Sunday, February 21, 2021

21 Professores Famosos Retratados em filmes Biográficos - Parte I (A-M)

 1- Professora Ana Leanowen


O Rei e Eu - The King and I (1956)  é um filme estadunidense, do gênero musical, dirigido por Walter Lang. As músicas de Richard Rodgers e Oscar Hammerstein II fazem deste filme um clássico musical. Este filme ocupa a 11ª colocação na lista dos 25 maiores musicais americanos de todos os tempos, idealizada pelo American Film Institute (AFI).
O filme conta a história de Anna Leonowens que viaja ao Sião (atual Tailândia) contratada como professora dos filhos do rei. Apesar de no princípio haver um certo choque de culturas e hábitos, eles acabam por se aceitarem na suas diversidades.
Em 1972, a Twentieth Century Fox produziu uma série de TV americana não musical para a CBS, Anna and the King, com Samantha Eggar fazendo o papel de Leonowens e Brynner reprisando seu papel como rei.  A série não foi um sucesso e foi cancelada após 13 episódios. 
Em 1999, um filme de animação usando as canções do musical 
foi lançado pela Warner Bros Animation. 
No mesmo ano, Jodie Foster e Chow Yun-fat estrelaram uma nova adaptação cinematográfica, também intitulada Anna and the King. Um crítico tailandês reclamou que os cineastas fizeram Mongkut "parecer um cowboy"; esta versão também foi banida pelos censores na Tailândia
Em 05 de novembro de 1831 nasceu Anna Harriette Leonowens , foi uma anglo-indiana, educadora, escritora de viagens e ativista social.
Durante o curso de sua vida, ela viveu em Aden, Austrália, Canadá, Cingapura e Estados Unidos.
Em 1860, Anna aceitou uma oferta para ensinar as 39 esposas e 82 crianças do rei. Anna enviou sua filha Avis para a escola na Inglaterra, e levou seu filho Louis com ela para Bangkok.
Ela serviu na corte primeiro como professora e depois como secretária idiomática para o rei.
Em 1868, Anna estava em licença para cuidar da sua saúde na Inglaterra, quando o rei Mongkut adoeceu e morreu.
Em 1869, ela abriu uma escola para meninas por um breve período, e começou a escrever artigos de viagem para um jornal de Boston, incluindo: A Favorita do Harém.
Em 1870, Anna escreveu o livro: Uma Governanta Inglesa no Tribunal de Justiça Siames , que narrou suas experiências como professora para os filhos do rei Mongkut .
Em 1873, Anna escreveu o livro: Romance do Harém, e  começou a dar palestras populares.
Em 1878,  Anna mudou para o Canadá, e se tornou uma das fundadoras do Conselho Local de Mulheres. Ela co-fundou a Nova Scotia College de Arte e design.
Em 19 de janeiro de 1915, Anna morreu com 83 anos de idade.

2- Professora Anne Sullivan


Anne Sullivan é a personagem principal de  O Trabalho Milagroso (1957) de William Gibson, produzido para a televisão, no qual foi interpretada por Teresa Wright. O Trabalho Milagroso estreiou na Broadway e em 1962 foi produzido como um longa-metragem. Tanto a peça quanto o filme apresentavam Anne Bancroft como Sullivan.  
Patty Duke, que interpretou Keller na Broadway e no filme  O Trabalho Milagroso de 1962, mais tarde interpretou Sullivan em um remake de televisão de 1979. 

 O Trabalho Milagroso -1979

 Roma Downey a retratou no filme para TV Monday After the Miracle (1998). 

 O Trabalho Milagroso - The Miracle Worker (2000) baseado nas lutas de Anne para ensinar Hellen.
Em 14 de abril de 1866 nasceu Johanna "Anne" Mansfield Sullivan Macy. 
Em 1871, Anne contraiu tracoma, uma doença ocular que a deixou parcialmente cega e sem habilidades de leitura ou escrita
Em1886, Anne se formou na Escola Perkins para cegos, e tornou uma professora para Hellen Keller.
Em 1888, Anne levou Ellen para Boston, e ficou vivendo com ela como professora particular.
Em 1905, Anne casou-se com o professor e crítico literário da Universidade de Harvard John Albert Macy (1877–1932), que ajudou Keller com suas publicações.  John mudou-se para a casa de ambas as mulheres. 
Em 1914, eles se separaram, embora ele seja listado como um "inquilino" com eles no Censo dos EUA de 1920. Os dois nunca se divorciaram oficialmente. Anne nunca se casou novamente.
Em 1932, Anne e Hellen foram, cada uma premiada com bolsas honorários do Instituto de Educação da Escócia. Elas também foram agraciados com títulos honorais causa da Universidade de Temple. 
Em 20 de outubro de 1936, Anne morreu.
Em 1955, Anne foi premiada com um doutoramento honorais causa pela Universidade de Harvard. 


3- Professora Barbara Henry
A História de Ruby Bridges (1998) Direção Euzham Palcy.  
Em 1960, na cidade de Nova Orleans, embora o governo federal garantisse o acesso dos negros às escolas de brancos, a realidade local era outra. 
Ruby, uma menina de 6 anos, se destaca intelectualmente e por isso uma associação procura os pais, para que ela seja uma das primeiras crianças negras a estudar numa tradicional escola de brancos. 
Mesmo receosos, os pais autorizam.
os agentes federais a acompanham, pois os protestos eram diários e o preconceito estava na escola. 
Sua sorte foi ter encontrado uma professora que a protegia.


Em 1932 nasceu 
Barbara Henry.
Barbara frequentou a Girls 'Latin School em Boston, onde “aprendemos ... a apreciar e desfrutar nossos pontos comuns importantes, em meio a nossas diferenças externas de classe, comunidade ou cor”. Barbara 
Barbara ensinou em escolas de dependentes militares no exterior, que foram integradas.
Em 1960, Barbara e seu marido estavam em Nova Orleans há dois meses quando o superintendente ligou para oferecer-lhe um cargo de professora. 
Quando Barbara perguntou se o trabalho era em uma escola que seria integrada, o superintendente respondeu: "Isso faria alguma diferença para você?" Ela disse talvez.
No primeiro dia de aula, a recusa implacável de Barbara e Ruby em serem intimidadas fez com que elas se tornassem figuras renomadas na luta pelos direitos civis nos Estados Unidos. 
Assim que Ruby entrou na escola, os pais brancos entraram e retiraram os seus próprios filhos;  todos os professores brancos também se recusaram a ensinar enquanto uma criança negra estivesse matriculada. 
Apenas Barbara Henry estava disposta a ensinar Bridges, e por mais de um ano a Barbara ensinou somente para Ruby, como se ela estivesse dando uma aula inteira. 
 Ruby Bridges ficou inicialmente apreensiva ao conhecer Barbara pela primeira vez, lembrando mais tarde que "Embora houvesse tumulto fora da escola todos os dias, durante um ano inteiro, a pessoa que me cumprimentava todas as manhãs era [minha professora], uma mulher branca, que na verdade, arriscou a vida dela também " e" Eu nunca tinha visto uma professora branca antes, mas a Sra. Barbara Henry foi a professora mais legal que já tive. Ela tentou muito manter minha mente longe do que estava acontecendo lá fora. Mas eu não conseguia esquecer que não havia outras crianças. " Ruby

4- Professor Bill Woerner                                                                                                                             
Corrida do Sol -  Race the Sun (1996) é um filme de comédia-drama estrelado por Halle Berry e James Belushi. O enredo é baseado na história verdadeira da Equipe Car Solar Konawaena High School, que terminou em 18º no Desafio Solar Mundial de 1990 e o primeiro lugar entre as escolas do ensino médio.
Bill Woerner, o professor da vida real que liderou a equipe, mais tarde fundou a escola  Oeste Hawaii Explorations Academy.

