os católicos tradicionais), e a abolição da escravatura. Criticou ainda severamente os sacerdotes da sua época e a própria Inquisição.
Na literatura, seus sermões possuem considerável importância no barroco brasileiro e português. As universidades frequentemente exigem a sua leitura.
Florbela Espanca (Vila Viçosa, 8 de dezembro de 1894 — Matosinhos, 8 de dezembro de 1930)[1], batizada como Flor Bela Lobo, e que opta por se autonomear Florbela d'Alma da Conceição Espanca [2] , foi uma poetisa portuguesa. A sua vida, de apenas trinta e seis anos, foi plena, embora tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade, carregada de erotização, feminilidade[3] e panteísmo. Tem uma biblioteca com o seu nome em Matosinhos.Filha bastarda de Antónia da Conceição Lobo e do republicano João Maria Espanca nasceu no dia 8 de dezembro de 1894 em Vila Viçosa, no Alentejo. O seu pai herdou a profissão de sapateiro, mas passou a trabalhar como antiquário, negociante de cabedais, desenhista, pintor, fotógrafo e cinematografista. Foi um dos introdutores do "Vitascópio de Edison" em Portugal.
O seu pai era casado com Mariana do Carmo Toscano. Embora sua esposa fosse estéril, João Maria teve filhos de um caso extraconjugal, com autorização de sua mulher, e assim nasceram Florbela e, três anos depois, Apeles, ambos filhos de Antónia da Conceição Lobo, e registados como filhos ilegítimos de pai incógnito. João Maria Espanca criou-os na sua casa, e, apesar de Mariana ter passado a ser madrinha de batismo dos dois, João Maria só reconheceu Florbela como a sua filha em cartório dezoito anos após a sua morte.
Entre 1899 e 1908, Florbela frequentou a escola primária em Vila Viçosa.Foi naquele tempo que passou a assinar os seus textos Flor d’Alma da Conceição. As suas primeiras composições poéticas datam dos anos 1903 - 1904: o poema "A Vida e a Morte", o soneto em redondilha maior em homenagem ao irmão Apeles e um poema escrito por ocasião do aniversário do pai "No dia d'anos", com a seguinte dedicatória: «Ofereço estes versos ao meu querido papá da minha alma» . Em 1907, Florbela escreveu o seu primeiro conto: "Mamã!" No ano seguinte, faleceu a sua mãe, Antónia, com apenas vinte e nove anos.
Florbela ingressou então no Liceu Masculino André de Gouveia em Évora, onde permaneceu até 1912.Foi uma das primeiras mulheres em Portugal a frequentar o curso secundário.Durante os seus estudos no Liceu, Florbela requisitou diversos livros na Biblioteca Pública de Évora, aproveitando então para ler obras de Balzac, Dumas, Camilo Castelo Branco, Guerra Junqueiro, Garrett. Quando ocorreu a revolução de 5 de Outubro de 1910, Florbela está há dois dias com a família na capital, no Francfort Hotel Rossio, mas não se conhecem comentários seus à sua vivência deste dia.
Em 1913 casou-se em Évora com Alberto de Jesus Silva Moutinho, seu colega da escola. O casal morou primeiro em Redondo.[5] Em 1915 instalou-se na casa dos Espanca em Évora, por causa das dificuldades financeiras.[6]
Em 1916, de volta a Redondo, a poetisa reuniu uma seleção da sua produção poética desde 1915, inaugurando assim o projeto Trocando Olhares.[5] A coletânea de oitenta e cinco poemas e três contos serviu-lhe mais tarde como ponto de partida para futuras publicações. Na época, as primeiras tentativas de promover as suas poesias falharam.
No mesmo ano, Florbela iniciou-se como jornalista em Modas & Bordados (suplemento de O Século de Lisboa), em Notícias de Évora e em A Voz Pública, também eborense.A poetisa regressou de novo a esta cidade em 1917. Completou o 11º ano do Curso Complementar de Letras e matriculou-se na faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Foi uma das catorze mulheres entre trezentos e quarenta e sete alunos inscritos.
Um ano mais tarde a escritora sofreu as consequências de um aborto involuntário, que lhe teria infetado os ovários e os pulmões. Repousou em Quelfes (Olhão), onde apresentou os primeiros sinais sérios de neurose.
