Tuesday, July 5, 2016

Cantoras Famosas Reveladas em Filmes Biográficos





Bessie Smith a Imperatriz do Blues  -  A mais popular cantora do Blues entre os anos 1920 e 1930

Bessie é um filme sobre a lendária cantora de blues americana Bessie Smith, que tomou rédea de seu destino para vencer. O filme é dirigido por Dee Rees. Queen Latifah estrela como Smith.
Em 15 de abril de 1894, nasce a ariana Bessie Smith, filha de Laura e William Smith, um trabalhador e pregador batista. Ele morreu quando sua filha era muito jovem para se lembrar dele. 
Em 1903, sua mãe e um irmão também morreram. Sua irmã mais velha, Viola, assumiu o cuidado de seus irmãos.  Para ganhar dinheiro para sua família pobre, Bessie e seu irmão Andrew foram às ruas de Chattanooga. Ela cantou e dançou enquanto ele tocava violão. Eles costumavam se apresentar nas "esquinas por centavos". 
Em 1904, seu irmão mais velho, Clarence, saiu de casa e se juntou a um pequeno grupo de viajantes de propriedade de Moses Stokes. 
Em 1912, Clarence voltou a Chattanooga com a trupe de Stokes e arranjou uma audição para sua irmã com os gerentes da trupe, Lonnie e Cora Fisher. Bessie foi contratada como dançarina ao invés de vocalista, uma vez que a empresa já incluía a cantora popular Ma Rainey. 
Em 1913, Bessie  começou a formar seu próprio ato, no Teatro "81" de Atlanta. 
Em 1920, ela havia estabelecido uma reputação no Sul e ao longo da Costa Leste. 


Em 1923, Bessie Smith assinou contrato com a Columbia Records por Frank Walker, um agente de talentos que a viu se apresentar anos antes. Bessie Smith tornou-se uma atração principal no circuito da Theatre Owners Booking Association (T.O.B.A.). Trabalhando em uma agenda lotada de teatro durante o inverno e atuando em shows em barracas pelo resto do ano. Bessie Smith estava morando na Filadélfia, e se casou com Jack Gee, um segurança.
Durante o casamento, Smith tornou-se uma artista  bem paga, dirigindo seus próprios shows, que às vezes apresentavam até 40 troupers, e viajando em seu próprio vagão de trem feito sob encomenda.  Seu casamento foi tempestuoso com a infidelidade de ambos os lados, incluindo várias parceiras sexuais femininas para Bessie. Jack Gee ficou impressionado com o dinheiro, mas nunca se adaptou à vida do show business ou à bissexualidade de Bessie Smith. A música de Bessie Smith enfatizava independência, destemor e liberdade sexual, argumentando implicitamente que as mulheres da classe trabalhadora não precisavam alterar seu comportamento para serem dignas de respeito. 
Apesar de seu sucesso, nem ela nem sua música foram aceitas em todos os círculos. Certa vez, ela fez o teste para a Black Swan Records (W. E. B. Du Bois estava em seu conselho de diretores), e foi demitida por ser considerada muito rude, pois supostamente parou de cantar para cuspir.  
Em 1925, a sua primeira gravação elétrica foi "Cake Walking Babies".
Em 1929, ela apareceu em um musical da Broadway, Pansy. A peça foi um fracasso; ela era seu único trunfo. Bessie Smith fez sua única aparição no cinema, estrelando um filme de dois rolos, St. Louis Blues, baseado na canção de mesmo nome do compositor W. C. Handy. No filme, dirigido por Dudley Murphy e rodado em Astoria, Queens, ela canta a canção-título acompanhada por membros da orquestra de Fletcher Henderson, o Hall Johnson Choir, o pianista James P. Johnson e uma seção de cordas - um ambiente musical radicalmente diferente de de qualquer uma de suas gravações.A carreira de Smith foi interrompida pela Grande Depressão, que quase colocou a indústria fonográfica fora do mercado, e o advento do som no cinema, que significou o fim do vaudeville. Ela nunca parou de se apresentar, no entanto. Ela soube de seu caso com outra cantora, Gertrude Saunders, Smith terminou o relacionamento, embora nenhum dos dois pedisse o divórcio.Em 1933, John Henry Hammond, que também foi mentor de Billie Holiday, pediu a Smith que gravasse quatro músicas para o Okeh (adquirido pela Columbia Records em 1925).
 Em 26 de setembro de 1937, seu amante, Richard Morgan, estava dirigindo e escapou sem ferimentos do acidente automobilístico, mas Bessie morreu. O túmulo de Smith permaneceu sem marca.
Em 7 de agosto de 1970,  uma lápide foi erguida, paga pela cantora Janis Joplin e Juanita Green, que quando criança havia feito o trabalho doméstico para Smith. 
 Dory Previn escreveu uma canção sobre Joplin e a lápide, "Stone for Bessie Smith", para seu álbum Mythical Kings and Iguanas.  