5- Professor Brad Cohen                                                                                                                 
 

O Primeiro da Classe - Front of the Class (2008)
O filme narra como a síndrome de Tourette fez Brad se tornar o professor que ele nunca teve, e mostra a dificuldade para ele arrumar trabalho e o preconceito de alguns pais, por não quererem que os filhos estudassem com ele, por causa da síndrome.
Brad Cohen (18 dezembro de 1973) é um professor, administrador escolar, autor e orador motivacional americano, que tem síndrome de Tourette severa. Brad descreveu suas experiências  em seu livro,  co-autor com Lisa Wysocky; " O Primeiro da Classe".
6- Professor Bruce Pandolfini                                                                                                  

Lances Inocentes - The Search of Bobby Fischer (1993) é baseado na vida do jogador de xadrez prodígio Josh Waitzkin,  adaptado do livro de mesmo nome de seu pai, Joshua Fred.
O filme mostra o professor de Josh:
Bruce Pandolfini (17 de setembro de 1947) é um escritor, professor e treinador de enxadrismo norte-americano.
7- Professor Conrad O. Johnson                                                                                           

Alma Trovão - Thunder Soul  Apresentado por Jamie Foxx,  o documentário segue os alunos extraordinários da Banda da escola de segundo grau Kashmere, que voltam para casa depois de 35 anos para realizarem um concerto tributo para o ex Professor de 92 anos de idade, que e transformou a banda de jazz da escola em uma potência funk de classe mundial no início de 1970.
Conrad O. Johnson (15 de novembro de 1915 - 3 de fevereiro de 2008) foi um educador de música americana,  que foi introduzido no Hall da Fama Bandmasters do Texas em 2000
Em 1941, ele começou sua carreira como professor de música  e, após uma carreira de trinta e sete anos, ele aposentou-se, em 1978, mas continuou a permanecer ativo na formação musical em Houston através da realização de programas de verão e ensinando em casa.

8- Professor E. R. Braithwaite                                                                                           

Ao Mestre com Carinho - To Sir, with Love (1967) é um filme britânico estrelado por Sidney Poitier, que retrata questões sociais e raciais em uma escola localizada na comunidade pobre de Londres. James Clavell dirigiu e escreveu o roteiro, baseado na semi-autobiografia homônima de E. R. Braithwaite.
A canção tema do filme, "To Sir, with Love", cantada por Lulu, transformou-se em um sucesso, liderando as paradas musicais estadunidenses naquele ano, e foi citada pela revista Billboard como a “número um” em 1967.


 Ao mestre com Carinho II - To Sir, with Love II (1996)
Em 27 de junho de 1912, nasceu Edward Ricardo Braithwaite, foi um escritor, professor, e  diplomata guianense.  
Ele frequentou faculdade da rainha, da Guiana e, em seguida, o City College de Nova Iorque (1940) e a Universidade de Oxford. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele se juntou à forca Aérea Royal  como um piloto. 
Ele passou a frequentar a Universidade de Cambridge (1949), se tornando bacharel e doutor em física. 
Após a guerra, apesar de sua extensa formação, ele não conseguia encontrar trabalho no seu campo e, desiludido, relutantemente pegou um emprego como professor no East End de Londres. O livro To Sir, With Love (1959) foi baseado em suas experiências lá. 
Ao escrever seu livro sobre a escola, Edward voltou-se para o trabalho social de encontrar lares adotivos para crianças não-brancas no Conselho do Condado de Londres. 
Suas experiências resultaram em seu segundo romance: Servo pago (1962).
Os numerosos escritos dele tem tratado principalmente sobre as dificuldades de ser um homem educado, um assistente social, um professor e um ser humano em circunstâncias desumanas. 
Em 1973, a proibição Sul Africana sobre os seus livros foi encerrada e Edward  aplicou para visitar o país. Foi-lhe concedido um visto e o status de "branco honorário" que lhe deu significativamente mais privilégios do que a população negra nativa, mas menos do que os brancos. 
Ele relatou as experiências e horror que testemunhou durante as seis semanas que passou na África do Sul no livro: Honorário Branco.
Edward continuou a escrever romances e contos ao longo de sua longa carreira internacional como consultor educacional e conferencista para a UNESCO, representante permanente junto das Nações Unidas para a Guiana, o embaixador da Guiana para a Venezuela. Ele ensinou estudos de inglês na Universidade de Nova York.
 Em 2002, foi o escritor-em-residência na Universidade Howard, em Washington, D.C. 
Em 2005-06, ele associou-se com o Manchester Community College, Connecticut,  como professor visitante, servindo também como orador oficial e recebeu um diploma honorário.
Em dezembro de 2016, E. R. Braithwaite morreu.

9- Professora  Erin Gruwell                                                                                                            

Escritores da Liberdade - Freedom Writers (2007)
O filme é inspirado nos eventos reais relatados no livro: Os Diários dos Escritores da Liberdade, Como uma professora Erin Gruwell (15/08/1969) e 150 alunos escreveram para-se  auto-transformarem e mudarem o mundo em volta deles.
Em 1994, Erin  começou ensinando em  Califórnia, para alunos de baixo desempenho na escola. 
Um estudante  parecia determinado a fazer sua vida miserável. Ele havia sido transferido de outra escola, onde ele tinha ameaçado sua professora com uma arma. 
No entanto,  um de seus outros alunos passou uma nota que descrevia ele com  grandes lábios. 
Ela disse à classe que esse era o tipo de caricatura que os nazistas tinham usado durante o Holocausto.
Todavia apenas um dos estudantes sabia o que era o Holocausto, Erin mudou o tema de seu currículo para a tolerância.  
Ela levou os alunos para ver o filme: A Lista de Schindler, comprou novos livros de seu próprio bolso e convidou palestrantes.
Ela pediu aos alunos para manter diários de suas vidas, e fazer relação entre a feudal família em Romeu e Julieta para uma gangue em guerra. 
Os alunos também leram livros escritos por e sobre outros adolescentes em tempos de guerra, como o: Diário de Anne Frank, e o Diário de Zlata. 
No outono de 1995, Erin deu a cada um de seus alunos livros novos, fazendo um brinde para a mudança.  Depois disso, ela viu uma reviravolta neles. Os alunos passaram a surpreender a todos. 
Todos os 150 alunos escritores se formou no colegial e muitos passaram  a frequentar a faculdade. 
Entre 1994 e 1998, Os Escritores da Liberdade receberam uma grande quantidade de cobertura da mídia.