Em 1919 saiu a sua primeira obra, Livro de Mágoas, um livro de sonetos. A tiragem (duzentos exemplares[5]) esgotou-se rapidamente. Um ano mais tarde, sendo ainda casada, a escritora passou a viver com António José Marques Guimarães,[6] alferes de Artilharia da Guarda Republicana.
Em 1920 interrompeu os estudos na faculdade de Direito. Em 29 de Junho de 1921 pôde finalmente casar-se com António Guimarães. O casal passou a residir no Porto, mas, no ano seguinte, transferiu-se para Lisboa, onde Guimarães se tornou chefe de gabinete do Ministro do Exército.
Em 1922, a 1 de Agosto, a recém fundada Seara Nova publicou o seu soneto "Prince charmant…", dedicado a Raul Proença Em Janeiro de 1923 veio a lume a sua segunda coletânea de sonetos, Livro de Sóror Saudade, edição paga pelo pai da poetisa. Para sobreviver, Florbela começou a dar aulas particulares de português.[5]
Em 1925, divorciou-se pela segunda vez. Esta situação abalou-a muito. O seu ex-marido, António Guimarães, abriu mais tarde uma agência, "Recortes", que colecionava notas e artigos sobre vários autores. O seu espólio pessoal reúne o mais abundante material que foi publicado sobre Florbela, desde 1945 até 1981. Ao todo são 133 recortes.[6] Ainda em 1925, a poetisa casou com o médico Mário Pereira Lage, que conhecia desde 1921 e com quem vivia desde 1924. O casamento decorreu em Matosinhos, no Distrito do Porto, onde o casal passou a morar a partir de 1926.
Em 1927 a autora principiou a sua colaboração no jornal D. Nuno de Vila Viçosa, dirigido por José Emídio Amaro.[5] Naquele tempo não encontrava editor para a coletânea Charneca em Flor. Preparava também um volume de contos, provavelmente O Dominó Preto, publicado postumamente apenas em 1982. Começou a traduzir romances para as editoras Civilização e Figueirinhas do Porto.
No mesmo ano, Apeles Espanca, o irmão da escritora, faleceu num trágico acidente de avião. A sua morte foi devastadora para Florbela. Em homenagem ao irmão, Florbela escreveu o conjunto de contos de As Máscaras do Destino, volume publicado postumamente em 1931. Entretanto, a sua doença mental agravou-se bastante.Em 1928 ela teria tentado o suicídio pela primeira vez.
Em 1930 Florbela começou a escrever o seu Diário do Último Ano, publicado só em 1981. A 18 de Junho principiou a correspondência com Guido Battelli, professor italiano, visitante na Universidade de Coimbra, responsável pela publicação da Charneca em Flor em 1931.Na altura, a poetisa colaborou também no Portugal feminino de Lisboa, na revista Civilização e no Primeiro de Janeiro, ambos do Porto.[
Florbela tentou o suicídio por duas vezes mais em Outubro e Novembro de 1930, na véspera da publicação da sua obra-prima, Charneca em Flor.Após o diagnóstico de um edema pulmonar,[6] a poetisa perdeu definitivamente a vontade de viver. Não resistiu à terceira tentativa do suicídio. Faleceu em Matosinhos, no dia do seu 36º aniversário, a 8 de Dezembro de 1930. A causa da morte foi a sobredose de barbitúricos.
A poetisa teria deixado uma carta confidencial com as suas últimas disposições, entre elas, o pedido de colocar no seu caixão os restos do avião pilotado por Apeles quando sofreu o acidente.
Não tenhas medo, não! Tranquilamente,//Como adormece a noite pelo outono,//Fecha os olhos, simples, docemente,//Como à tarde uma pomba que tem sono…
Em 1949 a Câmara Municipal de Lisboa homenageou a poetisa dando o seu nome a uma rua junto à Avenida da Igreja, em Alvalade.[11]
Obr
Autora polifacetada: escreveu poesia, contos, um diário e epístolas; traduziu vários romances e colaborou ao longo da sua vida em revistas e jornais de diversa índole, Florbela Espanca antes de tudo é poetisa. É à sua poesia, quase sempre em forma de soneto, que ela deve a fama e o reconhecimento. A temática abordada é principalmente amorosa. O que preocupa mais a autora é o amor e os ingredientes que romanticamente lhe são inerentes: solidão, tristeza, saudade, sedução, desejo e morte. A sua obra abrange também poemas de sentido patriótico, inclusive alguns em que é visível o seu patriotismo local: o soneto "No meu Alentejo" é uma glorificação da terra natal da autora.