Lady Canta o Blues (1972) é um filme americano dirigido por Sidney J. Furie sobre a cantora e compositora de jazz Billie Holiday, vagamente baseado em sua autobiografia, que, por sua vez, tomou seu título de uma das canções mais populares de Billie Holiday. 
A sua autobiografia  foi escrita pelo escritor fantasma  William Dufty e publicada em 1956. William, era  editor do jornal "New York Post",  casado com a amiga íntima de Billie; Maely Dufty, ele escreveu o livro rapidamente a partir de uma série de conversas com a cantora.
Em seu livro de 2015, Billie Holiday: A Música e o Mito, John Szwed argumenta que Lady Canta o Blues é uma conta geralmente precisa de sua vida, e que co-escritor William foi forçado a diluir ou suprimir o material pela ameaça de  ação legal. 
"Em particular, John traça as histórias de duas relações importantes que estão fora do livro-com Charles Laughton, na década de trinta, e com Tallulah Bankhead, no final da década de quarenta-e de um relacionamento que está fortemente diminuído na livro, seu caso com Orson Welles em torno do tempo de Cidadão Kane ", de acordo com o revisor Richard Brody.
 Diana Ross retrata Billy.


 Eleanora Fagan (07 de abril de 1915 - 17 de julho de 1959), conhecida profissionalmente como Billie Holiday,. Apelidada de "Lady Day" por seu amigo e parceiro musical Lester Young. Billy teve uma influência seminal na música jazz e pop. O seu estilo vocal, fortemente inspirado por instrumentistas de jazz.

Carole King: Natural Woman
Carole King, pseudônimo de Carole Klein (9 de Fevereiro de 1942) é uma cantora e compositora americana. Seu disco, Tapestry, de 1971, ficou por quinze semanas no 1º lugar da parada dos EUA. Ganhou quatro prêmios Grammy.
Carole iniciou a sua aprendizagem na música ainda criança. Apenas com quatro anos já aprendia piano, e, alguns anos mais tarde, já adolescente, formou o seu primeiro grupo. Contudo, foi já na faculdade que Carole conheceu alguns dos nomes que mais influenciaram a sua música, como Paul Simon, Neil Sedaka ou Gerry Goffin, com quem acabou por casar.
 A parceria com Gerry foi, contudo, bem mais além do matrimônio, já que a dupla começou a escrever em conjunto uma série de canções que acabaram por conquistar lugares de destaque nos topo. Entre estas, destacam-se "Will You Love Me Tomorrow" cantada pelas The Shirelles, ou "The Locomotion", levada a palco por Little Eva. 
É dessa época a composição, também em parceria com o marido, "Chains". Esta é famosa também por ter sido uma das poucas composições de outros autores gravadas pelos Beatles. Isso aconteceu no primeiro álbum inglês da banda.