10- Professora Freida Joy Riley                                                                                         


  Céu de Outubro - October Sky ( 1999) é um filme baseado no livro "Rocket Boys", de Homer Hickam. Ele é baseado na história verídica de Homer, filho de um mineiro de carvão que inspirado pelo lançamento do Sputnik 1, em 1957, começou a fazer foguetes contra a vontade de seu pai,  se tornando um engenheiro da NASA.
O livro baseia-se em fatos reais da infância de Homer; contudo, Lewis Colick, o responsável pela adaptação da história para o cinema, exerceu licença criativa em seu roteiro final.
                                                    Homer Hickam Hadley Jr.
A professora que o incentivou e o apoiou foi:
Freida Joy Riley (01 de março de 1937 - 05 de agosto de 1969) foi uma professora de ciências e matemática americana. Ela ensinou na escola secundaria Big Creek , em Oeste Virginia durante o final dos anos 1950 e início dos anos 1960, enquanto que sofria da doença de Hodgkin.

11- Professor George Mckenna                                                                                                            

Uma Lição de Coragem: A Historia de George Mckenna - The George McKenna Story (1986) é um filme dirigido por Eric Laneuville. Estrelado por Denzel Washington e Lynn Whitfield. O filme narra a historia  do professor George em Los Angeles, que salvou a vida de vários alunos que deixaram o crime.

12-  Professora Iris Stevenson                                                                                                             

Mudança de Hábito 2 - Sister Act 2: Back in the Habit (1993) é um filme de comédia norte-americana vagamente baseado na vida da instrutora de coro Iris Stevenson da escola secundaria Crenshaw, Estrelado por Whoopi Goldberg. Dirigido por Bill Duke.
                                       Iris Stevenson, premiada instrutora de  coro.

13- Professor Jaime  Gutierrez                                                                                                                                
O Preço do Desafio - Stand and Deliver (1988) é um filme norte-americano, dirigido por Ramón Menéndez e estrelado por Edward James Olmos, que recebeu uma indicação ao Oscar. O filme foi adicionada ao Registro Nacional de Cinema da Biblioteca do Congresso em 2011.
Jaime Alfonso Escalante Gutierrez (31 de dezembro, 1930 -1930 março de 2010) foi um educador boliviano que ensinava cálculo entre 1974 -1991, numa escola de segundo grau em Los Angeles, Califórnia.
Jaime era filho de dois professores de ascendência Aymara em La Paz, Bolívia. Ele era orgulhoso de sua herança Aymará e como um adulto orgulhosamente proclamava "A cultura Aymara sabia matemática antes dos gregos e egípcios". Ele ensinou matemática e física durante 12 anos em sua pátria-mãe antes de emigrar para os EUA. Após a migração, "ele teve que trabalhar em muitos biscates, ensinar Inglês e ganhar outro diploma universitário antes que ele pudesse voltar para a sala de aula."  Em 1974, ele começou a ensinar na escola secundaria Garfield.
Em vez de preparar aulas para alunos de baixo desempenho, ele começou a ensinar AP Calculus. Determinado a mudar o status quo, Jaime tinha de persuadir os primeiros estudantes que quiseram ouvir que eles poderiam controlar o seu futuro com o direito da educação. Ele lhes prometeu que os postos de trabalho estariam em engenharia, eletrônica e computadores, mas eles teriam que aprender matemática para ter sucesso.
A administração da escola frequentemente se opôs a ele, durante seus primeiros anos. Ele foi ameaçado de demissão. Esta oposição mudou com a chegada do novo diretor, Henry Gradillas, que reformulou o currículo acadêmico na escola.
Mas foi apenas em 1978 que Jaime iria instruir a sua primeira aula de cálculo.
Atenção Nacional
Em 1982, 18 de seus alunos passaram no exame Advanced Placement Cálculo. Achando essas pontuações suspeitas, porque todos os alunos fizeram exatamente o mesmo erro de matemática no problema # 6, e também usou os mesmos nomes de variáveis incomuns. Quatorze dos que passaram foram convidados para fazer o exame novamente. Doze dos quatorze concordou em refazer o teste e todos os doze fez bem o suficiente para terem suas pontuações reintegradas.
Em 1983, 33 estudantes fizeram o exame e 30 passaram.
Em 1987, 73 alunos foram aprovados cálculo exame AB e outros 12 passaram a versão BC do teste.
Em 1988, Jay Mathews publicou o livro:
 Escalante: O Melhor Professor na América. Durante este tempo os professores e outros observadores interessados pediram para assistirem as suas aulas. Ele recebeu visitas de líderes e celebridades políticos, incluindo o então presidente Ronald Reagan e ator Arnold Schwarzenegger.
 Em seus últimos anos em Garfield, ele recebeu ameaças e mensagens de ódio de vários indivíduos. Em 1990, ele havia perdido a presidência do departamento de matemática. Neste ponto o programa de enriquecimento de matemática do Escalante tinha crescido para mais de 400 alunos. A sua turma tinha aumentado para mais de 50 alunos. Este foi muito além do limite de 35 estudantes estabelecido pelo sindicato dos professores, que por sua vez aumentou a crítica da obra dele.
Em 1991, o número de alunos da escola fazendo exames avançados em matemática e outras disciplinas saltou para 570. No mesmo ano, citando a política do corpo docente e ciúmes, Jaime deixou a escola. Ele encontrou um novo emprego numa escola em Sacramento, Califórnia.
 No auge da influência de Jaime, graduados do Garfield que entraram na University of Southern California era em tão grande número que ultrapassaram todas as outras escolas na região operária de East Los Angeles combinada.
Angelo Villavicencio tomou as rédeas do programa, após a sua partida e ensinou os restantes 107 alunos AP em duas classes para o próximo ano. Sessenta e sete dos alunos  fizeram o exame AP e quarenta e sete passaram. O pedido de Angelo para uma terceira classe devido ao tamanho da classe foi negado e na primavera seguinte ele seguiu Jaime e saiu da escola Garfield. O declínio do programa de matemática na Garfield se tornou aparente após a saída de Jaime e outros professores associados com a sua criação e desenvolvimento. Em poucos anos, o número de AP cálculo estudantes de Garfield que passaram em seus exames caiu mais de 80 por cento.
Em 1996, Angelo contactou o novo diretor de Garfield, Tony Garcia, e se ofereceu para voltar pa ajudar a reanimar o programa de cálculo. A sua oferta foi rejeitada.
Em 2001, ele retornou a Bolívia, e ensinou na Universidade Privada del Valle.  Ele voltou para os Estados Unidos com freqüência para visitar seus filhos.
Em março de 2010, ele enfrentou dificuldades financeiras a partir do custo de seu tratamento contra o câncer. E alguns dos seus ex-alunos, levantou fundos para ajudar a pagar suas contas médicas.
Ele se mudou para Sacramento, Califórnia, para viver com seu filho. Lecionou em uma escola de segundo grau. Ele morreu em  aos 79 anos, na casa de seu filho durante o tratamento para o câncer de bexiga.