Somente duas antologias, Livro de Mágoas (1919) e Livro de Sóror Saudade (1923), foram publicadas em vida da poetisa. Outras, Charneca em Flor (1931), Juvenília (1931) e Reliquiae (1934) saíram só após o seu falecimento. Toda a obra poética de Florbela foi reunida por Guido Battelli num volume chamado Sonetos Completos, publicado pela primeira vez em 1934. Em 1978 tinham saído 23 edições do livro.[12] As peças anteriores às primeiras publicações da poetisa foram reconstituídas por Mária Lúcia Dal Farra, que em 1994 editou o texto de Trocando Olhares.

A prosa de Florbela exprime-se através do conto (em que domina a figura do irmão da poetisa), de um diário, que antecede a sua morte, e em cartas várias. Algumas peças da sua correspondência são de natureza familiar, outras tratam de questões relacionadas com a sua produção literária, quer num sentido interrogativo quanto à sua qualidade, quer quanto a aspetos mais práticos, como a sua publicação. Nas diferentes manifestações epistolares sobressaem qualidades que nem sempre estão presentes na restante produção em prosa - naturalidade e simplicidade.[3]

António José Saraiva e Óscar Lopes na sua História da Literatura Portuguesa[12] descrevem Florbela Espanca como sonetista de "laivos anterianos"[12] e semelhante a António Nobre. Admitem que foi "uma das mais notáveis personalidades líricas isoladas, pela intensidade de um emotivo erotismo feminino, sem precedentes entre nós [portugueses], com tonalidades ora egoístas ora de uma sublimada abnegação que ainda lembra Sóror Mariana, ora de uma expansão de amor intenso e instável(…)".[12]

A obra da Florbela "precede de longe e estimula um mais recente movimento de emancipação literária da mulher, exprimindo nos seus acentos mais patéticos a imensa frustração feminina das (…) opressivas tradições patriarcais."[12]

Rolando Galvão, autor de um artigo sobre Florbela Espanca publicado na página eletrónica Vidas Lusófonas,[3] caracteriza assim a obra florbeliana:

"Como dizem vários estudiosos da sua pessoa e obra, Florbela surge desligada de preocupações de conteúdo humanista ou social. Inserida no seu mundo pequeno burguês, como evidencia nos vários retratos que de si faz ao longo dos seus escritos. Não manifesta interesse pela política ou pelos problemas sociais. Diz-se conservadora. (…) O seu egocentrismo, que não retira beleza à sua poesia, é por demais evidente para não ser referenciado praticamente por todos. Sedenta de glória, diz Henrique Lopes de Mendonça, transcrito por Carlos Sombrio.

Na sua escrita há um certo número de palavras em que insiste incessantemente. Antes de mais, o EU, presente, dir-se-á, em quase todas as peças poéticas. Largamente repetidos vocábulos reflexos da paixão: alma, amor, saudade, beijos, versos, poeta, e vários outros, e os que deles derivam. Escritos de âmbito para além dos que caracterizam essa paixão não são abundantes, particularmente na obra poética. Salvo no que se refere ao seu Alentejo. Não se coloca como observadora distante, mesmo quando tal parece, exterior a factos, ideias, acontecimentos."[3]

O autor do artigo lembra também a correspondência da poetisa com o irmão, Apeles, e com uma amiga próxima, que apenas viu em retrato. Repara que os excessos verbais da escritora são provocados pela sua imoderação para exprimir uma paixão. A sua exaltação do amor fraternal é considerada fora do comum. Galvão repara que esses limites alargados na expressão do amor, da amizade e das afeições, são na obra florbeliana uma constante.[3]

Florbela Espanca por outros poetas[editar | editar código-fonte]
Florbela Espanca causou grande impressão entre seus pares e entre literatos e público de seu tempo e de tempos posteriores. Além da influência que seus versos tiveram nos versos de tantos outros poetas, são aferidas também algumas homenagens prestadas por outros eminentes poetas à pessoa humana e lírica da poetisa. Manuel da Fonseca, em seu "Para um poema a Florbela" de 1941, cantava "(…)«E Florbela, de negro,/ esguia como quem era,/ seus longos braços abria/ esbanjando braçados cheios/ da grande vida que tinha!»". Também Fernando Pessoa, em um poema datilografado e não datado de nome "À memória de Florbela Espanca", descreve-a como "«alma sonhadora/ Irmã gémea da minha!»".[13]

Florbela Espanca na música[editar | editar código-fonte]
O grupo musical português Trovante musicou o soneto "Ser poeta", incluído no volume Charneca em Flor. A c A canção intitulada "Perdidamente", com música de João Gil, tornou-se numa das músicas mais populares da banda. Faz parte do álbum Terra Firme, lançado em 1987.[14] O cantor e compositor brasileiro Fagner interpretou o poema "Fanatismo", da coletânea Soror Saudade, com sua composição do mesmo nome no álbum Traduzir-se (1981) e também "Fumo" no álbum Fagner (1982) (ver:[15])

Em 2001 a cantora brasileira Nicole Borguer estreou seu primeiro álbum Amar - Um Encontro com Florbela Espanca, musicando sonetos de diversas fases da poetisa, com estilos musicais também diversos.Ainda é possível encontrar seus poemas Caravelas e Amores Vãos na obra da fadista Mariza.