Ainda assim, e apesar dos êxitos como compositora, a carreira de Carole a solo teimava em não se realizar. No meio dos anos 60, ela decidiu fundar a gravadora Tomorrow, ao lado do marido e do crítico Al Aronowitz. 
O casamento com Gerry terminou pouco depois, antes de um novo matrimônio, então com Charles Larkey, baixista dos Myddle Class, que integrava o catálogo da Tomorrow.
Em 1968, juntamente com Danny Kortchmar, funda  "The City", que lançaram um único álbum, Now That's Everything Been Said, mas que acabou por ser um verdadeiro fracasso de vendas dada a recusa de Carole em atuar ao vivo, por ter medo de entrar em palco. Contudo, e a partir desse ano, ela investiu definitivamente na sustentação e lançamento da sua carreira a solo, e lançou "Writer" em 1970. Apesar dos resultados não terem sido os esperados, o ímpeto ficou para a edição de um novo conjunto de originais. Tapestry, editado em 1971, mostrou-se como o grande triunfo de Carole King. O disco acabou por ficar no topo durante mais de seis anos e conseguiu bater sucessivos recordes de vendas. Ainda em 71, ela lança Music,  que trouxe consigo um novo single número 1 - "Sweet Seasons". Os êxitos prolongaram-se depois em álbuns como Rhymes and Reasons de 1972 e Wrap Around Joy de 1974.
Um ano mais tarde, e ao lado de James Taylor, David Crosby e Graham Nash, a dupla Carole/Goffin voltou a entrar em ação para a elaboração do álbum Thoroughbred. Mais tarde, o lançamento de "Simple Things" proporcionou a partida para a primeira digressão em pleno, ao lado dos Navarro. Ainda nesse mesmo ano, Carole casou-se novamente, então com Rick Evers, que acabou por falecer um ano mais tarde devido a uma overdose de heroína.
O início da década de 80 ficou marcado pelo abandono de Carole de grande parte da sua atividade no mundo do espetáculo, preferindo desde então viver numa pequena localidade no estado do Idaho, onde iniciou uma colaboração frutuosa com movimentos ambientalistas. "Speeding Time" de 1983 marcou o início do hiato de mais de seis anos, até à edição de City Streets de 1989, álbum que contou com a participação de Eric Clapton.
Gerald "Gerry" Goffin (11 de fevereiro de 1939 - 19 de junho de 2014)  Depois que eles se divorciaram, ele escreveu com outros compositores, incluindo Barry Goldberg e Michael Masser, com quem escreveu "Theme from Mahogany (Você sabe onde você está indo)" e "Saving All My Love for You", também sucessos no.1. Durante sua carreira ele escreveu mais de 100 hits, incluindo oito canções líderes das paradas, e 72 sucessos do Reino Unido.  Os dois foram introduzidos no Rock and Roll Hall da Fama em 1990.