Prêmios
1988 - Medalha Presidencial de Excelência em Educação, concedido pelo presidente Ronald Reagan
1988 - Prêmios Herança Hispânica
1989 - Doutor Honorário em Ciências - Universidade de Massachusetts Boston
1990 - Doutor Honorário de Letras - Universidade Estadual da Califórnia, Los Angeles
1990 - Doutor Honorário da Educação - Universidade Concórdia, Montreal
1990 - Doutor Honorário em Direito - Universidade de North Colorado
1990 -. Premio para o grande serviço público a favor do desfavorecido.
1998 - Doutor Honorário em Letras Humanas - Universidade de Wittenberg
1998 - Andrés Bello prêmio, da Organização dos Estados Americanos
1999 - Introduzido no Salão Nacional de Professores da fama
2002 - Membro da Comissão Consultiva do Presidente sobre Excelência Educacional de hispânicos.
2005 - O maior prêmio de Escritório - Centro de Cidadania da Juventude
2005 - O melhor professor na América do Norte - Freedom Forum

 14- Professor  John Forbes Nash Jr                                                                                                             

Uma Mente Brilhante - A Beautiful Mind (2001)
O filme é baseado na vida de:
 John Forbes Nash Jr, (13/06/1928 - 23/05/2015) foi um professor,  matemático norte-americano com contribuições fundamentais na teoria dos jogos, geometria diferencial, e equações, diferenciais parciais. Ele compartilhou o Premio de Ciências Econômicas em Memoria de Alfred Nobel no ano de 1994 com Reinhard Selten e John  Harsany. 
Uma mente Brilhante venceu quatro estatuetas do Oscar e é  baseado no livro biográfico hormônio e mostra a luta do John contra esquizofrenia enquanto ele estava na Universidade de Princeton.

15- Professor John Thomas Scopes                                                                                                               

O Vento Será Tua Herança (1960) é um filme estadunidense. Dirigido por Stanley Kramer,  é uma parábola que ficcionaliza um caso real ocorrido em 1925, 
O julgamento Scopes, formalmente conhecido como O Estado de Tennessee v.  John Thomas Scopes   ("O Julgamento do Macaco"), como um meio de discutir o então vigente macartismo . J. Lawrence e Robert E. Lee escreveu a história em 1951. Foi refilmado em 1965,1988 e 1999. 
Em 1900,  nasceu em uma fazenda no Kentucky John Thomas Scopes. John era o quinto filho e único filho.
 Em 1917, mudou-se para Illinois, onde foi membro da turma de 1919 na Salem High School.
Ele frequentou a Universidade de Illinois por um breve período antes de sair por motivos de saúde.
Em 1924, ele se formou na University of Kentucky, com especialização em direito e especialização em geologia.
John mudou-se para Dayton, onde se tornou treinador de futebol da Rhea County High School, e ocasionalmente serviu como professor substituto.
Tentativas
Em 5 de maio de 1925, John foi acusado  de violar a Lei Butler do Tennessee, que proibia o ensino da evolução humana nas escolas do Tennessee.
Um grupo de empresários em Tennessee, liderado pelo engenheiro e geólogo George Rappleyea, apontou que, embora a Lei Butler proibisse o ensino da evolução humana, o estado exigia que os professores usassem o livro designado, Hunter's Civic Biology (1914), que incluía um capítulo sobre evolução. 
George argumentou que os professores eram essencialmente obrigados a infringir a lei.
O caso terminou em 21 de julho de 1925, com um veredicto de culpado, e John foi multado em $ 100 (aproximadamente $ 1.460 em 2020). O caso foi apelado para a Suprema Corte do Tennessee. Em uma decisão de 3 a 1 escrita pelo Chefe de Justiça Grafton Green, a Lei Butler foi considerada constitucional, mas o tribunal anulou a condenação de Scopes porque o juiz determinou a multa em vez do júri. 
Os resultados do Julgamento o afetou profissional e pessoalmente. Sua imagem pública foi ridicularizada na animação, desenhos animados e outras mídias nos anos seguintes. O próprio John se afastou dos olhos do público e concentrou sua atenção em sua carreira.
John matriculou-se na escola de pós-graduação da Universidade de Chicago para terminar seus estudos em geologia. 
Após a formatura, ele foi "barrado"  de oportunidades de carreira no Tennessee.
Em 1930 ele e sua esposa se mudaram para Kentucky. 
Em 1932, John tentou uma carreira política  como um congressista de Kentucky, e sofreu uma derrota. John  atuou como especialista em petróleo para a United Production Corporation. Lá, ele trabalhou no Texas, até 1940, e mais tarde em Shreveport, Louisiana, onde permaneceu até sua morte. 
Em 1955, o julgamento foi transformado em uma peça. 
Em 1960, uma versão em filme
Em  1967, John escreveu Center of the Storm: Memoirs of John T. Scopes. A Lei Butler foi revogada no mesmo ano.
John morreu em 21 de outubro de 1970, de câncer em Shreveport, aos 70 anos. 

16- Professor John Wand                                                                                                                                

Pai Calouro - O Amor de um Pai
 Drew é um estudante calouro, indo para a faculdade, que descobre que sua namorada está grávida. Ele se casam e depois de dois anos se separa e  deixa a criança com o pai e, agora, ele deverá aprender a lidar, ao mesmo tempo, com suas responsabilidades acadêmicas e com o dever de pai, ou então encarar a perda de sua bolsa escolar e de seu futuro.
Na foto abaixo o verdadeiro pai John Wand com o filho na sua formatura.
John Wand "Se você pensar sobre a vinda de Idaho, o estigma social em torno de uma gravidez na adolescência era maior na época," John disse ao Boston Herald . Era também uma época em que o conceito de "pai solteiro" era em grande parte desconhecido para muitos americanos.  Apesar toques do cinema de Hollywood e partes diferentes de eventos reais, John disse q que o filme iria mostrar as pessoas em situações semelhantes que pode haver finais felizes. "Eu tive uma vida muito maravilhosa", disse John, que em 1983 casou-se com a colega Beverly Patton (MBA '81) e hoje é professor adjunto de finanças da Seton Hall University.