Borboletas Negras
2011 ‧ Drama/Romance ‧ 1h 50m
Data de lançamento: 2 de março de 2012 (EUA)

Direção: Paula van der Oest
Ingrid Jonker (19 de setembro de 1933 - 19 de julho de 1965) (OIS), foi um poeta Sul Africano. Enquanto ela escreveu em Afrikaans, seus poemas têm sido amplamente traduzido para outros idiomas. Jonker alcançou status de ícone na África do Sul e é muitas vezes chamado de Sylvia Plath Sul Africano, devido à intensidade do seu trabalho eo curso trágica de sua life.onker turbulenta nasceu em uma fazenda em Douglas, Northern Cape. Ela era a filha de Abraão Jonker e Beatrice Cilliers. Seus pais se separaram antes de ela nascer, e a mãe de Jonker voltou para casa com suas duas filhas. Os avós de Jonker mudou-se para uma fazenda perto de Cape Town. Cinco anos após a mudança, seu avô morreu, deixando as quatro mulheres indigentes.

Em 1943, quando Ingrid tinha dez anos, a mãe de Jonker cometeu suicídio depois de sua descida em depressão nos anos depois que seu pai tinha jogado sua esposa e filhos para fora de sua vida em desgraça. [1] Jonker e sua irmã mais velha Anna foram então enviados a High school de Wynberg Girls 'em Cape Town, onde ela começou a escrever poesia para a revista da escola. [2] [3] Mais tarde, mudou-se com seu pai e sua terceira esposa e seus filhos. As duas irmãs foram tratados como estranhos, o que causou um racha permanente entre Jonker e seu pai.

Jonker começou a escrever poemas quando tinha seis anos de idade e, com a idade de dezesseis anos, ela começou uma correspondência com D.J. Opperman, escritor sul-Africano e poeta, cujos pontos de vista influenciou seu trabalho muito.

Sua primeira coleção de poemas Africâner, Na die somer ( "Depois do verão") foi produzido antes que ela tinha treze anos. Apesar de várias editoras estavam interessados no seu trabalho, ela foi aconselhada a esperar antes de ir para impressão. Seu primeiro livro publicado de poemas, Ontvlugting ( "Escape"), foi finalmente publicado em 1956.

Idade adulta e carreira [editar]
Jonker casado Pieter Venter em 1956, e sua filha Simone nasceu em 1957. O casal mudou-se para Joanesburgo, mas três anos depois eles se separaram. Jonker e sua filha, em seguida, voltou para a Cidade do Cabo.

Seu pai, já um escritor, editor e National Party Member of Parliament, foi nomeado presidente do comitê seleto parlamentar responsável por leis de censura sobre a arte, publicações e entretenimento. Para seu constrangimento, sua filha foi veementemente contrário a essas leis e suas diferenças políticas se tornou público. Em um discurso no Parlamento do pai Jonker negou-a como sua filha. Durante o mesmo período de tempo que ela teve casos com dois escritores, Jack Cope e André Brink. Um desses assuntos resultou em uma gravidez e ela se submeteu a um aborto (um crime na África do Sul na época). O sofrimento mental de rejeição de seu pai e do aborto contribuiu para a sua decisão de entrar no Hospital Psiquiátrico Valkenberg em 1961. (mãe de Jonker tinha morrido em Valkenberg vários anos antes.)

próxima coleção de poemas Rook en Oker ( "fumaça e ocre") de Jonker foi publicado em 1963, após atrasos causados pela abordagem conservadora de seus editores. Enquanto a coleção foi elogiado pela maioria dos sul-Africano escritores, poetas e críticos, foi dada uma recepção fria por parte do público Sul-Africano branco mais conservadora. Depois disso, ela se tornou conhecido como um dos Sestigers Die, um grupo que também incluía Breyten Breytenbach, André Brink, Adam Small e Bartho Smit, que estavam desafiando os conservadores Afrikaans normas literárias da época.

Rook en oker ganhou Jonker a £ 1000 Afrikaanse Pers-Boekhandel (Afrikaans Press-Livreiros) prêmio literário, bem como uma bolsa de estudos da Anglo American Corporation. O dinheiro ajudou-a a realizar seu sonho de viajar para a Europa, onde ela foi para a Inglaterra, Holanda, França, Espanha e Portugal. Ela perguntou Jack Cope para acompanhá-la, mas ele recusou. Jonker, em seguida, perguntou André Brink se juntar a ela. Ele aceitou e eles foram para Paris e Barcelona juntos. Durante a viagem Brink decidiu contra deixando sua esposa para Jonker e voltou para a África do Sul. Jonker, em seguida, cortá-la curta turnê e retornou à Cidade do Cabo.