Celine: Através dos Olhos do Mundo -  Celine Dion – Through the Eyes of the World (2010)
Céline Marie Claudette Dion nasceu em  30 de março de 1968  no Canadá, e é a filha mais nova dos 14 filhos de uma dona de casa, e  um açougueiro, ambos de ascendência franco-canadense. A música sempre fez parte da família (o nome de Dion foi originado da música "Céline" do cantor francês Hugues Aufray, gravada dois anos antes de seu nascimento).
Em 1973, aos cinco anos, Céline fez sua primeira apresentação pública no casamento do seu irmão. Desde então, ela continuou se apresentando com seus irmãos no pequeno bar dos seus pais.
Aos 12 anos, o seu irmão, enviou a gravação dela a um gerente de artistas na indústria musical, René Angélil, cujo nome foi descoberto na parte de trás de um álbum. Renê foi às lágrimas pela voz de Celine e decidiu torná-la uma estrela.
Em 1981, ele hipotecou sua casa para financiar o seu primeiro disco, "La voix du bon Dieu", que se tornou o mais vendido no mercado local e transformou Céline numa estrela instantânea em Quebec.
Em 1982, ela se tornou popular em outras partes do mundo quando competiu no World Popular Song Festival, que foi realizado em Tóquio, Japão, e ganhou o prêmio de "Melhor Performance" bem como a medalha de ouro de "Melhor Música" com "Tellement j'ai d'amour pour toi".
Em 1983, ela se tornou a primeira artista canadense a receber um disco de ouro na França pelo single "D'amour ou d'amitié". Além disso, ela ganhou diversos prêmios Félix , incluindo "Melhor Performance Feminina" e "Descoberta do Ano".
Em 1988, ela representou a Suíça no Festival Eurovisão da Canção com a música "Ne partez pas sans moi" e ganhou o concurso, tornando-se sucesso na Europa, Ásia e Austrália. Embora confiante de seu talento, Rene percebeu que sua imagem precisava ser mudada para que ela fizesse sucesso ao redor do mundo. Celine se afastou dos holofotes e durante esse tempo passou por uma cirurgia dentária para melhorar sua aparência.
Em 1989, ela foi para École Berlitz para aperfeiçoar seu inglês. Durante uma apresentação na Incognito Tour, ela perdeu a sua voz  e foi submetida a um treinamento vocal com William Riley.
Em 1990, ela fez sua estreia no mercado anglófono com Unison (1990) e "Where Does My Heart Beat Now"  ficou na quarta posição na parada Billboard Hot 100 dos Estados Unidos.
Em 1991, ela foi uma das solistas no álbum Voices That Care. E ela fez um dueto com Peabo Bryson na faixa-título do filme animado da Disney A Bela e a Fera, que se tornou um sucesso.
Nessa época, ela e seu empresário René, 26 anos mais velho que ela, começaram a namorar.
Em 1992, Unison, Céline Dion e inúmeras aparições na mídia - a levaram ao estrelato na América do Norte. No entanto, enquanto ela estava experimentando seu crescente sucesso nos Estados Unidos, seus fãs franceses do Canadá a criticaram por negligenciá-los.
Em 1993, ela anunciou seus sentimentos por seu empresário, declarando que ele era "a cor do [seu] amor" na parte dedicatória do seu terceiro álbum em inglês The Colour of My Love. O álbum tornou-se bem sucedido, vendendo mais de seis milhões de cópias nos Estados Unidos, dois milhões no Canadá e alcançando a 1ª posição nas paradas em muitos países.
Em 1994 os dois  se casaram em uma cerimônia extravagante em dezembro, que foi transmitida ao vivo pela televisão canadense.
Em 1995, D'eux foi lançado e se tornou o álbum mais vendido na língua francesa de todos os tempos no país. Ele também alcançou o top 10 no Reino Unido e Irlanda, um feito raro para uma canção francesa.
Em 1996, ela ganhou o prêmio World Music por "Melhor Artista Feminina Recordista de Vendas do Ano" pela terceira vez. Nessa época, ela se estabeleceu como uma das artistas que mais venderam no mundo.
Em 1997, ela canta o tema do filme "Titanic" "My Heart Will Go On", 1° lugar na Billboard e também vencedora do Oscar  em 1997. No álbum "Le t's Talk About Love".
Ela começa a se apresentar em grandes estádios com uma média de 45 a 200 mil pessoas por apresentação. No mesmo ano, é lançado o álbum francês "S'il suffisait d'aimer", de grande sucesso de crítica e de vendas, mantendo Céline Dion a maior estrela de língua francesa.