17- Professora LouAnne Johnson                                                                                                                 

 Mentes Perigosas - Dangerous Mind (1995)
Uma ex-oficial da marinha, abandona a vida militar para realizar um antigo sonho de ser professora de inglês. Só que logo na primeira escola em que começa a lecionar, ela vai se deparar com diversas barreiras. Sendo um colégio de negros, latinos, e na maioria de pessoas pobres, ela irá acabar tendo que enfrentar a fúria de alguns alunos. Como ela não consegue através de métodos convencionais a atenção da sua classe, ela parte para outra forma de ensino. Passa a dar aulas com karatê e músicas do Bob Dylan, tentando ajudar a turma através de métodos pouco convencionais. 
Ela escreveu sete livros biográficos, e um deles se tornou este filme.
LouAnne Johnson é uma escritora, professora e aposentada da Marinha Americana.
18 - Professora Maria Montessori 
                                   MARIA MONTESSORI EDUCAÇÃO E VIDA (2007)
Em 31 de agosto de 1870 nasceu na Itália. Maria Montessori. O seu pai, Alessandro Montessori, era oficial do Ministério das Finanças, trabalhando na época numa fábrica de tabaco estatal. A sua mãe, Renilde Stoppani, era bem educada para a época.
Os seus pais desejavam que ela seguisse a carreira de professora.
Indo contra as expectativas familiares, inscreveu-se na Faculdade de Medicina da Universidade de Roma.
Em 1896, se- tornou uma das primeiras mulheres a formar-se em medicina na Itália.Após sua formatura, não pode exercer a funcao de médica, pois na época não se admitia uma mulher examinando o corpo de um homem.
Em 1897 , Maria montessori iniciou um trabalho com crianças com necessidades especiais na clínica da universidade.
Em 31 de março de 1898, nasceu seu único filho - um filho chamado Mario Montessori (31 de março de 1898 - 1982).  Mario Montessori nasceu de seu caso de amor com Giuseppe Montesano, um colega médico que foi co-diretor com ela da Escola Ortofrênica de Roma. Se Montessori se casasse, esperava-se que ela deixasse de trabalhar profissionalmente. Em vez do casamento, Maria Montessori decidiu continuar seu trabalho e estudos. maria Montessori queria manter em segredo o relacionamento com o pai de seu filho, sob a condição de que nenhum dos dois se casasse com outra pessoa. Quando o pai de seu filho foi pressionado pela família a fazer uma conexão social mais vantajosa e posteriormente se casou, Maria Montessori ficou se sentindo traída e decidiu deixar o hospital universitário. Ela foi forçada a colocar seu filho aos cuidados de uma ama de leite que vivia no campo, desesperada por perder os primeiros anos de sua vida. Mais tarde, ela se reuniu com seu filho na adolescência, onde ele provou ser um grande assistente em sua pesquisa.
Em 1899, Maria Montessori foi nomeada conselheiro da recém-formada Liga Nacional para a Proteção de Crianças Retardadas e foi convidado a dar palestras sobre métodos especiais de educação para crianças com deficiência intelectual na escola de formação de professores do Colégio de Roma. Naquele ano, ariaMontessori empreendeu uma turnê nacional de palestras de duas semanas para audiências lotadas perante figuras públicas proeminentes. Ela entrou para o conselho da Liga Nacional e foi nomeada professora de higiene e antropologia em uma das duas faculdades de formação de professores para mulheres na Itália.   Maria Montessori se tornou membro da Seção Europeia da  Sociedade Teosófica - embora sua filiação acabasse eventualmente.  
Em 1900, a Liga Nacional abriu a Scuola Magistrale Ortofrenica, ou Escola Ortofrênica, um "instituto médico-pedagógico" para treinar professores na educação de crianças com deficiência mental com uma sala de aula de laboratório anexa. Maria  Montessori foi nomeado co-diretor. 64 professores matriculados na primeira classe, estudando psicologia, anatomia e fisiologia do sistema nervoso, medidas antropológicas, causas e características da deficiência mental e métodos especiais de instrução. Durante seus dois anos na escola, Maria Montessori desenvolveu métodos e materiais que mais tarde adaptou para usar com crianças regulares.
A escola foi um sucesso imediato, atraindo a atenção de funcionários do governo dos departamentos de educação e saúde, líderes cívicos e figuras proeminentes nas áreas de educação, psiquiatria e antropologia da Universidade de Roma. As crianças na sala de aula modelo foram retiradas do asilo e das escolas normais, mas foram consideradas "não educadas" devido às suas deficiências. Algumas dessas crianças, mais tarde, passaram em exames públicos dados às chamadas crianças "normais".
Em 1901, Maria Montessori deixou a Escola Ortofrênica e seu consultório particular.
Em 1902, ela matriculou-se no curso de filosofia da Universidade de Roma. Ela estudou filosofia teórica e moral, história da filosofia e psicologia como tal, mas não se formou. Ela também buscou estudos independentes em antropologia e filosofia educacional, conduziu observações e pesquisas experimentais em escolas primárias e revisitou o trabalho de Itard e Séguin, traduzindo seus livros para o italiano manuscrito. Durante esse tempo, ela começou a considerar a adaptação de seus métodos de educação de crianças com deficiência mental à educação regular.
 Em 1902, Maria Montessori apresentou um relatório em um segundo congresso pedagógico nacional em Nápoles. 
Em 1903, ela publicou dois artigos sobre pedagogia. 
Em 1904, ela conduziu pesquisas antropológicas com crianças italianas, e  foi qualificada como professora livre de antropologia na Universidade de Roma. Ela foi nomeada para lecionar na Escola Pedagógica da Universidade e continuou no cargo até 1908.
Em 1906, Maria Montessori foi convidada para supervisionar o cuidado e a educação de um grupo de filhos de pais trabalhadores em um novo prédio de apartamentos para famílias de baixa renda. 
Em 6 de janeiro de 1907,  a primeir Casa dei Bambini, ou Casa das Crianças, 
 foi inaugurada ,matriculando 50 ou 60 crianças com idades entre dois ou três e seis ou sete anos.
Maria Montessori implementou uma série de práticas que se tornaram marcas de sua filosofia e método educacional. Ela substituiu os móveis pesados ​​por mesas e cadeiras infantis leves o suficiente para as crianças se moverem e colocou os materiais infantis em prateleiras baixas e acessíveis. Ela expandiu a gama de atividades práticas, como varredura e cuidados pessoais, para incluir uma ampla variedade de exercícios para cuidar do meio ambiente e de si mesma, incluindo arranjos de flores, lavagem das mãos, ginástica, cuidados com animais de estimação e cozinhar.
Ela também incluiu grandes seções ao ar livre na sala de aula, incentivando as crianças a ir e vir quando quiserem nas diferentes áreas e aulas da sala. Em seu livro, ela descreve um típico dia de aulas de inverno, começando às 09h00 e terminando às 16h00:
9–10. Entrada. Saudações. Inspeção quanto à limpeza pessoal. Exercícios de vida prática; ajudando uns aos outros a tirar e vestir os aventais. Examinando a sala para ver se tudo está limpo e em ordem. Idioma: Período de conversação: as crianças relatam os acontecimentos do dia anterior. Exercícios religiosos.
10-11. Exercícios intelectuais. Aulas objetivas interrompidas por curtos períodos de descanso. Nomenclatura, exercícios dos sentidos.
11-11: 30. Ginástica simples: movimentos comuns feitos graciosamente, posição normal do corpo, caminhar, marchar em linha, saudações, movimentos para chamar a atenção, colocação de objetos graciosamente.
11: 30-12. Almoço: Oração curta.
12-1. Jogos livres.
1–2. Jogos dirigidos, se possível, ao ar livre. Nesse período as crianças mais velhas, por sua vez, realizam os exercícios da vida prática, limpar o quarto, tirar o pó, colocar o material em ordem. Inspeção geral de limpeza: Conversa.
2-3. Trabalho manual. Modelagem de argila, design, etc.
Maria Montessori começou a fazer experiências com materiais de ensino para escrever e ler - cartas recortadas de lixa e montadas em placas, letras recortadas móveis e cartões ilustrados com etiquetas. Crianças de quatro e cinco anos de idade se envolveram espontaneamente com os materiais e rapidamente adquiriram proficiência em escrita e leitura muito além do que era esperado para sua idade. Isso atraiu mais atenção do público para o  seu trabalho 
3-4. Ginástica coletiva e cantos, se possível ao ar livre. Exercícios para desenvolver a premeditação: Visitar e cuidar de plantas e animais.
Ela sentiu que, trabalhando de forma independente, as crianças poderiam atingir novos níveis de autonomia e se tornar automotivadas para alcançar novos níveis de compreensão. Maria Montessori também passou a acreditar que reconhecer todas as crianças como indivíduos e tratá-las como tais resultaria em um aprendizado melhor e na realização do potencial de cada criança em particular. 
Ela continuou a adaptar e refinar os materiais que havia desenvolvido anteriormente, alterando ou retirando exercícios que eram escolhidos com menos frequência pelas crianças. Com base em suas observações, Maria Montessori experimentou permitir às crianças a escolha livre dos materiais, trabalho ininterrupto e liberdade de movimento e atividade dentro dos limites impostos pelo ambiente. Ela começou a ver a independência como o objetivo da educação, e o papel do professor como um observador e diretor do desenvolvimento psicológico inato das crianças. 
Em 1908, mais três Case dei Bambini foram inaugurados. 
Em 1909, o trabalho de Montessori começou a atrair a atenção de observadores e visitantes internacionais. Seu trabalho foi amplamente publicado internacionalmente e se espalhou rapidamente.
A Suíça italiana começou a substituir os métodos Froebellianos pelos Montessori em orfanatos e jardins de infância. Maria Montessori realizou o primeiro curso de formação de professores em seu novo método em Itália. No mesmo ano, ela descreveu suas observações e métodos em um livro intitulado Il Metodo della Pedagogia Scientifica Applicato All'Educazione Infantile Nelle Case Dei Bambini (O Método de Pedagogia Científica Aplicada à Educação de Crianças em Casas de Crianças)
Em 1910, as suas aulas foram impressas como um livro intitulado Antropologia Pedagógica. Mais dois cursos de treinamento foram realizados em Roma.
Em 1911, a educação Montessori foi oficialmente adotada em escolas públicas na Itália e na Suíça e foi planejada para o Reino Unido. Um terceiro curso em Milão. A reputação e o trabalho de Maria Montessori começaram a se espalhar internacionalmente. Naquela época, ela desistiu de sua prática médica para se dedicar mais tempo ao trabalho educacional, desenvolvendo seus métodos e treinando professores. O trabalho de Montessori foi popular e amplamente divulgado nos Estados Unidos, especialmente em uma série de artigos na revista McClure. A primeira escola Montessori norte-americana foi inaugurada em Nova York. O inventor Alexander Graham Bell e sua esposa se tornaram defensores do método e uma segunda escola foi aberta em sua casa canadense.  O Método Montessori vendeu rapidamente em seis edições. 
Em 1912, escolas Montessori abriram em Paris e em muitas outras cidades da Europa Ocidental, e foram planejadas para a Argentina, Austrália, China, Índia, Japão, Coréia, México, Suíça, Síria, Estados Unidos e Nova Zelândia. Os programas públicos em Londres, Joanesburgo, Roma e Estocolmo adotaram o método em seus sistemas escolares. As sociedades Montessori foram fundadas nos Estados Unidos (o Montessori American Committee) e no Reino Unido (a Montessori Society for the United Kingdom).
 Em 1913, o primeiro Curso Internacional de Treinamento foi realizado em Roma, patrocinado pelo Comitê Montessori Americano, e 67 dos 83 alunos eram dos Estados Unidos. 1913,  um estudante indiano. Havia mais de 100 escolas Montessori no país. Maria Montessori viajou para os Estados Unidos, em uma turnê de palestras de três semanas que incluiu filmes de suas salas de aula europeias, encontrando-se com grandes e entusiastas multidões onde quer que ela viajasse. 
Em 1914,  foram lançadas as edições alemã, japonesa e romena. Maria Montessori publicou, em inglês, Doctor Montessori's Own Handbook, um guia prático para os materiais didáticos que ela havia desenvolvido. 
Em 1915, as edições foram editadas em espanhol. Maria Montessori voltou aos Estados Unidos, para demonstrar seu trabalho na Exposição Internacional do Panamá-Pacífico na Califórnia, e para dar um terceiro curso de treinamento internacional. Uma sala de aula com paredes de vidro foi instalada na Exposição, e milhares de observadores vieram para ver uma classe de 21 alunos. O pai de Montessori morreu em novembro  e ela voltou para a Itália. E fixou residência em Barcelona, ​​na Espanha. Nos 20 anos seguintes, Montessori viajou e deu palestras pela Europa e ministrou vários cursos de treinamento de professores. A educação Montessori experimentou um crescimento significativo na Espanha, Holanda, Reino Unido e Itália.