Jonker tinha começado a escrever uma nova coleção de poemas pouco antes de sua morte. A seleção desses poemas foi publicado postumamente na coleção Kantelson ( "Derrubar Sun"). Ela, então, testemunhou um evento de ruptura; um bebê negro foi baleado e morreu nos braços de sua mãe. Sublinhou a partir de Dylan Thomas; "Após a primeira morte, não há outro". Ela escreveu "Die tipo (doodgeskiet wat é deur soldate por Nyanga)" ( "A criança (que foi morto a tiros por soldados em Nyanga)").

Morte [editar]
Durante a noite de 19 de Julho 1965, Jonker foi à praia em Three Anchor Bay, em Cape Town, onde ela entrou no mar e cometeu suicídio por afogamento. [4]

Direitos de autor e papéis [editar]
Após a morte, os direitos autorais e controle de sua propriedade literária e papéis de Jonker foram atribuídos a Jack Cope pelo mestre do Tribunal. Ele estabeleceu a Ingrid Jonker Trust. Ele permaneceu um administrador do Trust até sua morte em 1991. A filha de Jonker Simone Venter é o beneficiário. Direitos autorais ainda é exercido pelo Trust.

documentos literários de Jonker foi para o Nacional Inglês Museu Literário (NELM) em Grahamstown. Sua irmã Anna Jonker emprestado estes com a intenção de escrever uma biografia sobre sua irmã. Novembro de 2005. [5]

Legado [editar]

Die Tipo como um poema parede em Leiden
A poesia de Jonker foi traduzido do Afrikaans em Inglês, Alemão, Francês, Holandês, Polaco, Hindi e Zulu, entre outros. Ela escreveu uma peça de um ato 'n Seun na minha Hart ( "O filho de meu coração") sobre ilusões de uma mãe sobre seu filho deficiente. Jonker também escreveu vários contos.

O prestigiado Prêmio Jonker Ingrid para o melhor trabalho de estreia de Afrikaans ou poesia Inglês foi instituída por seus amigos para honrar seu legado depois de seu enterro, em 1965. Este prémio anual, que consiste em R1000 e uma medalha, é atribuído alternadamente a um Afrikaans ou poeta Inglês que publicou um primeiro volume nos dois anos anteriores.

Nelson Mandela ler seu poema, "Die tipo (wat doodgeskiet é deur soldate por Nyanga)" ( "A criança (que foi morto a tiros por soldados em Nyanga)"), em Africâner, durante seu discurso na abertura do primeiro democraticamente eleito Parlamento em 24 de Maio de 1994. [6]

Em 2001, um documentário sobre Jonker foi produzido para a televisão holandesa por Saskia van Schaik: "Korreltjie niks é o meu dood".

Em 2002, o one-mulher, jogo interativo por Ryk Hattingh, Opdrag: Ingrid Jonker ( "Assignment: Ingrid Jonker"), foi encenada no Festival Nacional de Artes de Grahamstown estrelado por Jana Cilliers. A peça tratada com perguntas e comentários sobre a vida de Jonker, entrelaçadas com seus poemas e outros escritos.

Em abril de 2004 Jonker foi postumamente condecorado com a Ordem de Ikhamanga pelo governo Sul-Africano para "seu excelente contributo para a literatura e um compromisso com a luta pelos direitos humanos e da democracia na África do Sul." [7]

Um número de seus poemas foram musicados ao longo dos anos, começando com o ciclo de canções Vyf liedere para soprano e piano de Stefans Grove (1981), e cantada por artistas como Laurika Rauch, Anneli van Rooyen e Chris Chameleon.

Em 2005 Chris Chameleon (conhecido melhor como vocalista da banda do Sul Africano Boo!) Lançou o álbum Ek Herhaal Jou ( "Eu Repita You"), que consistia em uma série de poemas de Jonker que tinha definido para a música. O lançamento coincidiu com o 40º aniversário da morte de Jonker. Alguns dos poemas de Jonker que inspiraram canções do Camaleão são "Bitterbessie Dagbreek" ( "Bitterberry Daybreak"), "Lied van morrer gebreekte Riete" ( "Song of the Reeds quebrados") e "Ontvlugting" ( "Escape").

Em 2007 um documentário Ingrid Jonker, suas vidas e tempo por Moçambique-nascido filmes e documentários fabricante Sul Africano Helena Nogueira foi lançado na África do Sul. Aclamado como a obra definitiva sobre Jonker este é o primeiro documentário literário para começar sempre versão teatral na África do Sul. [8]

Além disso, em 2007 o trabalho já estava em andamento em um filme sobre Ingrid Jonker com o título de trabalho Tudo o que quebra. Baseado em um roteiro de Helena Nogueira workshopped no teatro Mercado de Joanesburgo, o filme enfoca três anos na vida de Jonker e os Sestigers que se reuniram em torno poeta Uys Krige em Clifton em Cape Town. O filme é produzido por David Parfitt (Shakespeare in Love), Charles Moore (A Lista de Schindler) [esclarecimentos necessários] e Shan Moodley e é dirigido por Nogueira. [8]

Em 2011, a atriz holandesa Carice van Houten apareceu como Jonker no filme Black Butterflies, baseado na vida de Jonker. [9]

Também em 2011, músico Sul Africano Chris Chameleon lançou um álbum das obras de Jonker, intitulado "Como Jy Weer Skryf" ( "Se você escrever Again").