No fim de 1998, Céline gravou o seu álbum natalino, "These are Special Times", cheio de composições inéditas e clássicos; contendo "The Prayer" (dueto com Andrea Bocelli), nomeada ao Oscar e vencedora de 1 Globo de Ouro, e "I'm Your Angel" (dueto com R. Kelly), número 1 na Billboard. "These are Special Times" vendeu 12 milhões de cópias.
Em 1999, o seu marido René  foi diagnosticado com câncer de laringe e a artista para por um tempo indeterminado a sua carreira para cuidar do seu marido e também ter seu primeiro filho. Nesse espaço de tempo é lançada uma pequena coletânea dos seus maiores sucessos em inglês, que se tornou uma das coletâneas mais vendidas da história com 20 milhões de cópias vendidas.
Em Setembro de 2001, ela encerra  o espetáculo de beneficência em homenagem às vítimas do ataque terrorista do World Trade Center, cantando o hino nacional americano.
Em 2002, Céline volta aos palcos com o álbum "A New Day Has Come" dedicado ao nascimento de seu primeiro filho, René Charles,  vendeu cerca de 10 milhões de cópias mundialmente.
Em 2003, estréia em Las Vegas, o espetáculo "A New Day...", onde uma réplica do Coliseu de Roma foi construída especialmente para ela cantar as suas canções em conjunto com dezenas de dançarinos, e vários efeitos especiais. O multimilionário espetáculo, que fez Céline lucrar apenas em contrato inicial mais de 100 milhões de dólares, ficou em cartaz por 5 anos - o contrato inicial era de três anos e foi prolongado por mais dois anos, devido ao enorme sucesso junto ao público, ficando em cartaz até  Dezembro de 2007. "A New Day..." foi visto por mais de três milhões de espectadores.
Em 2004, em parceria com uma famosa fotógrafa Anne Geddes, a cantora lança um trabalho em homenagem aos recém-nascidos, com o título de "Miracle - A celebração de uma nova vida", no qual contém um livro com 180 fotos, um CD com canções interpretadas por Céline e um DVD com todo making of. O álbum vendeu mais de 2,5 milhões de cópias em todo o mundo.
 Em 2005 é lançado o álbum "On ne change pas", com os grandes sucessos em francês da artista, com destaque para uma canção inédita, "Je ne vous oublie pas".
Em 2007, Céline lançou "Taking Chances", que vendeu mais de 3 milhões de cópias.
Ela começou sua turnê mundial "Taking Chances" na África do Sul, com um espetáculo em comemoração ao aniversário de Nelson Mandela. O espetáculo passou por mais de 29 países, e 132 apresentações. Encerrou  2009, com uma apresentação em Omaha, nos Estados Unidos.
Em  2008, Dion lançou a terceira coletânea em inglês, "My Love: Essential Collection", vendido a mais de 2 milhões de cópias.
no dia 23 de outubro de 2010, Céli  dando à luz os gêmeos Nelson e Eddy
Em 2011, Céline participou pela 7ª vez da festa do Óscar, tornando-se a artista que mais se apresentou nos Prêmios da Academia. Ela cantou a música "Smile", de Charles Chaplin, durante o 'In Memorian' (momento no qual há uma homenagem às pessoas ligadas ao cinema que faleceram no ano anterior). Além disso, Céline também tornou-se a pessoa que mais participou do famoso programa da Oprah, o Oprah Winfrey Show.
Em 2011, ela  voltou ao Caesar 's Palace, em Las Vegas, para residir por mais três anos no Coliseu, onde ela se apresentou com o show "A New Day... Live in Las Vegas". Ela atualmente apresenta o novo espetáculo, que se chama "Céline", junto a uma orquestra de 31 músicos.
Em 2013 "Loved Me Back To Life", que vendeu 1,5 milhões de cópias .
Em 14 de janeiro de 2016, Renê Angélil faleceu  aos 73 anos de idade. O Governo do Québec ofereceu um funeral de Estado em homenagem à contribuição do marido de Céline ao país. A cerimônia foi realizada na basílica de Notre Dame, em Montreal, no Canadá, a mesma em que o casal celebrou o matrimônio. Dois dias após a perda de Renè, seu irmão Daniel Dion (59) também faleceu, vítima do câncer.
Pouco mais de um mês após ficar viúva e perder um irmão, Celine Dion voltou aos palcos na noite de terça-feira 23/02/2016, no The Colosseum, em Las Vegas, nos Estados Unidos. A emoção tomou conta da apresentação diversas vezes, mas o momento mais intenso foi durante a música "All By Myself". A estrela não se conteve e não conseguiu terminar o hit, caindo no choro e sendo ovacionada pelo público.
No dia 22 de maio de 2016, o Billboard Music Awards, patrocinado pela revista Billboard, cerimônia que premia anualmente artistas do mundo da música, condecorou a cantora com o Icon Awards, um
Encore Un Soir (Capa do Single)