Em 1916, as edições foram editadas holandês  e Embora Montessori e sua abordagem educacional fossem populares nos Estados Unidos, ela teve oposição e controvérsia. O educador progressista influente William Heard Kilpatrick, um seguidor do filósofo e reformador educacional americano John Dewey, escreveu um livro desdenhoso e crítico intitulado The Montessori Method Examined, que teve um amplo impacto. A National Kindergarten Association também foi crítica. Os críticos acusaram o método de Montessori de ser desatualizado, excessivamente rígido, excessivamente dependente do treinamento dos sentidos e que deixava muito pouco espaço para imaginação, interação social e brincadeira.  Além disso, a insistência de Montessori em um controle rígido sobre a elaboração de seu método, o treinamento de professores, a produção e o uso de materiais e o estabelecimento de escolas tornou-se uma fonte de conflito e controvérsia. Depois que ela saiu em 1915, o movimento Montessori nos EUA se fragmentou, e a educação Montessori foi um fator insignificante na educação nos EUA até 1952. 
Em 1917, o seu livro foi m traduzido para o  dinamarquês. Maria Montessori publicou seu trabalho elementar em L'autoeducazionne nelle Scuole Elementari (Auto-educação na escola primária), que apareceu em inglês como O Método Montessori Avançado. Maria Montessori lecionou em Amsterdã, e a Sociedade Holandesa Montessori foi fundada
Em 1919 ela se demitiu de seu cargo na Universidade de Roma, pois seu trabalho educacional estava absorvendo cada vez mais todo o seu tempo e interesse.  Maria Montessori foi pela primeira vez à Inglaterra e ministrou um curso internacional de formação que foi recebido com grande interesse. A educação Montessori continuou a se espalhar no Reino Unido, embora o movimento tenha passado por algumas das lutas sobre autenticidade e fragmentação que ocorreram nos Estados Unidos. Maria Montessori continuou a dar cursos de treinamento na Inglaterra a cada dois anos até o início da Segunda Guerra Mundial
 Em 1920, o movimento de independência catalã começou a exigir que Maria Montessori tomasse uma posição política e fizesse uma declaração pública em favor da independência catalã, e ela recusou. O apoio oficial foi retirado de seus programas. Ela voltou  para  Amsterdã, para dar uma série de palestras na Universidade de Amsterdã. Os programas Montessori floresceram na Holanda 
Em 1922, Maria Montessori foi convidada a ir à Itália em nome do governo para ministrar um curso de palestras e posteriormente inspecionar escolas montessorianas italianas. Mais tarde naquele ano, o governo fascista de Benito Mussolini chegou ao poder na Itália. Em dezembro, Montessori retornou à Itália para planejar uma série de cursos anuais de treinamento sob patrocínio do governo.
Em 1923, o ministro da educação Giovanni Gentile expressou seu apoio às escolas Montessori e ao treinamento de professores na Italia. Montessori lecionou em Viena, e
Em 1924, uma nova ditadura militar fechou a escola modelo Montessori em Barcelona, ​​e a educação Montessori declinou na Espanha, embora Barcelona continuasse sendo o lar de Montessori. Maria Montessori encontrou-se com Mussolini, que estendeu seu apoio oficial à educação Montessori como parte do programa nacional.  Um grupo pré-guerra de apoiadores Montessori, a Societa gli Amici del Metodo Montessori (Sociedade de Amigos do Método Montessori) tornou-se a Opera Montessori (Sociedade Montessori) com uma carta do governo.
Em 1926 Mussolini foi nomeado presidente honorário da organização.  A Montessori Society of India foi formada. 
Em 1927, Mussolini estabeleceu uma faculdade Montessori de treinamento de professores. O Metodo foi traduzido para o gujarati e o hindi 
 Em 1929, o governo italiano apoiou uma ampla gama de instituições Montessori. O poeta indiano Rabindranath Tagore fundou muitas escolas "Tagore-Montessori" na Índia, e o interesse indiano na educação Montessori foi fortemente representado no primeiro Congresso Montessori Internacional foi realizado em Elsinore, Dinamarca, em conjunto com a Quinta Conferência da New Education Fellowship. Neste evento, Montessori e seu filho Mario fundaram a Association Montessori Internationale ou AMI "para supervisionar as atividades das escolas e sociedades em todo o mundo e para supervisionar a formação de professores."  A AMI também controlava os direitos de publicação dos Montessori's obras e produção de materiais didáticos Montessori autorizados. Os primeiros patrocinadores do AMI incluíram Sigmund Freud, Jean Piaget e Rabindranath Tagore
Em 1930, Montessori e o governo italiano entraram em conflito por causa de apoio financeiro e questões ideológicas, especialmente após as palestras de Montessori sobre Paz e Educação. 
Em 1932, Montessori falou sobre Paz e Educação no Segundo Congresso Montessori Internacional em Nice, França. Esta palestra foi publicada pelo Bureau International d'Education, Genebra, Suíça.  Montessori discursou no International Peace Club, em Genebra, Suíça, sobre o tema Paz e Educação
 Em 1933, ela pediu demissão da Opera Montessori sob a Segunda República Espanhola, um novo curso de treinamento foi patrocinado pelo governo e o apoio governamental foi restabelecido. 
Em 1934, ela deixou a Itália. O governo italiano encerrou as atividades Montessori no país.  Ela publicou dois livros na Espanha, Psicogeometrica e Psicoarithemetica.  
Em 1935, a sede da Association Montessori Internationale, ou AMI, mudou-se definitivamente para Amsterdã.
Em 1936, as suas palestras foram publicadas como Il Bambino in Famiglia, publicada em inglês, como The Child in the Family. com o início da Guerra Civil Espanhola e as condições políticas e sociais levaram Maria e seu filho Mario Montessori, deixarem Barcelona para a Inglaterra e logo se mudaram para Laren, perto de Amsterdã. Maria e seu filho Mario continuaram a desenvolver novos materiais, incluindo os cilindros sem botões, os símbolos gramaticais e os cartões de nomenclatura botânica.  Haviam mais de 200 escolas Montessori no Holanda. 
Em 1937, no contexto de tensões militares crescentes na Europa, Montessori voltou cada vez mais sua atenção para o tema da paz. O 6º Congresso Internacional Montessori foi realizado com o tema "Educação para a Paz", e Montessori clamou por uma "ciência da paz" e falou sobre o papel da educação da criança como uma chave para a reforma da sociedade. 
 Em 1938, Montessori foi convidada à Índia pela Sociedade Teosófica para dar um curso de treinamento. Ela deixou a Holanda com seu filho e colaborador Mario. O movimento teosófico, motivado para educar os pobres da Índia, foi atraído para a educação Montessori como uma solução. 
Em 1939, Os seus dircursos sobre Paz e Educação em Genebra, Bruxelas, Copenhague e Utrecht,  foram publicadas em italiano como Educazione e Pace, e em inglês como Education and Peace. Ela deixou a Holanda com seu filho e colaborador Mario. Montessori deu um curso de treinamento na Sociedade Teosófica em Madras, e tinha a intenção de fazer uma turnê de palestras em várias universidades e, em seguida, retornar à Europa.
Em 1940 a Itália entrou na Segunda Guerra Mundial ao lado da Alemanha, a Grã-Bretanha internou todos os italianos no Reino Unido e suas colônias como estrangeiros inimigos. Mario Montessori foi internado, enquanto a própria Montessori foi confinada ao complexo da Sociedade Teosófica, e Mario se reuniu com sua mãe depois de dois meses. Os Montessoris permaneceram em Madras e Kodaikanal. Durante seus anos na Índia, Montessori e seu filho Mario continuaram a desenvolver seu método educacional. O termo "educação cósmica" foi introduzido para descrever uma abordagem para crianças de seis a doze anos que enfatizava a interdependência de todos os elementos do mundo natural. As crianças trabalharam diretamente com plantas e animais em seus ambientes naturais, e os Montessoris desenvolveram aulas, ilustrações, gráficos e modelos para uso com crianças do ensino fundamental. Foi criado material para botânica, zoologia e geografia. 
Entre 1942 e 1943 esses elementos foram incorporados a um curso avançado para o trabalho com crianças de seis a doze anos. Este trabalho resultou em dois livros: Education for a New World e To Educate the Human Potential. Enquanto estava na Índia, Montessori observou crianças e adolescentes de todas as idades e se voltou para o estudo da infância. 
Em 1944, os Montessoris conseguiram alguma liberdade de movimento e viajaram para o Sri Lanka.
Ela deu uma série de 30 palestras sobre os primeiros três anos de vida e um curso de treinamento reconhecido pelo governo no Sri Lanka.
Em 1945, Montessori participou da primeira Conferência All India Montessori em Jaipur.
Em 1946, com o fim da guerra,  aos 76 anos de idade, Montessori retornou a Amsterdã e passou os seis anos seguintes viajando pela Europa e Índia. Ela deu um curso de treinamento em Londres.
Em 1947 abriu um instituto de treinamento em Londres, o Montessori Centre. Após alguns anos, este centro tornou-se independente de Montessori e continuou como Centro de Treinamento de São Nicolau. Ela retornou à Itália para restabelecer a Opera Nazionale Montessori e deu mais dois cursos de treinamento. Ela voltou à Índia e deu cursos em Adyar e Ahmedabad. Esses cursos deram origem à primeira edição em inglês do livro The Absorbent Mind, que se baseou em anotações feitas pelos alunos durante os cursos. Durante esses cursos, Montessori descreveu o desenvolvimento da criança desde o nascimento e apresentou seu conceito dos Quatro Planos de Desenvolvimento. 
Em 1948, Il Metodo della Pedagogia Scientifica Applicato all'educazione infantile nelle Case dei Bambini foi revisado novamente e publicado em inglês como The Discovery of the Child. 
Em 1949 ela deu um curso em Karachi, Paquistão e a Associação Paquistanesa Montessori foi fundada.  Montessori retornou à Europa e participou do 8º Congresso Internacional Montessori em Sanremo, Itália, onde uma sala de aula modelo foi demonstrada. No mesmo ano, foi estabelecido o primeiro curso de treinamento para o nascimento até os três anos de idade, denominado Scuola Assistenti all'infanzia (Escola Montessori para Assistentes de Infância). Ela foi indicada para o Prêmio Nobel da Paz. Montessori também foi premiado com a Legião de Honra Francesa, Oficial da Ordem Holandesa de Orange Nassau, e recebeu um Doutorado Honorário da Universidade de Amsterdã. As suas paletras em Sri Lanka, foram coletadas, no livro: O que você deve saber sobre seu filho
Em 1950 ela visitou a Escandinávia, representou a Itália na conferência da UNESCO em Florença, apresentada no 29º curso internacional de treinamento em Perugia, deu um curso nacional em Roma, publicou uma quinta edição do Il Metodo com o novo título La Scoperta del Bambino (The Discovery da Criança), e foi novamente nomeado para o Prêmio Nobel da Paz. 
Em 1951 ela participou do 9º Congresso Internacional Montessori em Londres, deu um curso de treinamento em Innsbruck, foi nomeada pela terceira vez para o Prêmio Nobel da Paz.
Montessori esteve diretamente envolvida no desenvolvimento e fundação do Instituto de Educação da UNESCO. Ela esteve presente na primeira reunião preliminar do Conselho de Administração da UNESCO em Wiesbaden, Alemanha,  e fez um discurso.  Ela usou o discursoo como uma oportunidade para redobrar sua defesa dos direitos da criança - a quem frequentemente se referia como o "cidadão esquecido" ou "cidadão negligenciado" - declarando: "Lembre-se de que as pessoas não começam aos vinte, dez ou seis anos, mas ao nascer. No esforço de resolver os problemas, não esqueçam que as crianças e os jovens constituem uma vasta população, uma população sem direitos que está a ser crucificada nos bancos das escolas por toda a parte, que - por tudo isso falamos de democracia, liberdade e direitos humanos - é escravizado por uma ordem escolar, por regras intelectuais, que lhe impomos. Nós definimos as regras que devem ser aprendidas, como devem ser aprendidas e com que idade. A população infantil é a única população sem direitos. A criança é o cidadão abandonado. Pense nisso e tema a vingança dessa população. Pois é sua alma que estamos sufocando. São os vívidos poderes da mente que estamos oprimindo, poderes que não podem ser destruídos sem matar o indivíduo, poderes que tendem para a violência ou a destruição, ou escapam para o reino da doença, como o Dr. Stern tão bem elucidou. " "na verdade, o [ A Declaração Universal dos Direitos Humanos parece ser exclusivamente dedicada à sociedade adulta. "
Em 6 de maio de 1952, Maria Montessori morreu de hemorragia cerebral, aos 81 anos na Holanda. 
As escolas Maria Montessori e Montessori apareceram em moedas e notas da Itália e em selos da Holanda, Índia, Itália, Maldivas, Paquistão e Sri Lanka.  Em 2020, a Time nomeou Montessori como uma das 100 melhores mulheres do ano, um desdobramento de seu prêmio de Pessoa do Ano.