Em 2012, Nicola Haskins choreographered um drama de dança que contou a história de vida de Jonker para o Festival Nacional de Artes de Grahamstown e, posteriormente, a ser realizado em vários locais, incluindo
autor Filandes
The Classic - Klassikko (2001) é um filme de comédia finlandesa dirigido por Kari Väänänen. Baseiado no  romance semi-autobiográficode Kari Hotakainen. O filme é estrelado Martti Suosalo como escritor Kari Hotakainen que recebe uma atribuição de seu editor para escrever um confessionário autobiográfico nove.
Kari Hotakainen ( 09 de janeiro de 1957) é um escritor finlandês. Hotakainen começou a sua carreira de escritor como um repórter em Pori. Em 1986, mudou-se para Helsinki. Ele se tornou um escritor em tempo integral em 1996. Ele tem dois filhos com sua esposa, técnico de som Tarja Laaksonen, com quem se casou em 1983. Ele também trabalhou como redator e como colunista para o Helsingin Sanomat. 
Seu pai, Keijo Hotakainen, trabalhou como comerciante e fotógrafo, enquanto sua mãe, Meeri Ala-Kuusisto, trabalhou como balconista. Kari Hotakainen passou seu exame de admissão em 1976 e formou-se Rautalampi segundo grau do mesmo ano. Ele tem um Bachelor of Arts. 

Kari iniciou sua carreira como um autor no início da década de 1980 por escrever poesia. Sua coleção de estréia Harmittavat takaiskut (recuos infelizes) foi publicado em 1982. De poesia, Hotakainen mudou-se para escrever livros para crianças e adultos jovens e em seguida, para escrever romances para adultos. Antes que ele começou a escrever em tempo integral, Hotakainen trabalhou como repórter, no departamento de publicidade da WSOY, avanço de etc. Hotakainen veio quando ele foi nomeado para o Prémio Finlandia 1997, por seu trabalho semi-autobiográfico intitulado Klassikko (o clássico). Em 2002, Hotakainen recebeu o Prêmio Finlandia para o seu livro intitulado Juoksuhaudantie (Batalha Trench Avenue) publicado no mesmo ano. Mais tarde, o livro foi transformado em um filme com o mesmo nome. Em 2004, Hotakainen recebeu o Prêmio de Literatura do Conselho Nórdico para o mesmo livro. Em 2006, ele recebeu o Prêmio Drama Nordic para seu jogo Punahukka. Hotakainen também escreveu peças infantis, dramas de rádio, colunas de jornal e os scripts para uma série de TV 10 partes intitulado Tummien vesien tulkit.

Hamsun é uma 1996 internacionalmente co-produzido filme de drama dirigido por Jan Troell, sobre a vida do autor norueguês Knut Hamsun (Max von Sydow), que, juntamente com sua esposa Marie Hamsun (Ghita Nørby), deixou de ser um herói nacional para ser  um traidor depois de apoiar a Alemanha nazista durante a ocupação da Noruega durante a Segunda Guerra Mundial.ou alemão. Ele ganhou o Prêmio Gulbagge de Melhor Filme, Melhor Ator (Sydow), Melhor Atriz (Nørby) e Melhor Roteiro (Enquist). O filme foi selecionado como a entrada dinamarquesa para o Melhor Filme Estrangeiro no Oscar 69th, mas não foi aceito como um candidato.
Tom & Viv é um filme anglo/norte-americano de 1994, do gênero drama, dirigido por Brian Gilbert e estrelado por Willem Dafoe e Miranda Richardson.O filme é sobre o desastroso casamento de T. S. Eliot com a socialite Vivienne Haigh-Wood, que sofria de um distúrbio psicológico mal diagnosticado. O poeta, relutantemente, acabou por interná-la em um hospital psiquiátrico, o que afetou sua vida e obra.Enquanto estudam na Universidade de Oxford, os jovens Tom Eliot e Vivienne Haigh-Wood iniciam um namoro que resulta em casamento -- apesar das advertências do irmão dela, Maurice. Durante a lua-de-mel, Tom descobre que Vivienne sofre de um problema hormonal que faz com que ela tenha frequentes menstruações. O médico sob cujos cuidados ela se encontra, prescreve-lhe medicamentos que só pioram seu estado.