No prêmio em reconhecimento à importância de sua carreira. Durante o anúncio da categoria, feito pelo cantor Seal, o músico convidou o filho mais velho de Celine, René-Charles Angelil, de 15 anos, para a entrega do troféu – levando Dion e o público às lágrimas.


Eva Tanguay - A Rainha do Vaudeville 



The I Don't Care Girl é um filme Technicolor de 1953 estrelado por Mitzi Gaynor. É uma biografia de Eva Tanguay.
Eva foi uma cantora e artista canadense que se autodenominou "a garota que tornou o vaudeville famoso". Durante o auge de sua popularidade, desde o início dos anos 1900 até o início dos anos 1920. Tanguay também apareceu em filmes e foi o primeiro artista a alcançar a celebridade da mídia de massa nacional, com publicitários e jornais cobrindo suas turnês de costa a costa. 
Eva Tanguay nasceu em 1 de agosto de 1878 em  Quebec.  Seu pai era médico. 
Em1883,  sua família mudou-se para Massachusetts. Seu pai morreu logo depois. Ainda criança, ela desenvolveu um interesse pelas artes cênicas.


Em 1886, fez a sua primeira aparição no palco aos oito anos. 
Em 1887,  ela estava em turnê profissional com a produção de uma adaptação para o palco do popular romance de Frances Hodgson Burnett, Little Lord Fauntleroy. 
Em 1901, Eva conseguiu um lugar no musical da Broadway My Lady. 
Em 1904, o show The Chaperons, aumentou sua popularidade. 
 Em 1905, ela também estava se apresentando no vaudeville como um ato solo, onde passaria grande parte do restante de sua carreira.
Ganhar publicidade gratuita com comportamento ultrajante era um de seus pontos fortes. 


Em 1907, ela ficou com o casado jornalista de entretenimento e publicitário C.F. Zittel em um hotel no Brooklyn por quase uma semana. A esposa de Zittel descobriu o caso contratando detetives vestidos como mensageiros do serviço de quarto para invadir a sala. O evento chegou às manchetes e não prejudicou a popularidade e reputação ou sucesso de bilheteria de Eva.  Ela também teve seu nome nos jornais por supostamente ter sido sequestrada, supostamente ter suas joias roubadas e ser multada em US $ 50 em Louisville, Kentucky, por jogar um assistente de palco em um lance de escadas.
Em 1909, ela foi contratada para estrelar o Ziegfeld Follies, onde substituiu o time de marido e mulher de Jack Norworth e Nora Bayes, que tinham um salário amargo e uma rivalidade pessoal com Ziegfeld. Eva solicitou que o número musical "Moving Day in Jungle Town" fosse tirado do talento em ascensão de Sophie Tucker e dado a ela. Apesar disso, os duas mais tarde se tornaram amigas íntimas.
Em 1910, Seus trajes eram tão extravagantes quanto sua personalidade. Um ano após a emissão do centavo Lincoln, Eva apareceu no palco com um casaco totalmente coberto com as novas moedas.
Embora possuísse apenas uma voz mediana, o entusiasmo com que Eva executou suas canções sugestivas logo a tornou a favorita do público. Ela teve uma carreira de vaudeville de longa duração e acabou recebendo um dos salários mais altos de qualquer artista da época, ganhando até $ 3.500 por semana (cerca de $ 90.000 em dólares de 2019) no auge de sua fama. Eva ganhava mais que os contemporâneos Enrico Caruso e Harry Houdini ao mesmo tempo, e sendo descrito porEva é lembrada por canções atrevidas e autoconfiantes que simbolizavam a mulher emancipada, como "Tudo foi feito antes, mas não do jeito que eu faço", "Quero que alguém enlouqueça comigo", "Vá tão longe quanto você Como "e" É por isso que me chamam de Tabasco ". 


Em 1913, Eva se casou com o dançarino John Ford, mas eles se divorciaram quatro anos depois.
Nos círculos do showbiz, ela foi apelidada de "I Don't Care Girl" por causa de sua canção mais famosa, "I Don't Care". 
Em 1922, Eva fez apenas uma gravação conhecida ("I Don't Care")  para a Nordskog Records. Além de sua carreira de cantora, ela estrelou em duas comédias de cinema
Eva gastou muito em campanhas publicitárias e fantasias. Um obituário observa que um "gerente inteligente" disse a Eva no início de sua carreira que dinheiro rendia dinheiro. Ela nunca se esqueceu da lição, comprando anúncios enormes às suas próprias custas e, em uma ocasião, supostamente gastando o dobro de seu salário em publicidade. Edward Bernays, "o pai das relações públicas", a descreveu como "nosso primeiro símbolo de emergência da era vitoriana."



Em 1927, aos 49 anos, Eva casou-se com seu pianista, Al Parado, de 23 anos. Pouco depois do casamento, ela o anulou sob a alegação de fraude.  Ela alegou que Parado tinha pelo menos dois outros nomes que ele usava com tanta frequência que ela não tinha certeza de qual era o verdadeiro.  O casamento foi, na verdade, um estratagema publicitário e foi dissolvido por Eva quando não deu os resultados promocionais pretendidos.Em 1929, diz-se que Eva perdeu mais de $ 2 milhões (cerca de $ 30 milhões em dólares de 2019) no crash de Wall Street. 
 Na década de 1930, ela se aposentou do show business. A catarata fez com que ela perdesse a visão, mas Sophie Tucker, pagou por uma operação que ajudou a restaurar parte de sua visão.
Em 11 de janeiro de 1947, aos 68 anos, Eva morreu em Hollywood.