19- Professora Marilyn Gambrell                                                                                                                           
Lutando contra as probabilidades: A história de Marilyn Gambrell é um filme de TV de 2005. Ela foi interpretada por Jami Gertz
Marilyn Gambrell é uma oficial de liberdade condicional que se tornou professora que iniciou o programa No More Victims no M.B. Smiley High School em Houston, Texas. O programa foi desenvolvido para ajudar crianças com pais encarcerados, na esperança de evitar que sigam os passos de seus pais. Desde o início do programa em 1993, centenas de crianças se formaram sob sua gestão.
Marilyn Gambrell também é autora de uma série de livros intitulada Cherish the Child Within, um currículo usado por educadores, profissionais e assistentes sociais, e recentemente concluiu uma série de livros para colorir intitulada My Feelings Are Real.
20- Professora Marva Collins                                                                                                                                    
História de Marva Collins - The Marva Collins story (1981) Diretor Peter Levin.
Marva Delores Collins (31 de agosto de 1936 - 24 de junho, 2015) era uma educadora americana que em 1975 começou a Westside Escola Preparatória num bairro pobre de Chicago. Ela é famosa por aplicar educação clássica com sucesso com os alunos pobres, muitos dos quais tinham sido indevidamente rotulados como dificuldade de aprendizagem por escolas públicas. Ela uma vez escreveu: "Eu descobri alguns aprendizagem dos alunos com deficiência nas minhas três décadas de ensino. Tenho, no entanto, descobriu muitas, muitas vítimas de incapacidades de ensino.
Prêmios:
1981: Jefferson Awards de Serviço Público - Prémio para o grande Serviço Público beneficiando o desfavorecido 
2004: National Endowment for the Humanities - National Humanities medalhista Alpha Kappa Alpha - Membro honorário da fraternidade Alpha Kappa Alpha.