Viv é mal-humorada, deprimida e está constantemente bêbada. Enquanto Tom trabalha como bancário e tenta se estabelecer como escritor, ela o segue como secretária e musa eventual, porém causa embaraços cada vez maiores com seu comportamento. Por fim, ainda que contra a própria vontade, Tom a interna em uma instituição para doentes mentais. A sombra de Viv, contudo, continua a persegui-lo pelos anos afora e a influir em sua laureada carreira.Thomas Stearns Eliot OM (St. Louis, 26 de setembro de 1888 — Londres, 4 de janeiro de 1965) foi um poeta modernista, dramaturgo e crítico literário inglês nascido nos Estados Unidos,[1] recebeu o Prêmio Nobel de Literatura de 1948.[2]

Eliot nasceu em St. Louis, Missouri, nos Estados Unidos, mudou-se para a Inglaterra em 1914 (então com 25 anos), tornando-se cidadão britânico em 1927, com 39 anos de idade. Sobre sua nacionalidade e sua influência na sua obra, T.S. Eliot disse:

Minha poesia não seria o que é se eu tivesse nascido na Inglaterra, e não seria o que é se eu tivesse permanecido nos Estados Unidos. É uma combinação de coisas. Mas, nas suas fontes, na sua força emocional, ela vem dos Estados Unidos.[3][4]

Faleceu em 4 de janeiro de 1965. Segundo sua vontade, foi cremado e suas cinzas encontram-se na igreja Saint Michael, na vila de East Cocker, Somerset na Inglaterra.[5]
Australia
Minha Carreira Brilhante - My Brilliant Career (1979) é um filme australiano  dirigido por Gillian Armstrong e baseado no romance de mesmo nome por Miles Franklin.
 uma garota de espírito livre teimosa crescente -se no final do século 19 na Austrália, sonhos de uma vida melhor em detrimento de seu trabalho em uma exploração agrícola do país. Seus pais, perturbar por seus sonhos de grandeza, enviá-la para embarcar com a avó na esperança de ensinar seus modos e comportamentos adequados. Ela logo é cortejada por dois homens locais, jackaroo Frank Hawdon (Robert Grubb), a quem ela ignora, e bem-fazer amigo de infância Harry Beecham (Sam Neill), a quem ela cresce cada vez mais afeiçoado.
Sybylla é enviado para passar o tempo na propriedade Beecham, e seus sentimentos aumentam na direção de Harry. Ela retorna para a casa de sua avó, quando Harry é enviado em uma excursão de suas propriedades, com todas as pessoas de ambos os estados timidamente aprovação de seu romance. Frank tenta atrapalhar o casal através de rumores, o que leva a aumentar as tensões entre os dois. Os dois se revezam tentando fazer o outro ciumento em um baile, levando a proposta a surpresa de Harry. Sybylla bruscamente o rejeita, para surpresa de todos. Harry depois revela sua corrida era proteger Sybylla de seu potencial colapso financeiro. contadores Sybylla por pedindo Harry para esperar enquanto ela descobre a si mesma, e pede-lhe para atrasar a sua proposta por talvez dois anos.
Sybylla é convocado por sua avó, e é dito que ela deve ter um emprego como governanta / empregada à família de um vizinho analfabetos a quem seu pai deve dinheiro. Trabalhando na miséria, ela consegue ensinar as crianças a ler usando os jornais de papel de parede de sua casa. Para sua alegria, ela é enviado para casa quando os pais se convencido (incorretamente) que ela está cortejando seu filho mais velho. Harry visita e propõe novamente, mas ela o rejeita novamente, declarando sua intenção é tornar-se um escritor.

O filme termina com a leitura (na narração) de seu romance, a minha carreira brilhante, antes de enviá-lo para publicação.Stella Maria Sarah Miles Franklin, conhecido como Miles Franklin (14 de outubro 1879-1819 Setembro de 1954) foi um escritor australiano e feminista que é mais conhecido por seu romance My Brilliant Career, auto-publicado em 1901. Enquanto ela escreveu ao longo de sua vida, seu outro grande sucesso literário, All That Swagger, não foi publicado até 1936.