                                             Fantasia Barrino
A Vida Não é Uma História do Conto de Fadas - A História de Fantasia Barrino - Life Is Not a History of Fairy Tale - A History of Fantasia Barrino (2006).
Fantasia Monique Barrino nasceu em 1984 e ganhou o popular programa americano American Idol.

 Jeanine Deckers


Dominique é um filme de 1966 semi-biográfico americano sobre a vida de Jeanine , uma freira que gravou a canção hit no topo das paradas "Dominique". Ele estrelou Debbie Reynolds no papel-título.
Jeanine Deckers -Jeanne-Paule Marie Deckers, (17 de outubro de 1933 – 29 de março de 1985) foi uma compositora e intérprete belga.
Entre 1959 e 1966 foi freira dominicana no convento em Waterloo. Atingiu a fama, em 1963, com o nome artístico de Irmã Sorriso (inicialmente sua verdadeira identidade era desconhecida) e o tema Dominique , gravado originalmente em francês e, posteriormente, uma versão mais comercial em inglês, que esteve nos primeiros lugares dos tops de vendas europeus e americanos, desbancando Elvis Presley e The Beatles no US Billboard Top 100 em 1963, ficando em 1º lugar. Após sua saída do convento, suas tentativas de gravar suas músicas novamente foram um fracasso. O Fisco belgo a intimou para que ela pagasse seus impostos atrasados referentes às vendas de seu disco (3 milhões de cópias), no entanto tudo o que fora arrecadado foi destinado ao respectivo convento que habitava (respeitando seu voto de pobreza) mas não houve recibos de doações, o que levou a um exaustivo processo que não chegou a ser concluído antes de sua morte. Os problemas financeiros e sua depressão levaram ao seu suicídio por ingestão de álcool e remédios (Barbitúrico), que também levou sua suposta companheira Annie Pécher, pois tinham um pacto de morte. Deckers e Pécher foram enterradas juntas.


 Linda Ronstadt: The Sound of My Voice ( 2019) - Um documentário baseado em sua autobiagrafia, escrita em 2013; Simple Dreams: A Musical Memoir
Linda Maria Ronstadt (15 de julho de 1946) é uma cantora americana.
Ronstadt lançou 24 álbuns de estúdio e 15 compilações ou álbuns de maiores sucessos. Ela alcançou 38 singles na Billboard Hot 100 dos Estados Unidos. Vinte e um desses singles chegaram ao top 40, dez chegaram ao top 10 e um alcançou o número um ("You're No Good"). Ela emprestou sua voz para mais de 120 álbuns e vendeu mais de 100 milhões de discos, tornando-a uma das artistas mais vendidas do mundo de todos os tempos.
 Linda Ronstadt reduziu sua atividade depois de 2000 quando sentiu sua voz se deteriorando, lançando seu último álbum completo em 2004 e realizando seu último show ao vivo em 2009. Ela anunciou sua aposentadoria em 2011 e revelou logo depois que ela não é mais capaz de cantar como resultado de uma condição degenerativa posteriormente determinada como paralisia supranuclear progressiva.

Vivendo Por Amor: A História de Natalie Cole - Livin' For Love: The Natalie Cole Story (2000) dirigido por Robert Townsend. Cinebiografia da cantora Natalie Cole, desde a sua infância ate o premio Grammy em 1991 por "Unforgettable, With Love", no qual ela se apresentou praticamente com seu pai, o falecido Nat King Cole. Depois de uma infância complexa como a filha do cantor famoso, Natalie foi abalada por sua morte, quando era uma adolescente. Ela teve sucessos como "Será" e "Inseparável" na década de 1970.


 Nina é um filme biográfico americano de 2016 escrito e dirigido por Cynthia Mort. O filme é focado na música e ativista dos direitos civis americana Nina Simone, interpretada por Zoe Saldana. O filme também é estrelado por David Oyelowo, Ella Thomas e Mike Epps. 
O filme foi recebido com muitas críticas e a família de Simone se recusou a endossar o filme. Saldana disse mais tarde que se arrependeu de ter aceitado o papel principal.
Nina Simone (21-02-1933 a 21-04-2003) era uma cantora americana, pianista, arranjadora, compositora e ativista pelos direitos humanos.




No comments:

Post a Comment