21- Professor Melvin B Tolson                                                                                                                          

O Grande Debate - The Great Debaters (2007)Diretor: Denzel Washington. Escritores: Robert Eisele (roteiro), Robert Eisele (história) 
Estrelas: Denzel Washington, Forest Whitaker, Kimberly Elise.
O filmes conta a jornada do brilhante, mas volátil, Professor Melvin B. Tolson (06/02/1898 - 29/08/1966) que usa seus métodos pouco convencionais, a sua visão política e o poder das suas palavras para motivar um grupo de alunos do Wiley College do Texas, a participar de um campeonato de Harvard.
Em 06 de Fevereiro de 1898, nasceu Melvin B. Tolson, foi um americano modernista poeta, educador, colunista, e um político. Seu trabalho concentrou-se na experiência dos afro-americanos e inclui vários poemas históricos longos.
Legado e Honras 
Fellowship para a Universidade de Columbia, 1930-1931
Em 1947, Liberia o chamou seu poeta laureado.
Em 196 ele foi, eleito para o conselho livro-review New York Herald Tribune, e o Distrito de Columbia presenteou-o com uma citação e Prêmio de Realização Cultural nas Belas Artes.  Concessão do Instituto Nacional.
Em 1966, ele recebeu o prêmio anual de poesia da Academia Americana de Artes e Letras.
Em  29 de agosto Melvin morreu.
Em 1970, a Universidade Langston fundou o Black Heritage Centro Melvin B. Tolson.
Em 2004, ele foi introduzido postumamente em Oklahoma Hall da Fama do Ensino Superior.


No comments:

Post a Comment