Ela estava comprometida com o desenvolvimento de uma forma excepcionalmente Australian da literatura, e ela prosseguiu activamente este objetivo por escritores de apoio, revistas literárias e organizações de escritores. Ela teve um impacto duradouro sobre a vida literária da Austrália através de sua dotação de um grande prémio anual para a literatura sobre "A vida australiana em qualquer das suas fases", [1] o prêmio Miles Franklin. Seu impacto foi ainda reconhecido em 2013 com a criação do Prémio Stella, concedido anualmente para o melhor trabalho de literatura por uma mulher australiana. [2] Franklin nasceu em Talbingo, New South Wales, e cresceu no Vale do Brindabella em um propriedade chamada Brindabella Station. [3] Ela era a filha mais velha de pais australiano, John Maurice Franklin e Susannah Margaret Eleanor Franklin, née Lampe, [4], que era a bisneta de Edward Miles (ou Moyle) que tinha chegado com a primeira frota na Scarborough com uma sentença de sete anos por roubo. [5] Sua família era um membro da squattocracy. Ela foi educada em casa até 1889, quando ela participou Thornford Pública [3] Durante este período, ela foi encorajada na sua escrita por seu professor, Maria Gillespie (1856-1938) e Tom Hebblewhite (1857-1923) editor do local de Goulburn newspaperIn 1906 , Franklin mudou para os EUA e realizou trabalho de secretariado para Alice Henry, outro australiano, no Trade Union League Feminina Nacional em Chicago, e co-editou a revista da liga, vida e trabalho. Seus anos em os EUA são refletidos em On Dearborn Street (não publicado até 1981), uma história de amor que usa gíria americana de uma maneira não muito diferente do trabalho precoce de Dashiell Hammett. Além disso, enquanto na América, ela escreveu Alguns Diário Folk e Dawn (1909), a história de uma família australiana de cidade pequena, que usa prosa roxo para efeito cômico deliberada. Ela sofreu ataques regulares de saúde e entrou em um sanatório por um período em 1912 [6] Em 1915, ela viajou para a Inglaterra e trabalhou como cozinheiro e ganhou algum dinheiro de jornalismo. [6] em março de 1917 Franklin se ofereceu para o trabalho guerra no Unidade de Ostrovo dos Hospitais escocesas das mulheres durante as campanhas sérvias de 1917-1918. Ela serviu como cozinheiro em um hospital tenda de 200 leitos anexado ao exército sérvio, perto do Lago Ostrovo na Macedônia Grécia de julho 1917 a fevereiro de 1918. [6] De 1919-1926 Franklin trabalhou como secretário com o Nacional de Habitação e Urbanismo Associação em Londres. Ela organizou convenção habitação internacional de mulheres em 1924. [9] A sua vida na Inglaterra na década de 1920 deu origem a Traga o Macaco (1933), uma sátira sobre o romance casa mistério Inglês país. Infelizmente, o livro foi um fracasso literária e comercial.

Voltar para a Austrália [editar]
Franklin reassentados na Austrália, em 1932, após a morte de seu pai em 1931. Durante essa década, ela escreveu vários romances históricos do mato australiano, embora a maioria destes foram publicados sob o pseudônimo de "Brent de Bin Bin". New South Wales Estado Bibliotecário, Dagmar Schmidmaier, disse que "Miles cada vez mais temido que nada, ela escreveu correspondeu ao sucesso da minha carreira brilhante e recorreu a escrever sob nomes diferentes, incluindo o pseudônimo bizarra Brent de Bin Bin, para se proteger pobres comentários." [10] no entanto, All That Swagger foi publicado sob seu próprio nome, em 1936.

Ao longo de sua vida, Franklin apoiou activamente literatura na Austrália. Ela entrou para a Sociedade de Escritores da Austrália em 1933 e o P.E.N. Sydney Club em 1935. Ela incentivou jovens escritores como Jean Devanny, Sumner Locke Elliott e Ric Throssell e ela apoiou as novas revistas literárias, Meanjin e sul. [7] Miles entretido figuras literárias em sua casa em Carlton, NSW. Um livro de autógrafos conhecido como Waratah Livro de Miles Franklin realizada pela Biblioteca do Estado de NSW foi usada para autógrafos e inscrições. Os hóspedes foram incentivados a beber chá da Copa Waratah [11] e para escrever no Livro Waratah. [12]


chávena e pires waratah 1904. Miles Franklin Este cálice é parte da coleção da Biblioteca do Estado de NSW
Em 1937, Franklin recusou nomeação como Oficial da Ordem do Império Britânico. [Em seu testamento, ela fez uma doação para a sua propriedade para estabelecer um prémio literário anual conhecido como O Prêmio Miles Franklin. O primeiro vencedor foi Patrick branco com Voss em 1957.

O subúrbio de Canberra de Franklin e da escola primária Miles Franklin Escola Primária nas proximidades são nomeados em sua honra. A escola mantém uma competição de redação anual em sua memória.

Durante sua vida Miles Franklin doaram vários itens à Biblioteca Mitchell. manuscrito material foi apresentado ao longo do período 1937-1942. Os vários projectos de "pioneiros na parada" foram apresentados em 1940. Ela doou sua coleção de livro impresso, a correspondência e notas, bem como os poemas d